Casa-Civil
João Renato Andrade | Rio Branco (AC)
De acordo como presidente da entidade, Nonato Santos, a categoria deve acampar, a partir do próximo dia 22 de abril, em frente ao gabinete do governador, sede do Poder Executivo estadual, localizado no Centro de Rio Branco (AC), como protesto ao atraso nos pagamentos das empresas que prestam serviços ao governo acreano.

“Esses atrasos já duram dois meses. Nós já procuramos as empresas mas elas não tem dinheiro para pagar. Já entramos inclusive com ações no Ministério Público do Trabalho, mas a empresa se negou, por exemplo, a assinar o TAC, que é o Termo de Ajuste de Conduta, isso porque eles já sabem que se assinarem, não vão puder cumprir com o acordo durante todo o ano. A previsão deles já é de atraso”, alega o representante da classe.

unnamedO presidente foi taxativo ao dizer que mais de 400 trabalhadores podem ser demitidos já nos próximos dias, visto que a maioria já está sob Aviso Prévio, o que coloca em ainda mais evidência a crítica situação dos trabalhadores. “Agora, no dia vinte e dois, nós vamos acampar efetivamente em frente ao gabinete lá do governador. Queremos uma providência. São mais de quatrocentas famílias nessa situação”, afirma.

O Sindicato exige do governador Sebastião Viana, do PT, que haja comprometimento público para que as dívidas sejam quitadas junto à empresas, situação que evitará a demissão em massa e regularizará a situação salarial dos trabalhadores.
Procurada, a Secretaria de Estado de Gestão Administrativa (SGA), responsável pelos pagamentos, explicou que realmente existia a pendência, contudo, o pagamento deve ser realizado no máximo até o próximo dia 17 de abril, sexta-feira.

Comentários