Conecte-se conosco

Destaque Texto

Flamengo vira sobre o Inter e fica a uma vitória do título do Brasileiro

Publicado

em

O Flamengo é o novo líder do Brasileiro. Hoje (21), o Rubro-Negro saiu perdendo, mas virou sobre o Inter, no Maracanã, e venceu por 2 a 1, na penúltima rodada da competição. Com o resultado, o time carioca tomou a ponta pela primeira vez no campeonato e está a uma vitória de ser bicampeão nacional.

Edenilson, de pênalti, marcou o primeiro gol do jogo. Arrascaeta empatou para o Flamengo, ainda na etapa inicial. No segundo tempo, Rodinei foi expulso e, em seguida Gabigol, virou o jogo. Pedro ainda teve um gol anulado nos acréscimos.

Agora, o Fla pula para 71 pontos e depende de uma vitória contra o São Paulo para conquistar o título. Já o Colorado precisa ganhar do Corinthians e contar com tropeço dos cariocas. Os jogos serão, ambos, na quinta-feira, às 21h30 (de Brasília).

Foi bem: Gabigol decide para o Flamengo

Precisando resolver um jogo decisivo? Gabigol. O autor do gol do título da Libertadores foi quem colocou na rede a virada do Flamengo.

Foi mal: Rodinei, o lateral de R$ 1 milhão é expulso

O Inter investiu para ter Rodinei em campo, e deu errado. O time gaúcho aceitou a multa de R$ 1 milhão e, com dinheiro doado por um torcedor de forma espontânea, decidiu pagar para ter o lateral direito que pertence ao Fla e atua em Porto Alegre emprestado. Nada deu certo. Rodinei não conseguiu parar Bruno Henrique no primeiro gol dos cariocas e foi expulso no segundo tempo.

… –

Arrascaeta empata o jogo para o Flamengo, contra o Inter

Pênalti abre o placar no jogo

Um pênalti abriu o placar para o Inter. Aos nove minutos, cruzamento de Moisés encontraria Yuri Alberto, que foi puxado por Gustavo Henrique. O árbitro não titubeou e apontou pênalti. Edenilson bateu e fez 1 a 0. Nos minutos que seguiram a marcação, muitos lances na área do Inter geraram reclamações dos flamenguistas.

De pênalti, Edenílson abre o placar para o Inter contra o Flamengo

Arão fica no banco, mas sem condições

Dúvida ao longo da semana, Willian Arão começou no banco de reservas. O jogador fraturou um dedo do pé, mas foi mantido como interrogação até momentos antes do jogo. Mesmo que tivesse no reservado, ele não tinha condições de jogar e sequer participou do aquecimento da equipe de Rogério Ceni.

Arrascaeta sempre decisivo

O uruguaio às vezes “some” do jogo, mas precisa de muito pouco para fazer a diferença a favor do Flamengo. Com um gol de empate e uma bola milimétrica que resultou no gol de Gabigol, o meia fez a balança pesar a favor do Rubro-negro.

Rodrigo Caio sente mais uma vez

A temporada do zagueiro Rodrigo Caio tem sido marcada por lesões. Após sentir um problema na coxa e desfalcar a equipe por várias rodadas, o defensor se recuperou, voltou bem, mas voltou a desfalcar o Fla. Na segunda etapa, o camisa 3 sentiu no arranque e foi substituído.

O jogo do Flamengo: Posse, ataque e busca pelo gol

Ao Flamengo, só a vitória interessava. Por isso, o time de Rogério Ceni usou suas principais características em campo. Procurou o ataque com todas as armas possíveis, alternando criações pelos lados e por dentro. Arrascaeta, Gerson, Diego, Everton Ribeiro, Gabriel e Bruno Henrique movimentaram-se intensamente, trocando posicionamentos atrás dos espaços na fechada zaga do Inter. Houve chances, criação e gols.

O jogo do Inter: Linhas baixas e contra-ataque

O Inter também não abriu mão de seu modelo. Abel Braga monta, desde sua chegada, uma equipe que recua para a frente do gol de Marcelo Lomba e busca o contra-ataque como arma. Quando pulou na frente no marcador, porém, o Colorado recuou demais e acabou sofrendo o empate em seguida. Mas, em momento algum do jogo, abriu mão de sua postura “mais segura”. O time de Porto Alegre ainda foi penalizado com a expulsão de Rodinei, logo no começo do segundo tempo. Com um a menos no placar, sofreu com o potente setor ofensivo rival.

Aglomeração e confusão na chegada

Na chegada da delegação do Flamengo ao Maracanã houve aglomeração e confusão. Milhares de aficionados esperaram o ônibus que levava os profissionais do clube festejando e dando apoio. Mas, com objetivo de evitar reunião de pessoas em razão da pandemia de novo coronavírus, a polícia agiu e tratou de dispersar os torcedores com uma ação forte.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 2 X 1 INTERNACIONAL
Data
: 21/02/2021 (Domingo)
Local: estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Raphael Claus
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Neuza Ines Back
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral
Cartões amarelos: Diego, João Gomes, Natan, Pedro (FLA)
Cartões vermelhos: Rodinei (INT)
Gols: Edenilson, do Inter, aos 11 minutos do primeiro tempo; Arrascaeta, do Flamengo, aos 28 minutos do primeiro tempo; Gabigol, do Flamengo, aos 17 minutos do segundo tempo;

FLAMENGO
Hugo; Isla (Pedro), Gustavo Henrique, Rodrigo Caio (Natan) e Filipe Luís; Diego (João Gomes), Gerson, Everton Ribeiro, Arrascaeta e Bruno Henrique; Gabriel Barbosa (João Lucas).
Técnico: Rogério Ceni

INTERNACIONAL
Marcelo Lomba; Rodinei, Zé Gabriel, Lucas Ribeiro e Moisés; Rodrigo Dourado (Johnny), Edenilson, Praxedes (Heitor), Patrick (Mauricio) e Caio Vidal (Galhardo); Yuri Alberto (Peglow).
Técnico: Abel Braga

Comentários

Destaque Texto

Nova frente fria chega ao AC nesta semana e temperatura atingirá 18ºC, diz Friale

Publicado

em

Pesquisador Davi Friale – Foto: Alexandre Lima/Arquivo

O pesquisador Davi Friale divulgou em seu site O Tempo Aqui, nesta segunda-feira (10), uma nova previsão de diminuição das temperaturas na próxima semana.

