fbpx
Conecte-se conosco

Cotidiano

Empresa Transacreana cumpre missão e retorna para CZS com equipe que se apresentou em Brasília

Publicado

em

Carreata ocorrida pela cidade de Cruzeiro do Sul com a equipe do Conservatório Musical do Juruá – Foto: Divulgação

A chegada de retorno após levar uma grande equipe do Conservatório Musical do Juruá até a Capital do Brasil, não poderia ser mais gratificante. Foram cerca de 80 crianças que se apresentaram para o presidente Jair Bolsonaro, Ministros e convidados.

A equipe também se apresentou no Supremo Tribunal Federal e Câmara dos Deputados. A alegria está estampada em cada rosto dos jovens e de cada um que esteve presente nesse momento inesquecível.

Neste meio, não poderia ficar de fora, o empresário Fernando Lorenzo Lamas, que disponibilizou dois dos novos ônibus da frota, para que esse sonho fosse realizado. “Estamos felizes em participar desse momento. A empresa de transporte coletivo Transacreana está crescendo junto com o Estado e estamos disponibilizando o que tem de melhor para o acreano”, destacou.

Empresário Fernando Lorenzo com o veículos que levaram a equipe para Brasília (DF).

Com a frota de ônibus modernos, a empresa trabalha priorizando sempre o conforto do cliente com ar condicionado, água mineral, banheiro e sistema WI-FI nos coletivos. A melhoria constante nos serviços, a valorização dos colaboradores e a preservação do meio ambiente são preocupações constantes da empresa.

O retorno dos jovens aconteceu no dia desta terça-feira (27), onde foram recebidos por populares e uma grande carreata pela cidade de Cruzeiro do Sul.

 

Comentários

Cotidiano

Palmeiras faz o que não fez em 2018, mas agora precisa superar seca de gols

Publicado

em

Por

O Palmeiras fez o que não conseguiu fazer no último duelo contra o Boca Juniors, pela semifinal da Copa Libertadores de 2018, em La Bombonera: não sofreu gols no estádio adversário. Assim, após um empate sem gols, chega vivo para o duelo decisivo em sua casa, o Allianz Parque.

No entanto, se o time de Abel Ferreira quiser avançar à final de maneira direta — sem precisar das penalidades — vai precisar fazer algo que não tem feito nos últimos jogos: gols

O que aconteceu?
Palmeiras só marcou dois gols nos últimos seis jogos. Desde que Dudu sofreu uma lesão grave no joelho, contra o Vasco, Abel não conseguiu encontrar soluções no elenco alviverde e deixou claro na entrevista coletiva que não confia nos jovens que subiram da base para esse tipo de jogo

Seca no Allianz Parque vira preocupação. Para passar do Boca, o Palmeiras precisa de uma vitória simples por um gol de diferença. Mas a equipe não conseguiu balançar as redes em seu estádio no mata-mata da Libertadores — empatou em 0 a 0 contra o Atlético-MG e o Deportivo Pereira quando jogou no Allianz. Pelo Brasileirão, a situação também não é animadora, já que as últimas vitórias no estádio foram magras: 1 a 0 contra Cruzeiro, Vasco e Goiás.

Pênaltis podem ser problema para o Palmeiras. Caso o Alviverde não consiga balançar a rede do Boca no jogo de volta. e a partida terminar em 0 a 0, o goleiro Chiquito Romero pode fazer a diferença. Com a camisa do Boca, ele pegou 10 de 19 penalidades e é um especialista no quesito com mais de 50% de aproveitamento em defesas de pênaltis.

Falta de inspiração no ataque foi refletida nos números do jogo contra o Boca. Enquanto o time argentino finalizou dezoito vezes no gol de Weverton (com sete no alvo), o Palmeiras só chutou nove vezes (com apenas dois no alvo).

Fala, Abel
Abel Ferreira tem utilizado Mayke como ponta e Artur invertido jogando pelo lado esquerdo desde a lesão de Dudu. Contra o Boca, a ideia do técnico português foi colocar o atacante mais próximo de Rony como referência no ataque, mas também não deu certo.

As justificativas para a falta de uma solução viraram as ‘faltas de opções’ no elenco. Abel tem jovens com potencial no banco de reservas, mas para este momento gostaria de contar com ‘jogadores pesados’.

