fbpx
Conecte-se conosco

Cotidiano

Avião pousa em fazenda e deixa 419 kg de “supermaconha”; gerente, empregado e motorista foram presos

Publicado

em

Uma fonte policial ouvida pela reportagem, cerca de 10 dias atrás o Núcleo de Inteligência da PM de Vilhena recebeu a informação de que a droga seria arremessada na fazenda

Dono da propriedade rural não tem qualquer participação no crime.

A reportagem acaba de obter informações sobre a apreensão de 419 kg de drogas (maconha e skunk, erva conhecida como “supermaconha”) em uma fazenda a cerca de 50 km da área urbana de Vilhena no início da tarde de sexta-feira, 28.

O gerente e um funcionário da propriedade, que fica às margens da BR 435, foram presos juntamente com o motorista de um caminhão boiadeiro que iria transportar o entorpecente. Tanto o produto quanto os suspeitos presos foram apresentados na Unisp de Vilhena, onde prestaram depoimento, cujo teor é mantido em sigilo.

Segundo uma fonte policial ouvida pela reportagem, cerca de 10 dias atrás o Núcleo de Inteligência da PM de Vilhena recebeu a informação de que a droga seria arremessada na fazenda, que passou a ser monitorada desde então por uma equipe de mais de 20 policiais.

___________________

Por volta do meio dia, um avião sem prefixo desceu em uma pista de pouso da propriedade e, em menos de 5 minutos, o carregamento já havia sido retirado. Enquanto a aeronave, que provavelmente havia decolado da Bolívia, levantava voo, a erva era colocada no caminhão.

__________________

Quando os policiais iam fazer a apreensão, o motorista do veículo boiadeiro tentou fugir para a fundiária da fazenda, mas os três suspeitos, com a droga a bordo, foram presos em flagrante. Apesar da participação do gerente de 48 anos no esquema, o dono da fazenda não tem qualquer envolvimento com o crime.

Com base nessa informação, a fazenda passou a ser monitorada durante 10 dias, sendo coletados dados pelos policiais civis e militares que constataram a existência de uma pista de pouso com um tanque de abastecimento instalado no imóvel.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Varejistas antecipam taxação de compras de até US$ 50 para sábado

Publicado

em

No fim de maio, a Câmara dos Deputados aprovou a taxação federal de 20% como uma emenda à lei que criou o Programa Mover, de incentivo à indústria automotiva. O Senado aprovou o texto no início de junho.

Medida provisória estabelece início da cobrança em 1º de agosto. Foto montagem/internet

Alegando uma defasagem entre o momento da venda e do registro de declarações alfandegárias, alguns sites de compras no exterior começarão a cobrar no sábado (27) o Imposto de Importação de 20% sobre as compras de até US$ 50 no exterior. Oficialmente, a cobrança começa em 1º de agosto.

A AliExpress e a Shopee confirmaram a intenção de cobrar a taxa a partir de sábado. A Shein só iniciará a cobrança à meia-noite de 1º de agosto. A Amazon ainda não informou a data em que começará a tarifação.

“Tendo em vista o prazo necessário para o ajuste das declarações de importação, de acordo com a nova regulamentação, todos os pedidos de compras efetuados na plataforma do AliExpress a partir do dia 27 de julho irão contemplar as novas regras tributárias”, informou a empresa em nota.

“A taxa [de 20%] será aplicada a partir do dia 27, visto que os pedidos terão a DIR [Declaração de Importação de Remessas] emitidas a partir do dia 1º de agosto. Manteremos a transparência em nossas comunicações com os nossos consumidores, os valores serão calculados e detalhados na finalização da compra”, explicou a Shopee. A companhia informou que nove em cada dez compras na plataforma são de produtos vendidos por varejistas brasileiros e que a taxação só afetará os 10% de consumidores que compram do exterior.

A Shein informou que seguirá rigorosamente a legislação e só começará a cobrar em 1º de agosto, mesmo com um intervalo entre a venda e a declaração à Receita Federal. “A situação prática é de que compras feitas até dois ou três dias antes dessa data poderão ser tributadas com o novo imposto de importação já que existe um intervalo entre o momento da compra e a declaração à Aduana”, informou a companhia.

