fbpx
Conecte-se conosco

Extra

Caminhos do Acre: a variante que virou estrada

Publicado

em

“Quando chegamos aqui há 40 anos, usávamos o terçado para andar na estrada, por causa do mato. Agora o asfalto tá chegando e isso é bom”.
A afirmação acima, da produtora rural Maria Isabel de Oliveira, diz muito sobre a importância da pavimentação da estrada da variante em Xapuri, sonho dos moradores do município que já soma mais de três décadas de expectativas e que na gestão Gladson Cameli deixou de ser sonho para se tornar realidade.

Estrada da Variante está sendo construída com recursos de emendas e vai mudar a vida da comunidade. Foto: Pedro Devani/Secom

Natural de Minas Gerais, Maria Isabel não é de muita conversa solta e demonstra, ao falar, um pouco de ceticismo com a obra, fruto de tantos anos de espera. Ela veio para o Acre antes de completar 15 anos e aqui casou com um peão de fazenda, morou em alguns lugares até se fixar nas terras onde mora há 40 anos, a dois quilômetros da Br-317 e, ainda, dentro das terras da Fazenda Paraná.
“Viver aqui é muito bom. Criei meus três filhos aqui. Um é do Corpo de Bombeiros e as gêmeas são da Polícia Civil. Já fui tentar morar pra estrada de Brasileia, mas voltei. Depois que meu marido morreu, raramente saio daqui, mas meu filho vem todo dia”, conta Maria Isabel, lembrando que vive do gado.

Maria Isabel mora na estrada da Variante há mais de 40 anos e está feliz com o asfalto. Foto: Marcus Vicentti/Secom

“Só saio daqui pro cemitério”, diz Maria Isabel, que sobre o asfalto é mais reticente no falar: “O asfalto é uma ótima coisa e acabou o problema de sair da fazenda, mas eu saio pouco”.

Asfalto na Variante deixou de ser sonho para se tornar realidade. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Já para Andreina de Lima Souza, natural de Xapuri e há pouco mais de um ano morando em uma colônia na Variante, onde seu marido é o caseiro, não esconde a alegria com o asfalto na porta de casa. Segundo ela, no inverno, ninguém saia de casa para a cidade, mesmo morando tão perto.
“O asfalto melhorou muito a nossa situação. No inverno a gente só saia de moto e se não tivesse chovido. Agora eu posso ir com frequência à cidade visitar minha família, fazer as compras sem risco de atolar”, conta Andreina, que gosta de morar na Variante por ser “uma área muito tranquila, graças a Deus”.

Andreina de Lima agora pode ir e vir à cidade sem medo de não conseguir voltar. Foto: Marcos Vicentti/Secom

A obra e seus benefícios

A pavimentação da Variante  é uma das obras estratégicas do mandato do governador Gladson Cameli, que firmou compromisso com a comunidade para sua execução.

A nova Variante, mesmo ainda não estando concluída, como se observa pelos depoimentos de moradores, já está transformando a realidade local.

Facilidade de acesso e garantia de escoamento da produção estão garantidos com a nova Variante. Foto: Pedro Devani/Secom

A obra contempla a implantação e a pavimentação de 17,5 quilômetros da Rodovia AC-380, do entroncamento até a BR-317, com um investimento de R$ 24 milhões, fruto de  emenda parlamentar do senador Márcio Bittar.

“A pavimentação da variante é uma prova de como a união gera bons frutos. A obra está gerando trabalho e renda e tira do isolamento os moradores da região que sonham com o asfalto há mais de 30 anos” destaca o governador Gladson Cameli.

Governador Gladson tem priorizado obras estruturantes para os municípios acreanos. Foto: José Caminha/Secom

Cameli, aliás, tem mantido um permanente diálogo com as duas empresas que atuam na construção. “Esse diálogo é fundamental para que a obra avance  e melhore a infraestrutura do município, movimentando a economia”.

Prioridades da gestão

A importância econômica das obras da Variante não pode ser subestimada. De acordo com o presidente do Departamento de Estradas de Rodagem, Infraestrutura Hidroviária e Aeroportuária do Acre (Deracre), Sócrates Guimarães, o asfaltamento não facilita apenas o acesso de produtores rurais à cidade, como também os caminhos para o escoamento eficiente da produção agrícola e para a pecuária, fortalecendo a economia local.

Acesso a Xapuri pela variante garante escoamento da produção. Foto: Marcos Vicentti/Secom

“Essa obra é um sonho da população de Xapuri e um compromisso do governador Gladson Cameli e do senador Márcio Bittar em garantir o acesso dos produtores rurais dessa região, como também de fortalecer a economia acreana”, enfatiza Sócrates Guimarães.

Avanços

Os trabalhos na estrada da Variante estão sendo executados  pelo consórcio Laranjeiras,  formado pelas empresas MSM – Pedra Norte e Marts Transportes. De acordo com o encarregado da obra em campo, Evilmar Chagas, 80% da obra já está concluída.

Construção das galerias avança e garante qualidade da obra. Foto: Marcos Vicentti/Secom

“Falta concluir as obras de arte de galeria e uma parte do asfalto. Mas até junho de 2024 estará pronta e a estrada completamente asfaltada”, diz Chagas que hoje trabalha com 12 operários em campo, preparando as galerias para que a parte do aterro e sub base na área dos cinco igarapés que cortam a estrada possam ser concluídas.

Qualidade do serviço é garantida por fiscalização do Deracre. Foto: Marcos Vicentti/Secom

No momento, estão sendo construídas três galerias de grande porte, duas de médio e uma de pequeno porte. As galerias são importantes porque evitam pontos de alagamento na estrada na cheia dos igarapés que vêm de muitas fazendas da região e desaguam no Rio Acre, que fica próximo à variante.

