Conecte-se conosco





Cotidiano

No AC, vereador é intimado após distribuir ivermectina sem prescrição a comunidade isolada

Publicado

em

Remédio pode comprometer fígado de pacientes e foi retirado do protocolo de tratamento

O policial penal e vereador de Sena Madureira, Denis Araújo (PSDB), foi intimado a comparecer à delegacia para prestar esclarecimentos após levar várias caixas de ivermectina sem prescrição médica a uma comunidade isolada que sofria surto de coronavírus.

O medicamento não tem eficácia comprovada contra a Covid-19, conforme alertou o fabricante, e vem sendo retirado dos protocolos de tratamento no país, inclusive no Acre. Além disso, médicos alertam que o uso da droga tem comprometido o fígado dos pacientes.

O caso aconteceu em meados de janeiro e foi denunciado com exclusividade pelo jornal  ContilNet após o próprio vereador publicar a informação em suas redes sociais. O Ministério Público do Acre (MPAC) tomou conhecimento do ocorrido e abriu investigação.

Nesta quarta-feira (3), em seu perfil no Facebook, o tucano publicou uma foto armado segurando a intimação e chamou as denúncias de “politiqueiras”.

A comunidade isolada que recebeu as caixas do medicamento fica no Ramal do Quinze, em Sena Madureira. Na ocasião, o policial alugou um carro e levou as drogas por conta própria. “Não é questão de legislar e sim de humanidade e gratidão”, escreveu, na época.

Cerca de 20 pessoas haviam testado positivo para coronavírus. Segundo o vereador, um médico ligado à rede pública prescreveu um protocolo de tratamento, mas não incluiu ivermectina entre os remédios.

“Na receita que o médico passou pra eles tinha azitromicina. Aí eu levei a ivermectina e vitaminas pelo fato de ser preventivo. E graças a Deus eles ficaram bem satisfeitos”, disse em janeiro.

Desde julho do ano passado que a ivermectina está proibida de ser comercializada sem receita médica pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Comentários

Em alta