Além disso, o “mago” destacou que até o próximo domingo (16) haverá calor abafado, chuvas, possibilidade de temporais e tempo seco e ventilado.

Na quarta-feira (12), mais uma frente fria chegará ao Acre, a partir do fim da tarde, mas será na quinta-feira que os ventos serão mais intensos, devido à penetração de mais uma onda de frio polar, declinando levemente a temperatura.

“Desta vez, a massa de ar frio não será intensa no Acre. As temperaturas, ao amanhecer, de quinta-feira e de sexta-feira, deverão oscilar entre 18 e 20ºC, em Rio Branco, Brasileia e demais municípios do leste e do sul do estado”, comentou.

Comentários

Continue lendo

Destaque Texto

IBGE: mais de 12% dos acreanos já sofreram violência psicológica, física ou sexual

Publicado

em

A pesquisa apontou que 68 mil pessoas de 18 anos ou mais sofreram agressão psicológica nos 12 meses anteriores à entrevista, ou seja, 11,5% da população

IBGE

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta segunda-feira (10) os resultados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) de 2019.

O Acre figurou em muitos cenários. Um deles foi o de violência psicológica, física ou sexual. Pelo menos 12,4% da população já foi alvo de uma das agressões.

Os dados apontam ainda que 72 mil pessoas de 18 anos ou mais sofreram os tipos de violência destacados, nos 12 meses anteriores à entrevista.

“O percentual de mulheres que sofreram alguma violência foi de 14,0% e o de homens foi de 10,8%. Considerando a faixa etária, a prevalência de casos de violência é mais acentuada nas populações mais jovens: de 18 a 29 anos (16,5,0%); de 30 a 39 anos (8,9%); de 40 a 59 anos (13,5%) e 60 anos ou mais (6,9%). As pessoas pretas (20,2%) e pardas (10,9%) sofreram mais com a violência do que as pessoas brancas (14,6%), diz o órgão.

Outro resultado preocupante tem a ver com o afastamento das atividades laborais e habituais em decorrência da violência sofrida. 9 mil pessoas foram afetadas – o que representa 12,9% das vítimas de violência, seja psicológica, física ou sexual. As mulheres foram mais atingidas do que os homens, com 18,3% e 5,4%, respectivamente.

Violência psicológica

A pesquisa apontou que 68 mil pessoas de 18 anos ou mais sofreram agressão psicológica nos 12 meses anteriores à entrevista, ou seja, 11,5% da população.

O percentual de mulheres vitimadas foi maior do que o dos homens, 12,9% contra 10,1%, respectivamente. A população mais jovem (18 a 29 anos) sofreu mais violência psicológica do que a população com idade mais elevada (60 anos ou mais), 15,4% contra 6,9%. Mais pessoas pretas (18,0%) e pardas (10,2%) sofreram com este tipo de violência do que pessoas brancas (13,4%).

“Considerando o rendimento domiciliar per capita, o grupo com menor rendimento apresentou um percentual maior de vítimas: 15,2% das pessoas sem rendimento até 1/4 do salário mínimo, em comparação a 10,5% das pessoas com mais de 5 salários mínimos”, destaca a pesquisa.

Violência física

A PNS estimou que 17 mil pessoas de 18 anos ou mais sofreram violência física nos 12 meses anteriores à entrevista, o que representa 2,8% da população. O percentual de vítimas do sexo feminino foi de 3,4%, enquanto o dos homens, 2,2%.

Violência sexual

Para as pessoas que responderam que não sofreram agressão sexual nos últimos 12 meses, foi perguntado se ela sofreu essa violência alguma vez na vida. Considerando essas duas perguntas, estima-se que 25 mil pessoas de 18 anos ou mais de idade foram vítimas de violência sexual, independentemente do período de referência, o que corresponde a 4,3% desta população, 2,6% dos homens e 5,9% das mulheres.

Comentários

Continue lendo

Destaque Texto

Internações por covid na UTI e enfermarias estão em queda no Acre, diz subsecretária de Saúde

Publicado

em

Ala Covid-19 no Acre – Foto: Odair Leal/Secom/arquivo

A subsecretária de Saúde do Acre, Paula Mariano, disse em entrevista que o número de internações por covid-19 vem diminuindo consideravelmente nos últimos dias.

A notícia tem a ver com a ocupação de leitos comuns e da Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

“Temos percebido uma diminuição satisfatória nos últimos 15 dias no Pronto-Socorro e no Into, além de uma queda no número de internações também em Cruzeiro do Sul, no Hospital de Campanha”, disse Paula.

Na última quarta-feira (5) o Into registrou 11 leitos disponíveis de UTI, e o PS desocupou outras 7 vagas. Em Cruzeiro do Sul, 6 leitos estavam disponíveis.

No maior hospital de referência do Acre, apenas 49 leitos de enfermaria, dos 160 disponíveis, estavam ocupados na data.

De acordo com o consórcio de veículos de imprensa do Brasil, o Acre está em queda no número de novas mortes pela doença.

Comentários

Continue lendo

Em alta