Cálculo

Pelas regras aduaneiras, o Imposto de Importação de 20% incidirá sobre o valor do produto, incluídas cobranças de frete ou de seguro. Os 17% de Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), tributo arrecadado pelos estados desde julho do ano passado nas compras eletrônicas, vão ser cobrados após somar o valor da compra e o Imposto de Importação.

Histórico

Desde agosto do ano passado, as compras de até US$ 50 em sites internacionais eram isentas de Imposto de Importação, desde que os sites estivessem inscritos no Programa Remessa Conforme, que garante liberação acelerada da mercadoria. As transações, no entanto, pagavam 17% de Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), tributo arrecadado pelos estados, com as guias sendo cobradas pelos sites ainda no exterior.

No fim de maio, a Câmara dos Deputados aprovou a taxação federal de 20% como uma emenda à lei que criou o Programa Mover, de incentivo à indústria automotiva. O Senado aprovou o texto no início de junho.

No último dia 22, o secretário da Receita Federal, Robinson Barreirinhas, disse que o Fisco ainda aguarda o início da cobrança para estimar quanto o governo deve arrecadar com a taxação das compras no exterior. A projeção, informou Barreirinhas, será incluída na edição de setembro do Relatório Bimestral de Receitas e Despesas, documento divulgado a cada dois meses que orienta a execução do Orçamento.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

União Europeia fará doação de R$ 120 milhões ao Fundo Amazônia

Publicado

em

Preservação da Amazônia, área que abriga 25% da cobertura de florestas tropicais do planeta, onde vive uma população de aproximadamente 29 milhões de habitantes

Iniciativa contribuirá para acelerar combate ao desmatamento, diz UE

Alana Gandra

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a União Europeia (UE) vão estreitar parcerias com foco no apoio ao desenvolvimento sustentável e aos investimentos no Brasil. Com esse objetivo, o presidente do banco, Aloizio Mercadante, e a comissária da União Europeia para Parcerias Internacionais, Jutta Urpilainen, assinaram carta de intenções durante o IV Fórum Brasil-União Europeia, realizado na sede do BNDES.

A carta constitui mais um passo no processo de formalização de uma doação da União Europeia no valor de 20 milhões de euros, ou cerca de R$ 120 milhões, ao Fundo Amazônia .

Para Mercadante, trata-se de uma sinalização muito importante porque significa contribuição do conjunto dos 27 países que fazem parte da União Europeia. “Tem um significado maior, dá muito respaldo e credibilidade ao Fundo Amazônia, que se consolidou por ter uma gestão transparente, eficiente, responsável, e por responder a uma das principais demandas, que é a dramática crise climática do planeta. Nós reduzimos em 50% o desmatamento; é por isso que essas contribuições estão sendo fortalecidas”, afirmou.

A comissária Jutta Urpilainen disse que a Comissão Europeia está feliz em se juntar aos estados-membros da UE, que recentemente anunciaram contribuições ao fundo. “Nosso compromisso deverá respaldar os esforços do governo brasileiro e vai possibilitar a aceleração da luta contra o desmatamento.”

Mercadante destacou a importância da preservação da Amazônia, área que abriga 25% da cobertura de florestas tropicais do planeta, onde vive uma população de aproximadamente 29 milhões de habitantes. “Além de ser a maior floresta tropical existente, a Amazônia é decisiva no equilíbrio do clima e esses recursos permitem, ainda, a conectividade das populações ribeirinhas, comunidades indígenas e quilombolas que vivem na Amazônia.”

Recorde de investimentos

O Fundo Amazônia tem, atualmente, recursos no montante de R$ 3,9 bilhões. No ano passado, o fundo bateu recorde de investimentos em novas ações, após quatro anos desativado, e hoje apoia 114 iniciativas, que vão do Arco da Restauração (maior projeto de restauro de florestas nativas) ao fortalecimento do Corpo de Bombeiros no enfrentamento a incêndios , além do combate ao crime organizado na região.

