“Quiseram me constranger”, disse, sobre informações de que estaria com ex-prefeito de Acrelândia

Em entrevista exclusiva ao ContilNet, o chefe do Executivo foi duro ao colocar um ponto final no “disse me disse” criado após ser publicada, nas redes sociais do ex-prefeito de Acrelândia, uma foto de um café da manhã entre os dois.
LEANDRO CHAVES

Não é verdade que o governador Gladson Cameli (Progressistas) voltou atrás no apoio à reeleição da prefeita de Rio Branco Socorro Neri (PSB) para, assim, caminhar com o pré-candidato do seu partido, Tião Bocalom.

Em entrevista exclusiva o chefe do Executivo foi duro ao colocar um ponto final no “disse me disse” criado após ser publicada, nas redes sociais do ex-prefeito de Acrelândia, uma foto de um café da manhã entre os dois. A imagem foi tirada na casa da presidente estadual do partido, a senadora Mailza Gomes, em Brasília, que também aparece no clique.

Na legenda, Bocalom escreveu: “Obrigado Gladson Cameli e à direção do Progressistas, na pessoa da nossa presidente Mailza Gomes, pela oportunidade de poder disputar a prefeitura de nossa capital com vossas bênçãos!”.

No entanto, o governador desmentiu o próprio colega de legenda ao reforçar à reportagem que está com Socorro Neri e não abre mão da decisão. “Ela continua sendo a minha pré-candidata à prefeitura da capital. E só vai deixar de ser se afirmar que não quer mais o meu apoio”, esclareceu.

Na legenda, Bocalom escreveu: “Obrigado Gladson Cameli e à direção do Progressistas, na pessoa da nossa presidente Mailza Gomes, pela oportunidade de poder disputar a prefeitura de nossa capital com vossas bênçãos!”.

No entanto, o governador desmentiu o próprio colega de legenda ao reforçar à reportagem que está com Socorro Neri e não abre mão da decisão. “Ela continua sendo a minha pré-candidata à prefeitura da capital. E só vai deixar de ser se afirmar que não quer mais o meu apoio”, esclareceu.

Gladson com Bocalom e Mailza/Foto: Reprodução

Não gostou

A imagem e o texto postados por Bocalom e reforçados por outros membros do partido repercutiu na imprensa local, mesmo sem a manifestação oficial do governador. A atitude desagradou o chefe do Executivo. “Se eu fosse tomar uma decisão dessa [desistir do apoio à Socorro Neri] e publicar dessa forma [por terceiros], seria molecagem”, afirmou.

“Como é que eu vou sentar com uma pessoa e depois sai nos jornais que eu já estou fechando apoio? Aí fica essa situação. Reuni com a direção do partido um dia antes [da foto] para depois dar satisfação à Socorro e ao Ney Amorim sobre o que o partido decidiria. Satisfação partidária, não pessoal. Não posso aceitar candidatura empurrada goela abaixo”.

Embora também estivesse em Brasília, Tião Bocalom não participou da reunião com a diretoria e o governador na terça-feira (14). Ele só se encontrou com o gestor para o café da manhã.

Gladson continua: “Insistiram que no dia seguinte eu tomasse café com Bocalom. Insistiram também que eu tirasse aquela foto. Aí publicaram. Estão querendo empurrar uma situação pra criar um movimento pra depois dizerem que eu não tenho palavra. Pra criar constrangimento”, desabafou.

Pra valer

A prova de que o apoio do governador à pré-candidatura da Socorro Neri é pra valer está na articulação política que Cameli deu início com os partidos da base aliada para levá-los a seguir sua posição na disputa.

O Republicanos, Democratas e Solidariedade, dos deputados federais Manuel Marcos, Alan Rick e Vanda Milani, respectivamente, já sentaram com o chefe do Executivo e teriam sinalizado que irão acompanhá-lo. Nesta semana, o Solidariedade retirou a pré-candidatura de Luziel Carvalho, alegando, no entanto, outro motivo.

“Estou procurando os partidos que me ajudaram a ser eleito governador e fazendo aquele trabalho político que ainda não tinha feito: chamando e ouvindo. Manuel Marcos está comigo. Alan Rick, da mesma forma”.

Gladson ainda não desistiu de levar o Progressistas ao palanque de Neri. “Estou tentando puxar o partido e sua executiva. Torcendo e lutando para que a legenda saia em união, decidida entre todos, para que a gente possa caminha junto nessas eleições”.

Comentários