Conecte-se conosco

Cotidiano

Setembro amarelo: prevenção ao comportamento suicida

Publicado

em

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o suicídio é a segunda maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos. Por esse motivo, o enfoque da campanha do Dia Mundial de Prevenção do Suicídio de 2019 será este público: os jovens. A data é celebrada em todo o mundo nesta terça-feira.

No Brasil, desde 2015, a prevenção ao suicídio tomou conta de todo o mês de setembro por meio do Setembro Amarelo, iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).

Em todo o mundo, mais de 800 mil pessoas morrem por suicídio todos os anos e, a cada adulto que se suicida, pelo menos outros 20 atentam contra a própria vida. Isso representa 1,4% das mortes no planeta (ainda de acordo com a OMS). Desde 2012, o suicídio tornou-se a 15ª causa de mortalidade entre a população geral.

O fenômeno do suicídio é multifacetado e de múltiplas determinações. O tema é considerado por muitos um tabu. Contudo, pesquisas evidenciam que falar sobre o suicídio não aumenta o número de casos – pelo contrário, informar a população e investigar sinais de alerta são fatores protetivos que diminuem a incidência de novos casos.

As causas que levam uma pessoa à tentativa de suicídio são complexas. Pesquisadores da área têm associado esse ato a algumas categorias de análise, como problemas financeiros, no trabalho, morte e adoecimento de parentes, doenças ou deficiências físicas, isolamento social ou familiares que tenham tendência ao suicídio – ou tenham tirado a própria vida.

Estão envolvidas questões socioculturais, genéticas, psicodinâmicas, filosófico-existenciais, ambientais e que frequentemente encontram-se associadas a transtornos mentais, sendo prevalentes os quadros depressivos e de uso de substâncias psicoativas.

No período de 2011 a 2015, foram registrados no Brasil 55.649 óbitos por suicídio segundo o Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM). No ano de 2017, foram notificados 11.433 casos. Sabe-se que existe subnotificação, o que faz com que boa parte das estatísticas sobre suicídios fiquem invisibilizadas.

O suicídio é considerado uma questão de saúde pública e uma das metas para sua redução foi lançada pela OMS, que propõe o desafio de diminuir em 10% esses óbitos até o ano de 2020.

Para lidar com esse fenômeno é necessário atuar em várias frentes. Por exemplo, é preciso ter estratégias de comunicação e sensibilização das pessoas. Também aumentar o acesso às diversas terapias existentes para os sintomas que precedem este ato. Na área profissional, estimular a pesquisa e a educação permanente de profissionais da saúde.

Outra questão importante trata do enfrentamento ao preconceito e estigma. Profissionais de saúde e comunidade em geral devem ser sensibilizados em relação ao sofrimento psíquico. É preciso desenvolver empatia e um olhar sem pré-julgamentos. Falar sobre o assunto e buscar ajuda são atitudes fundamentais para a prevenção do suicídio.


Autoras:
Ivana Maria Saes Busato, professora e coordenadora do curso superior de tecnologia em Gestão Hospitalar e de Gestão em Saúde Pública do Centro Universitário Internacional Uninter.
Luciana Elisabete Savaris, mestre em Saúde Coletiva pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), além de docente na área de Psicologia Social nas Faculdades Pequeno Príncipe.

Comentários

Cotidiano

Prefeito Tião Bocalom suspende temporariamente Lei destinada a lojistas do Shopping Aquiri

Publicado

em

 

O prefeito Tião Bocalom (PP) suspendeu, provisoriamente, o artigo 17 da Lei Complementar nº 92/2020, que impede comerciantes de vender ou transferir lojas adquiridas no Shopping Popular.

Conforme a prefeitura, o artigo 17 da Lei Complementar de julho de 2020 destaca que “Os contratos de concessões de uso de espaços públicos firmados anteriormente entre os comerciantes e o município de Rio Branco ficam automaticamente revogados após a inserção do comerciante no Aquiri Shopping”.

Bocalom disse que a medida será válida até sair um parecer jurídico da Procuradoria Geral do Município (PGM):

“Estamos buscando caminhos jurídicos para poder evitar tamanho prejuízo a essas pessoas que estão ali há tantos anos trabalhando e que têm o direito adquirido na nossa Lei Municipal. Então, está suspenso, por enquanto, até que tenhamos o parecer jurídico da PGM”, disse.