Os recursos destinados aos projetos não são reembolsáveis. Cerca de 240 mil pessoas serão beneficiadas com atividades produtivas sustentáveis, informou a assessoria de imprensa do BNDES.

Aloizio Mercadante anunciou ainda que foram concluídas as negociações com o Banco Europeu de Investimentos para o financiamento, “em condições muito favoráveis”, de 300 milhões de euros, também vinculado à transição energética, economia verde e transição digital.

“É um empréstimo bem importante. Nós já concluímos a garantia soberana do Ministério da Fazenda, e agora vai para o Senado Federal. Assim que for aprovado pela comissão, estarão liberados os recursos. É mais dinheiro para nossa economia”, disse Mercadante.

Alemanha

O governo da Alemanha e o BNDES anunciaram a liberação de cerca de R$ 88 milhões (15 milhões de euros) ao Fundo Amazônia, por intermédio do banco estatal de investimento e desenvolvimento KfW. Além de ampliar os recursos destinados ao fundo, a Alemanha se torna o primeiro país parceiro do Brasil com adesão ao Programa Floresta Viva, iniciativa liderada pelo BNDES para restauração ecológica de biomas brasileiros.

Para o Fundo Amazônia, esta é a segunda parcela da doação contratada no final de dezembro de 2022, logo após as eleições presidenciais no Brasil, em iniciativa que marcou a retomada do apoio internacional ao fundo. A nova parcela se soma a cerca de R$ 107 milhões (20 milhões de euros) que foram liberados pela Alemanha para o fundo, em outubro de 2023.

A liberação dos R$ 88 milhões é a última contribuição realizada pelo governo alemão, segundo maior doador do Fundo Amazônia, com cerca de R$ 380 milhões em doações em valores históricos, que superam R$ 500 milhões quando convertidos ao câmbio atual.

Os recursos do governo alemão somam-se às contribuições dos demais doadores do Fundo Amazônia, que são Noruega, Petrobras, Suíça, Estados Unidos e Japão, além da própria Alemanha, e daqueles ainda a serem desembolsados pelo Reino Unido. Tais recursos reforçam as ações do Fundo Amazônia, considerado hoje o maior instrumento de redução de emissões decorrentes do desmatamento e degradação florestal (REDD+) no mundo.

Floresta Viva

Para o Programa Floresta Viva, o BNDES receberá recursos também do Ministério Federal da Cooperação Econômica e do Desenvolvimento da Alemanha (BMZ), por meio do KfW, no valor de 15 milhões de euros, que serão destinados à execução de projetos para aumento da cobertura vegetal com espécies nativas em todos os biomas brasileiros, desde a coleta de sementes, passando por viveiros florestais até os plantios.

O programa já lançou os primeiros editais referentes aos biomas de Manguezais, Cerrado, Pantanal e Mata Atlântica.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Caminhão com carga de refrigerantes tomba na BR-364 e população saqueia carga

Publicado

em

Acidente ocorre na tarde desta terça-feira (23) e envolve saque em massa, mesmo com a presença da Polícia Rodoviária Federal

A PRF foi acionada e registrou a ocorrência, confirmando que não houve vítimas, apenas danos materiais.

Na tarde desta terça-feira (23), um caminhão bi-trem carregado com fardos de refrigerantes tombou na BR-364, em Itapuã D’Oeste, a aproximadamente 110 km de Porto Velho, capital de Rondônia.

Dezenas de pessoas saqueando a carga, mesmo na presença de equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), às margens da BR-364, na saída do município. A notícia se espalhou rapidamente, atraindo diversos moradores, incluindo crianças e adultos, que participaram do saque.

Segundo testemunhas, o acidente ocorreu quando a parte traseira do bi-trem se desprendeu e tombou na lateral da rodovia, espalhando a carga pelo local. A PRF foi acionada e registrou a ocorrência, confirmando que não houve vítimas, apenas danos materiais.

A notícia se espalhou rapidamente, atraindo diversos moradores, incluindo crianças e adultos, que participaram do saque.

Comentários

Continue lendo