“Tudo precisa estar pronto”. É com essa afirmação que o secretário de Educação, Cultura e Esportes, Mauro Sérgio Cruz, tem iniciado todas as reuniões para tratar das ações de planejamento para a retomada das aulas presenciais na rede pública estadual de ensino no Acre, ainda que sem data prevista.

Assim, o grupo de trabalho formado por representantes da Secretaria de Educação, Ministério Público, União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime/AC), Conselho Estadual de Educação (CEE) e Conselho de Diretores das Escolas Públicas do Acre (Codep) iniciou esta semana uma série de encontros para analisar e debater a proposta de Plano de Retomada das Aulas Presenciais elaborada pela equipe da secretaria.

“Nós só retornaremos quando for seguro para todos, mas enquanto isso temos que deixar tudo pronto” – Mauro Sérgio Cruz, secretário de Educação Foto: Cedida
Mais uma vez, Mauro Cruz destacou as ações de ensino remoto ou não presencial que estão sendo reforçadas e melhoradas: “Parceria com o Google Sala de Aula, formação para os professores e internet para alunos e professores são algumas iniciativas que estamos viabilizando e acrescentaremos ao trabalho que está sendo realizado”, disse.

Para o presidente do Codep, Vanderlei Rocha, as reuniões são também uma oportunidade para discutir melhor o ensino remoto e a carga horária a ser considerada. “As escolas têm se esforçado muito para garantir a qualidade no ensino e acompanhar o desenvolvimento da aprendizagem dos alunos, mas a questão da carga horária a ser cumprida é sempre uma preocupação. E é também uma dúvida dos professores, que chegam até nós pedindo informações. Então, precisamos estar orientados”, relata.

A rede estadual tem trabalhado até o momento com a contagem de 25% da carga horária total anual, sendo contabilizada de forma remota. Esse índice foi assegurado pelo CEE por meio do parecer n.º 17/2020 de 31 de julho de 2020 e agora entrará novamente em análise para ser ampliado.

Formação do Grupo de Trabalho foi definido pelo Fórum Estadual de Educação Foto: Cedida

Segundo a diretora de Ensino da SEE, Denise dos Santos, o programa Escola em Casa, que leva aos estudantes os conteúdos de todas as etapas de ensino por meio de videoaulas, audioaulas e da plataforma Educ (www.educ.ac.gov.br) deverá permanecer.

“Um aditivo ao contrato com a emissora de televisão que está transmitindo as aulas até dezembro já foi autorizado e nós estamos também com várias ações de formação para os nossos professores, não só para o uso das tecnologias mas também voltadas à saúde física, emocional e ao autocuidado, por meio de parcerias com instituições de renome nacional e também elaboradas pelos técnicos da secretaria”, ressaltou Denise Santos.

As equipes da SEE seguem também com o levantamento em relação à adaptação da estrutura física das escolas para a instalação de lavatórios e totens para álcool em gel, além dos processos para a aquisição de máscaras, tapetes sanitizantes e termômetros, entre outros itens recomendados pelos órgãos de saúde.

Comentários