Conecte-se conosco





Geral

Polícia Militar do Acre poderá voltar a usar a farda antiga, com destaque para o azul escuro

Decisão foi tomada por uma comissão de policiais e aprovada pelo Estado Maior

Publicado

em

Por acrenews

A Polícia Militar do Acre deverá voltar a vestir a farda tradicional, a de cor azul escuro. Além da farda, os logradouros onde a polícia trabalha, a começar pelo quartel geral, em Rio Branco, também voltarão às cores antigas, que marcaram a história da PM. Aos 105 anos de idade, o fardamento deverá estar passando por sua terceira mudança de cor, aproximadamente. O atual comando mandou fazer um levantamento histórico para precisar essas variantes. Inclusive isso deverá resultar em um livro, segundo informou o comandante, coronel Paulo César Gomes.

A mudança atual seria, segundo o atual comando, um resgate histórico, com objetivo de valorizar as tradições dos mais de cem anos da PM.

Comandante-geral da Polícia Militar do Acre, coronel Paulo César Gomes da Silva

O comandante Paulo César Gomes informou que o regulamento em construção nesse momento, chamado de identidade visual das viaturas operacionais e administrativas, está sendo feito por uma comissão de policiais e é julgado pelo Estado Maior, formado por oficiais com parentes acima de majores. A decisão, segundo ele, passa distante de preferências políticas. É coisa bem particular da tropa, um trabalho histórico.

A padronização de viaturas e prédios da polícia, que levou a comissão a mudar também a cor da farda, devem ainda passar pelo crivo do governador Gladson Cameli (Progressistas), que gosta do tradicionalismo. Ele informou, entretanto, que respeitará as decisões tomadas pela comissão, formada por pessoas que vivem o dia a dia do combate ao crime nas ruas, a própria polícia.

HISTÓRIA RESUMIDA DA POLÍCIA MILITAR

A Polícia Militar está presente nos 22 municípios acreanos, para fazer cumprir a ordem e a disciplina. Os militares que estão à frente dos quartéis e postos policiais trabalham interruptamente, dia e noite, quer faça chuva, ou sol, para fazer cumprir a lei e combater à criminalidade nas periferias e nas zonas mais centrais das cidades. Fazem os patrulhamentos das estradas, florestas e rios, independente dos obstáculos que surjam no caminho. “A nossa Polícia Militar é a personificação do Estado na defesa e na proteção das pessoas e seus integrantes representam a verdadeira presença física do Estado no cumprimento da garantia da lei e da ordem”, declara o comando.

A Corporação da Polícia Militar do Acre (PMAC) surgiu das antigas Companhias Regionais de Polícia, constituída em 25 de maio de 1916, através de uma decisão do Governo Federal. De acordo com a história oficial no período de 1904 a 1916, a Corporação fazia o papel da segurança pública do antigo Território do Acre, sob a inspeção do Exército Brasileiro que patrulhava a região de fronteira com os países andinos. Com a publicação do decreto n° 12.077/2016, passou a ser chamada das Companhias Regionais, com o objetivo de manter a ordem pública nos Departamentos do Acre, Yaco e Juruá, inclusive do então recém-criado Departamento do Alto/Tarauacá. As Companhias Regionais foram o embrião da Polícia Militar de hoje, que todos os anos faz questão de comemorar a data alusiva do dia 25 de maio.

Comentários

Em alta