Foto: Assessoria
Foto: Assessoria

Da Assessoria

Vamos aumentar essa diferença pra 16, 17, 18 e até mais por cento em favor do Gladson, para termos um cabo eleitoral de luxo no segundo turno”, disse nessa segunda-feira, 15, o candidato a governador Marcio Bittar (PSDB), da Coligação por Um Acre Melhor, numa reunião com candidatos de sua aliança, se referindo a dianteira na qual se coloca na disputa para o Senado o candidato de sua coligação, Gladson Cameli (PP).

O encontro aconteceu num buffet em Rio Branco, onde antigamente funcionava o aeroporto, e serviu como propulsão moral nesta reta final de campanha. 156 dos mais de 200 candidatos assinaram presença.

Marcio Bittar chacoalhou o ego dos seus candidatos durante a reunião e, ao final, o resultado foi visível. “Não tem como não sair daqui empolgado. Vamos ganhar o senado e o governo, se Deus quiser”, afirmou o candidato a deputado estadual Moreira da Farmácia, do PSD. Moreira, como os demais, ouviu o discurso do candidato ao senado e do candidato a governador, para se comover com a luta contra três forças que usam bem a máquina do Estado em eleições: governos federal, estadual e municipal. “Irmãos, nós conseguimos aquilo que parecia impossível, reunir tantos partidos pela oposição. Agora precisamos ganhar o governo e o Senado e isso só acontecerá se a gente continuar unidos, como tem acontecido desde o inicio da campanha”, disse Bittar.

A reunião motivacional foi providencial em relação ao tempo. Faltam apenas três semanas para as eleições e chegou o momento de a aliança estar mais unida, segundo Marcio Bittar, que conta como certa sua ida para o segundo turno, baseado em pesquisas do Instituto Delta, o único que acertou todas as pesquisas nas últimas três eleições. “Vamos para o segundo turno, os números dizem isso, e no segundo a gente ganha”, afirmou.

Com relação ao candidato ao Senado, Marcio Bittar pediu todo o empenho dos candidatos, para que a diferença em favor de Cameli seja a máxima possível. “Com o Gladson bem eleito, a gente entra na disputa do segundo turno com um adversário já derrotado, com um resultado favorável a oposição na disputa pelo Senado, e com nosso senador disposto a pedir votos. Isso será meio caminho andando”, disse.

A reunião desta segunda-feira serviu, também, para desmoronar um desejo do governo petista, de ver o candidato ao Senado, Gladson Cameli, longe de Marcio Bittar. “Estamos mais do que juntos. Façam uma aposta grande sonhando que eu vou abandonar o Marcio no segundo turno. Eu ganharei o dinheiro dessa aposta”, desafiou Cameli.

No final do encontro, outro convite ao grupo de candidatos, dessa vez para a passeata desta quarta-feira, 17, chamada antecipadamente de Caminhada da Mudança, com concentração a partir das 14h30min, na Rua Rio Grande do Sul, em frente ao Cristo Redentor. Candidatos, dirigentes de partidos e militantes vão fazer uma andança pelo centro de Rio Branco para demonstrar o compromisso com as duas candidaturas majoritárias.

Comentários