Comentários

Extra

Prefeita Fernanda Hassem e Deracre visitam Ponte Metálica Interditada em Brasileia para avaliação emergencial

Publicado

em

O município de Brasiléia, localizado no estado do Acre, enfrenta grandes desafios devido à maior alagação do Rio Acre que atinge mais de 15 mil pessoas.

Mesmo com a chegada da vazante na quarta-feira, 28, o rio ainda não saiu da condição de transbordamento e a ponte José Augusto continua internada.

Nesta quinta-feira 29, a prefeita Fernanda Hassem e o deputado Tadeu Hassem estiveram reunidos com o presidente do Departamento de Estradas de Rodagem do Acre (Deracre), Sócrates Guimarães, para discutir as medidas emergenciais necessárias que garantam a segurança e a funcionalidade da ponte.

A equipe liderada pela prefeita Fernanda Hassem e pelo deputado Tadeu Hassem, acompanhada por engenheiros do Deracre, fizeram uma minuciosa vistoria para avaliar as condições estruturais da Ponte José Augusto.

A equipe de engenharia do Deracre e Defesa Civil estão fazendo essa inspeção e avaliação a pedido do governador que esteve aqui ontem. A ponte, além de ser o único acesso terrestre, também sobre ela, passam as redes de abastecimento de água e de alimentação.

Fernanda Hassem falou da força-tarefa composta por equipes do Corpo de Bombeiros, membros da Defesa Civil municipal e populares, que realizaram desobstrução da Ponte José Augusto. No entanto, será necessária uma nova ação, visto que continua descendo uma grande quantidade de entulhos.

Comentários

Continue lendo

Extra

Polícia Civil é acionada para resgatar dois corpos em decomposição dentro de igarapé em Brasiléia

Publicado

em

Moradores do Ramal Nazaré, localizado na parte alta da cidade de Brasiléia, acionaram a Polícia Civil sobre a localização de dois corpos já em estado de decomposição avançada em um local de difícil acesso, dentro de um igarapé.

Uma equipe de agentes junto com Bombeiros se deslocou até o local, onde puderam confirmar a veracidade dos fatos, sendo necessário a utilização de um barco para poder retirar os corpos que estavam próximos um do outro dentro da água.

A cena inicial, se acredita em uma possível execução, mas, somente após os exames periciais poderão dizer a forma do duplo assassinato. Duas fotos que estão circulando nas redes sociais podem ser de dois jovens que estão desaparecidos a cerca de cinco dias.

As primeiras informações que estão sendo levantadas, mas, não são oficiais por enquanto, são que os jovens seriam de uma facção criminosa e foram vistos pelo bairro e depois desapareceram.

Foi informado que os familiares dos jovens desaparecidos serão chamados para tentar ajudar na identificação, como tatuagens, roupas ou sinais de nascença, uma vez que os rostos estavam muitos desfigurados devido a decomposição.

O delegado plantonista e sua equipe de investigadores já estão trabalhando para identificar os corpos e tentar identificar os possíveis executores nos próximos dias. os corpos serão transferidos para o IML na Capital, onde passaram pelo serviço forense e somente depois liberados aos familiares.

Comentários

Continue lendo

Extra

Governador Gladson Cameli visita Brasileia para prestar apoio às famílias alagadas, enquanto Rio Acre apresenta sinais de vazante

Publicado

em

“O momento é de solidariedade, união e forte presença do Estado”, declarou o governador do Acre, Gladson Cameli, durante sua visita à cidade de Brasileia realizada na tarde desta quarta-feira, 28.

O município de Brasileia é um dos mais impactados pela cheia histórica do Rio Acre, que afeta significativamente a região do Alto Acre. Os municípios de Assis Brasil e Epitaciolândia também foram atingidos.

Em menos de um ano, Brasileia enfrenta a segunda alagação, atingindo mais de 75% de seu território e cerca de 50% da população. O Rio Acre chegou a atingir a marca de 15,58m na medição das 12h desta quarta-feira, 28. Segundo a Defesa Civil Estadual, na medição do Rio Acre das 18h, o manancial apresentou três centímetros de vazante, alcançando a marca de 15,55m.

Durante visita, Gladson agradeceu o apoio de todos os envolvidos nos trabalhos. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Segundo o governador Gladson Cameli, o presidente em exercício, Geraldo Alckmin, disponibilizou a estrutura federal por meio do Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional, com Waldez Góes como titular.

Gladson fez um alerta à população da capital. “Saibam que a tendência dessas águas daqui é chegarem em Rio Branco e, com isso, aumentar o número de desabrigados”, destacou.

Moradores de Brasileia agradecem emocionados o apoio do governo. Foto: Marcos Vicentti/Secom

A prefeita da cidade, Fernanda Hassem, afirmou que o momento é crítico. “Hoje, estamos com nossa cidade quase toda inundada e isolada, com várias comunidades rurais atingidas”, declarou.

A prefeita apresenta ao governador os números da cheia. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Fernanda ressaltou que, mesmo diante da catástrofe, a união de todas as instituições, empresas e cidadãos tem feito a diferença para minimizar os impactos da cheia. “Montamos um comitê de crise, recebemos o secretário de Agricultura, o Tchê, com a estrutura do Estado, para atender as pessoas e prestamos mais ajuda humanitária”, declarou.

Grupo de jovens se despedem do governador cantando músicas de esperança. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Comentários

Continue lendo






Em alta