Para esses jogos precisamos de jogadores pesados, jogadores com experiência. Vejam a média de idade das equipes que jogaram essas semifinais

Queria ter mais opções, infelizmente não temos. Dudu se lesionou, era um ponta, temos que olhar para as soluções. Hoje jogaram os melhores para enfrentar o Boca

Parece fácil estar na minha posição, pegar um moleque que há três meses estava na equipe B, que mal jogou na equipe A e colocar ele para jogar

Acredito nesses jogadores. Gostaria de ter mais opções, mas os moleques que temos no banco, esses jogos os ajudam a crescer. Se precisarmos de referência, vamos voltar a fazer o que fizemos e ser competitivos, como fomos hoje aqui

Abel Ferreira

Quer saber tudo o que rola com o Palmeiras sem precisar se mexer? Conheça e siga o novo canal do UOL dedicado ao time no WhatsApp.

A opção ainda não aparece para todos. A liberação do recurso pelo WhatsApp está ocorrendo de forma gradual e pode levar mais de um dia. Para saber quando o recurso estará disponível para você, abra nosso canal pelo celular e ative a notificação.

 

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Governo define limite para prestações do Minha Casa, Minha Vida

Publicado

em

Na Faixa 1, parcela máxima passa a ser de até 10% da renda familiar

A partir de agora, os participantes do Programa Minha Casa, Minha Vida, das faixas 1 e 2 nas modalidades urbana, rural e entidades sem fins lucrativos, pagarão parcelas máximas entre 10% e pouco menos de 15% da renda familiar na participação financeira do imóvel. As novas regras foram publicadas nesta quinta-feira (28) pelo Ministério das Cidades, no Diário Oficial da União.

Os beneficiários que têm renda familiar de até R$ 1.320 contribuirão com o valor do imóvel pagando parcelas de até 10% da renda familiar, sendo a prestação mínima de R$ 80. Para os beneficiários com renda familiar entre R$ 1.320 e R$ 4.400, as parcelas serão limitadas a 15%, menos R$ 66 desse valor. Os pagamentos dos imóveis pelos beneficiários serão feitos em até cinco anos, ou seja, em 60 parcelas.

A participação financeira do beneficiário é um dos valores que garantem o pagamento dos imóveis que integram o Minha Casa, Minha Vida. O governo, por meio dos Fundo de Arrendamento Residencial, Fundo de Desenvolvimento Social, do Programa Nacional de Habitação Urbana, participa com o subsídio de uma parte do valor total, que, a partir de agora, passa a ser o saldo restante do bem, para essas faixas de renda familiar em casos de habitações urbanas. As aquisições pelas modalidades rural e entidades sem fins lucrativos poderão ter as mesmas condições, em até 10% do total das unidades habitacionais contratadas pelo programa.

Ao participar, nesta quinta-feira (28), do Fórum Norte Nordeste da Indústria da Construção, o ministro das Cidades, Jader Filho, disse que, com a mudança, esse valor pode chegar a R$ 95 mil.

A portaria determina ainda que, além do subsídio, os beneficiários poderão usufruir dos descontos para habitação previstos na Lei do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), como o pagamento de uma entrada com esse recurso, o que diminuiria o valor da parcela.

Além dessa mudança, a portaria traz algumas medidas que já vinham sendo aplicadas nos novos contratos, mas ainda não estavam regulamentadas, como, a isenção de beneficiários do Bolsa Família, do Benefício de Prestação Continuada, além de pessoas que recebam a unidade por meio de assentamento ou atendimento em casos de calamidade pública, por exemplo. Para esses casos, o imóvel não pode ser vendido em um prazo de cinco anos.

Segundo informou Jader Filho, este ano, o Programa Minha Casa, Minha Vida já contratou 300 mil novas unidades habitacionais, quase a mesma quantidade do total de 380 mil contratadas no ano passado.A previsão é ultrapassar 450 mil novas unidades até o fim do ano.

O ministro destacou que esse número ainda sofreu o impacto do prazo legal para a retomada do programa, que só foi viabilizada em agosto. “A minha expectativa é que, no ano que vem, a gente supere ainda mais essa marca, haja vista que teremos um tempo maior para tornar essas unidades habitacionais uma realidade.”

Edição: Nádia Franco

 

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Guilherme Arana é convocado para defender o Brasil nas Eliminatórias

Publicado

em

Lateral substitui Caio Henrique, que sofreu lesão no joelho

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou nesta quinta-feira (28) que o lateral-esquerdo Guilherme Arana, do Atlético-MG, foi convocado pelo técnico Fernando Diniz para defender a seleção brasileira nos dois próximos jogos da equipe pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2026.

O jogador do Galo substitui no Brasil o lateral Caio Henrique, do Monaco (França), que foi desconvocado por causa de uma entorse no joelho.

A seleção brasileira mede forças com a Venezuela no dia 12 de outubro em Cuiabá e cinco dias depois com o Uruguai em Montevidéu. Com seis pontos após duas rodadas, o Brasil divide a liderança das Eliminatórias Sul-Americanas com a Argentina.

Edição: Fábio Lisboa

Comentários

Continue lendo

Em alta