fbpx
Conecte-se conosco

Geral

Zona de Desenvolvimento do Acre, Rondônia e Amazonas será lançada dia 14

Publicado

em

A Zona de Desenvolvimento Sustentável Abunã-Madeira, que contempla parte do Estado do Acre, será lançada oficialmente às 8 horas do dia 14 de dezembro, no Teatro Guaporé, em Porto Velho.

A proposta da ZDS, segundo a Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) é conciliar sustentabilidade e desenvolvimento de uma importante região composta por Acre, Rondônia e Amazonas.

A ZDS Abunã-Madeira foi planejada como um conjunto de ações multisetoriais voltadas para a promoção da sustentabilidade ambiental por meio do desenvolvimento socioeconômico das áreas onde estará localizada. Uma proposta inovadora, que se diferencia de outros projetos aplicados na região porque nasce da sinergia entre a articulação institucional dos entes nacionais e subnacionais, e do planejamento técnico baseado nos eixos do desenvolvimento sustentável (ambiental, social e econômico).

Originalmente o Projeto da ZDS nasceu nos três Estados e foi chamado de Amacro pelos seus primeiros idealizadores. Contudo, esse projeto inicial levou à cooperação técnica entre a Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), com o apoio de outras instituições como a Embrapa e secretarias dos estados envolvidos. Ao ser repensado tecnicamente para atender aos critérios do desenvolvimento sustentável, ganhou “robustez”.

Uma vez que a designação Amacro já não atendia mais ao escopo do projeto técnico, surgiu a Zona de Desenvolvimento Sustentável Abunã-Madeira. “A ideia de uma Zona de Desenvolvimento Sustentável surgiu da percepção de que a proteção da natureza e o desenvolvimento socioeconômico não são antagônicos nem excludentes. Ao contrário, caminham juntos”, assinala a Superintendente da Sudam Louise Caroline Campos Löw.

A ZDS engloba 32 municípios localizados no sul do Amazonas, leste do Acre e noroeste de Rondônia, cuja área total é de 454.220 km² e com população estimada para 2020 de aproximadamente 1,7 milhão de pessoas. Trata-se de região emblemática, tanto em relação aos desafios ambientais quanto à necessidade de desenvolvimento socioeconômico.

Além de apresentar percentual de 43% dos municípios com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), há o arco do povoamento adensado (consequência de vários fatores, como a forma de ocupação daquela área) com pressão sobre o meio ambiente, especialmente sobre a Floresta Amazônica. O enfrentamento de ambas as questões é urgente, sob risco de agravamento de vários problemas – aumento de ilícitos ambientais, adensamento populacional sobre a floresta e violações de direitos humanos, dentre outros.

Assim, a sustentabilidade ambiental é o “guarda-chuva” de todas as ações na ZDS. Debaixo dele estarão dois eixos fundamentais e estratégicos de atuação: Desenvolvimento Produtivo (Bioeconomia, Turismo, Agronegócio, Indústria) e Infraestrutura Econômica e Urbana (Logística e Transporte, Energia, Telecomunicações). Além disso, a Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), a Tecnologia da Informação e da Comunicação (TIC) e ações de capacitação serão ferramentas que perpassam todas as ações, servindo de base para aqueles dois eixos de atuação.

O projeto propõe estabelecer um cinturão de proteção da floresta oferecendo alternativas para os desafios socioeconômicos da população. A ideia é potencializar as vocações produtivas e econômicas locais, bem como os recursos humanos. Ao criar essa alternativa, a intenção é que a zona especial ZDS Abunã-Madeira se transforme em projeto-piloto a ser adaptado em outras regiões da Amazônia (Alto Solimões/ Marajó/ Transamazônica, por exemplo).

Entre os dias 17 e 19 de novembro, aconteceram Encontros Técnicos voltados para a ZDS nos estados do Amazonas, Acre e Rondônia. O objetivo foi apresentar para os Governos estaduais, instituições parceiras do Projeto e demais entidades envolvidas, a estrutura do Documento Referencial, a metodologia adotada, a problemática socioeconômica, e os quatro cenários alvos de intervenção elencados no documento, para conhecimento e posterior validação.

Também foi apresentada uma proposta de governança estruturada em um Núcleo Provisório de Gestão, até que se defina a governança definitiva instituída através de decreto. Também foram apresentadas as ações indicadas no quadro resumo do documento referencial. A ideia é que a partir daí sejam elaboradas propostas para a construção de um plano de ação dessa zona, que pretende ser um case de sucesso quando se trata de oferecer alternativas factíveis para os desafios da Amazônia.

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, deve estar presente à cerimônia de lançamento da ZDS.

Comentários

Continue lendo

Geral

Duas armas de fogo e munições são apreendidas no bairro Taquari

Publicado

em

Duas armas de fogo foram apreendidas no Taquari na tarde de quarta-feira, 24, por militares do 2° Batalhão, durante a ação dois envolvidos foram conduzidos um homem foi preso e um menor apreendido.

Uma guarnição fazia patrulhamento no bairro quando recebeu informações de outra equipe policial de que dois indivíduos poderiam estar portando armas de fogo, e indicaram o endereço, os militares fizeram o deslocamento até o local, de longe a guarnição avistou os dois suspeitos que ainda tentaram se evadir, correndo para um terreno baldio tentando se esconder, mas foram abordados, após consulta nominal foi descoberto que um dos indivíduos era menor, com eles foram encontradas as duas armas de fogo (uma submetralhadora e um armamento adaptado para uso de calibre.22).

Os militares encaminharam os envolvidos à Delegacia de Flagrantes (DEFLA) para que fossem tomadas as medidas cabíveis.