De acordo com o artigo, o lojista ficava impedido de vender ou fazer a transferência onerosa, além de, no caso de morte ou doença incapacitante, transferir o ponto comercial a um parente, o que vinha sendo criticado por muitos comerciantes.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Vasco confirma saída de cinco jogadores

Publicado

em

Se preparando para voltar a disputar a primeira divisão do Campeonato Brasileiro e com aporte financeiro em 2023, o Vasco deve reformular completamente o seu elenco para a próxima temporada. Seguindo essa lógica, o clube anunciou nesta quarta a saída de cinco jogadores: Bruno Tubarão, Danilo Boza, Fábio Gomes, Luiz Henrique e Raniel.

Todos os jogadores acima estavam emprestados ao cruzmaltino e não terão seus vínculos renovados. Raniel foi de longe o mais utilizado entre os dispensados, disputando 45 jogos e marcando 16 gols durante a temporada 2022. Danilo Boza disputou 17 partidas, Fábio Gomes nove, Bruno Tubarão dez e Luiz Henrique, por fim, 13.

Após decidir não renovar com Jorginho para a próxima temporada, o Vasco ainda não tem um treinador definido para 2023. Antes de definir reforços para o elenco, a diretoria deve buscar acordo com um nome para o comando técnico.

OGol

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Marrocos vence Canadá, conquista a liderança do Grupo F e volta às oitavas após 36 anos

Publicado

em

O Marrocos precisava apenas de um empate para avançar na Copa do Mundo, mas foi atrás de mais e venceu o Canadá por 2 a 1, com uma grande atuação no primeiro tempo. O resultado além de recolocar os africanos nas oitavas de final após 36 anos, também garantiu a primeira posição no Grupo F.

Na liderança, os marroquinos aguardam a definição do Grupo E para conhecer seu adversário nas oitavas de final. O Canadá se despediu da Copa mais uma vez sem pontuar com três derrotas.

Efetividade marroquina

Mesmo dependendo de apenas um empate para avançar, o Marrocos não se acomodou com o resultado e começou a partida em cima do Canadá. A ofensividade dos Leões do Atlas foi recompensada logo no início com uma grande falha da defesa adversária. Aos 4, o goleiro Borjan foi sair jogando e errou o passe, que caiu nos pés de Ziyech. O atacante marroquino mandou de primeira para o gol livre.

O gol cedo não abalou o Canadá que buscava sua primeira vitória em Copas do Mundo. Após sofrer a desvantagem, os Canucks equilibraram a posse de bola, passaram a construir jogadas com a bola nos pés e subiram a marcação contra o Marrocos.

O problema estava no efeito colateral da ofensividade canadense. Efetivo quando ia ao ataque, o Marrocos esperou o momento certo para dar seu segundo golpe. Aos 23, Hakimi encontrou belo passe e lançou En-Nesyri em velocidade, o atacante chegou antes da marcação e encheu o pé para estufar as redes: 2 a 0.

Com a vantagem ampliada, o Marrocos esperava ter ainda mais tranquilidade para administrar o resultado, mas os africanos viram o Canadá crescer o volume de jogo e descontar antes do intervalo. Aos 41, Larin fez jogada pela esquerda e cruzou forte, a bola desviou no zagueiro Aguerd e enganou o goleiro marroquino, no primeiro gol contra da Copa do Catar.

Vantagem assegurada e liderança confirmada

O Marrocos voltou elétrico para o segundo tempo. Procurando retomar a vantagem confortável, os Leões do Atlas intensificaram suas ações ofensivas e empurraram o Canadá para o campo de defesa. Sem a efetividade do primeiro tempo, a seleção não conseguiu manter o ritmo por muito tempo e viu mais uma vez o Canadá crescer na partida.

Mesmo eliminados, os canadenses não se contentaram com a derrota e equilibraram o confronto. Com mais posse de bola, os Canucks alugaram o campo de ataque e mudaram completamente o panorama do jogo. Sem ceder espaços para os contragolpes marroquinos, o Canadá martelou a defesa adversária em busca do empate.

Na melhor oportunidade, Hutchinson aproveitou escanteio para subir mais alto do que a defesa e cabecear no travessão. A bola caprichosamente respingou em cima da linha, mas não entrou. Na sobra, Johnston mandou por cima do gol.

Na reta final, o Canadá foi para o tudo ou nada para tentar conquistar ao menos seu primeiro ponto em Copas do Mundo. No desespero, as chances não apareceram, pelo contrário, foi o que teve a oportunidade Marrocos para ampliar a vantagem, mas não caprichou. No fim, o primeiro tempo recheado de gols definiu o resultado da partida. Melhor para os Leões do Atlas que voltam às oitavas da Copa do Mundo, fato que não acontecia desde 1986.

Comentários

Continue lendo

Em alta