Conecte-se conosco





Extra

Após crise com imigrantes, caminhoneiros se amontoam na fronteira com o Peru

Publicado

em

Uma comissão formata por caminhoneiros e represetantes de transportadoras estiram com o prefeito de Assis Brasil, para pedir ajuda – Fotos: Raylanderson Frota

Parece que a crise na fronteira do Acre com o Peru não tem data para acabar e só tende a aumentar ainda mais. Depois que os imigrantes foram barrados na ponte da amizade desde do ano passado e tentaram entrar a força, as coisas só pioraram.

Com o bloqueio total da ponte, mais um problema está aparecendo relacionado aos caminhoneiros que estão desde o conflito acontecido a cerca de duas semanas, parados na Aduana brasileira e peruana sem ter como passar.

O lado brasileiro, são cerca de 40 veículos de vários tipo de transporte, como combustível, produtos para construção e até alimentos. Boa parte disso, tenta chegar no lado boliviano de Pando, que faz divisa com Brasiléia e Epitaciolândia.

O prefeito da pequena Assis Brasil, que tem menos oito mil habitantes, sofre com o aumento de imigrantes na cidade. Desde o ano passado, alguns foram acomodados em um escola e vem sendo alimentados pelo Município e recebem pouco auxílio do governo federal.

Foi informado que o prefeito está acionando a Justiça para que removam os imigrantes de cima da ponte, pois estão causando transtornos de várias formas e agora, com o caminhoneiros que estão a cada dia, aumentando na fronteira.

A cada dia parados na fronteira é um prejuízo além do perigo desses caminhões que transportam combustível oferecem. Se junta a esse problema, o eminente desabastecimento na cidade de Cobija e já causa preocupação às autoridades pandinas.

Barracas de imigrantes dificultam a passagem dos veículos pesados para ambos os lados – Foto: Raylanderson Frota.

Uma comissão envolvendo caminhoneiros e representantes de transportadoras, juntamente com representantes da PRF e o prefeito de Assis Brasil, se reuniram no gabinete para tentar buscar uma solução sobre o caso, que depende exclusivamente das autoridades do Peru.

Também foi informado que a quantidade de imigrantes tem diminuído, mas, um grupo de aproximadamente 100 pessoas ainda estão acampados sobre a ponte na esperança de poder passar, impedindo a passagem dos veículos.

Veja vídeo reportagem com Almir Andrade.

Comentários

Em alta