Comentários

Continue lendo

Geral

Polícia Penal do Acre dá instruções em curso de formação de cabo do Exército Brasileiro

Publicado

em

Os 29 alunos aspirantes a cabo receberam instruções em instrumento de menor potencial ofensivo, atendimento pré-hospitalar (APH) em combate, noções de operações com cães e segurança penitenciária.

Polícia Penal dá instruções em curso de cabo do Exército Brasileiro. Foto: Antonio Moura/Iapen.

As forças especializadas da Polícia Penal ministraram um módulo do curso de formação de cabo do Exército Brasileiro do 7º Batalhão de Engenharia e Construção Barão do Rio Branco. Participaram como instrutores os policiais da Divisão Penitenciária de Operações Especiais (DPOE), Divisão do Serviço de Operações e Escolta (DSOE) e Divisão de Operações com Cães (DOC). O curso teve duração de três dias. Iniciou no dia 19, sexta-feira, continuou na segunda-feira, 22, e finalizou na terça-feira, 23.

O aluno de Formação de Cabo do Exército Brasileiro, Richard Rodrigues, explica que achou muito importante todas as instruções que recebeu, mas a que mais lhe chamou a atenção foi a de atendimento pré-hospitalar (APH) em combate: “Um ponto também muito importante que eu achei na instrução foi o uso de torniquete, porque, até então, na minha vida, eu nunca tinha tido a experiência de aprender como utilizar um torniquete. E foi aqui que eu aprendi como transportar um ferido, muito importante para minha vida militar e também para minha vida pessoal, em caso de algum acidente”.

Alunos aspirantes a cabo recebem instruções de forças especializadas da Polícia Penal. Foto: Antonio Moura/Iapen.

O chefe do Departamento de Operações Penitenciárias, Caio Borges Vilela, explica como funciona essa parceria: “A instrução para o curso de formação de cabos do 7º Batalhão de Engenharia e Construção Barão do Rio Branco, o 7º BEC, é uma parceria que existe já desde 2018. São 29 alunos buscando esse conhecimento. E é de grande valia para o sistema, porque o objetivo da instrução é prepará-los caso seja preciso instalar a GLO, a Garantia da Lei e da Ordem, que é quando o Exército toma de conta de algumas ações no estado. Então, essa parceria é importante, para que se acontecer algo dessa forma, eles estejam preparados para atuar dentro dos presídios e nos auxiliar aí nessa missão”.

Polícia Penal dá instrução para aspirantes a Cabo do 7º Batalhão de Engenharia e Construção Barão do Rio Branco. Foto: Antonio Moura/Iapen.

Nos três dias de curso, os 29 alunos aspirantes a cabo receberam instruções em instrumento de menor potencial ofensivo, atendimento pré-hospitalar (APH) em combate, noções de operações com cães e segurança penitenciária.

Instrução da Polícia Penal para aspirantes a cabo do Exército Brasileiro. Foto: Lucas Manoel/Iapen.

O chefe da Divisão de Operações com Cães (DOC), James dos Santos, instruiu os aspirantes sobre o uso dos cães em operações: “A gente está passando para eles um pouco da dinâmica que a Divisão de Operações com cães trabalha dentro das unidades prisionais, o emprego dos cães dentro desse corredor de segurança”.

Curso de Formação de Cabo do Exército Brasileiro, com instrução da Polícia Penal. Foto: Antonio Moura/Iapen.

O chefe da Divisão Penitenciária de Operações Especiais (DPOE), William Monteiro da Silva, um dos instrutores do curso, falou sobre as atividades que foram realizadas durante sua aula com os alunos: “Hoje estamos com o CFC, Curso de Formação de Cabos. Passamos o dia aplicando e mostrando, ensinando várias técnicas de revista, buscas pessoais, mostrando as diversas estruturas dos pavilhões que as nossas unidades dispõem. Esse treinamento é de essencial importância, pois futuramente podemos estar atuando junto com eles, como já aconteceu em 2019 na GLO”.

O coordenador de Operações e Treinamento do DSOE, Wendel Silva, e instrutor de APH falou sobre os procedimentos ensinados no curso de formação: “Nós estamos aqui com os guerreiros do curso de cabo do Exército e estamos passando para eles algumas técnicas de aplicação de torniquete e apresentando também o plano de evacuação. Esses dois protocolos que estamos passando para eles podem ser usados tanto na vida operacional, na vida laboral, como também na vida particular. É um conhecimento de suma importância que estamos repassando ao Exército Brasileiro”.

Instrução de APH durante curso de formação de cabo do Exército Brasileiro. Foto: Lucas Manoel/Iapen.

Comentários

Continue lendo

Geral

Mulher com mais de 40 pacotes de cocaína é presa em Sana Madureira

Publicado

em

A mulher recebeu voz de prisão e foi encaminhada para a Unidade de Segurança Pública de Sena para os procedimentos de praxe.

Uma ocorrência de tráfico de drogas foi registrada na tarde desta terça-feira (23) em Sena Madureira, interior do Acre. O caso se deu na Rua Enertina Souza Chaves, bairro Ana Vieira, e resultou na prisão em flagrante de uma mulher de 35 anos.

Conforme a capitã Ivanise Pontes, comandante do 8º BPM, o serviço de inteligência levantou informações sobre tal prática no referido endereço.

Ao chegar lá, mediante autorização expressiva do proprietário da casa, entraram no quintal e encontraram 44 pacotes de cocaína. Além disso, identificaram a proprietária da droga.

Em face do exposto, a mulher recebeu voz de prisão e foi encaminhada para a Unidade de Segurança Pública de Sena para os procedimentos de praxe.

Comentários

Continue lendo