A reportagem não conseguiu contato direto nem com a assessoria e nem com os deputados Manuel Marcos (PRB) e Perpétua Almeida (PCdoB).

Nos últimos dias é divulgado quase que diariamente as ações do governo do Acre em combate a proliferação do coronavírus no Estado. Em calamidade desde a semana passada, o Acre já registrou 21 casos confirmados da doença que matou milhares de pessoas em todo mundo, mas mesmo com todo esforço o Palácio Rio Branco e a bancada federal em Brasília não tem falado a mesma língua.

Pelo menos é o que fica claro quando o coordenador da bancada, o Senador Sérgio Petecão (PSD) afirma que na segunda-feira, 23, ligou para o governador Gladson Cameli se colocando a disposição para ajudar o Estado e o chefe do executivo teria dito que o retornaria mais tarde para tratar do assunto, o que não ocorreu. “Ontem eu tive uma conversa com o governador. Ele ficou de me ligar a tarde, não me ligou e eu vou conversando com todo mundo, ouvindo os deputados estaduais para ver de que forma a gente pode ir ajudando”, disse o parlamentar ao revelar que está isolado em casa, em Rio Branco, com sua família. “Parei de receber aquele monte de gente para almoçar aqui por causa do Coronavírus”, enfatizou.

Com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre diagnosticado com Covid-19, Petecão, que é primeiro-secretário do Senado, afirmou que ficou incumbido junto com o vice-presidente da Casa, senador Antônio Anastásia (PSB-MG) de comandar os trabalhos administrativos. O parlamentar acreano informou que recebeu uma demanda dos escritórios de contabilidade para que o prazo de declaração do Imposto de Renda 2020 seja prorrogado até que a crise passe. “Conversei com o Ministro da Economia Paulo Guedes, levei a situação e tudo indica que isso vá ocorrer, é fato”, revelou o senador reforçando que ele e seus pares deverão participar de votações importantes do senado por videoconferência.

Grávida de seu terceiro filho e avessa a polêmicas, a senadora Mailza Gomes (Progressistas) é uma das mais ativas em colocar seu mandato disposição do governo. Desde o início da crise , ela já havia solicitado junto ao governo federal o fechamento da fronteira com a Bolívia e o Peru, pediu o evio imediato de testes de Covid-19 ao Estado e também defendeu que o dinheiro do Fundão Eleitoral seja destinado em sua integralidade para o combate ao coronavírus.

“Neste momento estou participando da votação remota do Senado Federal em Brasília onde teremos votações importantíssimas com medidas ao combate dessa doença que assola o nosso Brasil, o coronavírus. Como todos, recomendo todo cuidado, toda higiene, cuidar dos familiares, cuidar das pessoas idosas para não ser expor a esse mal”, ressalta a senadora.

Também em Brasília, o senador Márcio Bittar (MDB), mantém as atividades de acordo com as condições atuais, participando das discussões do senado remotamente. O emedebista enfatiza que foi criado um grupo remoto da bancada do Senado (MDB), onde são discutidas as medidas do governo. “O grupo apresentou sugestões naquilo que entendem que possa ser aperfeiçoado nas ações governamentais. A bancada apoiou a instituição das votações online, algo que eu já defendia desde 2000”, disse.

O senador também está trabalhando nos últimos ajustes no relatório da PEC 188 (Pacto Federativo), em parceria com técnicos do Ministério da Economia e consultores do Senado Federal, assim como enviou ofício para o Senado estender o trabalho remoto para as PECs do Pacto Federativo, Emergencial e dos Fundos.

Bittar ressalta que mantém contato diário com o governador Gladson Cameli e tem reforçado as demandas do estado em Brasília. “O meu Gabinete continua funcionando normalmente, apenas com menor número de funcionários, em sistema de rodízio”, explica.

A deputada Jéssica Sales (MDB), que também está em Brasília, afirmou que deverá participar de uma série de reuniões nesta terça-feira, 24, para definir pautas de votações importantes no Congresso. “Eu inclusive estava instalando o aplicativo para participar das votações e discussões. Acredito que teremos novidades no decorrer dos dias”, resumiu.

Do mesmo partido de Sales, o deputado Flaviano Melo resumiu sua atuação apenas na apresentação de um comunicado do MDB que tem como objetivo de “salvar vidas e empregos” com pontos prioritários defendidos que vão desde a garantia de renda mínima para trabalhadores e a criação do Cadastro Único de Auxílio a Pandemia, além da abertura de linha de crédito para pessoas físicas e jurídicas.

Longe de Brasília, o deputado Jesus Sérgio (PDT) participará das votações e discussões de forma online. Segundo o pedetista, a sua atuação terá como proposta a destinação de recursos da União para diminuir os danos na economia causados pelo novo Coronavírus

Diante da chegada do novo coronavírus no Brasil, o que alterou a rotina no país, e com casos já confirmados no Acre, o deputado federal Jesus Sérgio (PDT) defenderá junto aos líderes partidários da Câmara dos Deputados, que parte do orçamento da União seja destinado para diminuir os danos na economia do país. Além disso, o parlamentar defende também que seja enviado mais recursos para o Ministério da Saúde, para que o órgão esteja preparado ao atendimento à população infectada pelo novo coronavírus.

“Estamos vivendo um estado de alerta, pois precisamos ter cuidado para não proliferar o Coronavírus e causar danos à saúde, mas também necessitamos nos preocupar com a economia e com a geração de emprego, que já não vinha tão bem. O Poder público tem o dever de ajudar todos os prejudicados com o crise do Coronavírus”, destacou Jesus Sérgio.

A deputada Mara Rocha (PSB) está a caminho do Acre. Ela optou por não retornar ao Estado de avião com receio de ter contato com alguma pessoa que tenha Covid-19. Segundo a sua assessoria, a medida foi tomada devido seus pais serem idosos. Ela está vindo de Brasília de carro acompanhada do seu marido, o militar Marcos Gripp.

Já a deputada Vanda Milani (Solidariedade) trabalha através do Sistema de Deliberação Remota (SDR), uma medida protetiva para não oferecer riscos aos servidores e deputados.

“De Rio Branco, eu e minha equipe estamos atentos a todas as fases da pandemia do coronavírus no Acre, mantendo um contato direto com o ministro da saúde Henrique Mandetta e toda assessoria do Ministério, no sentido de liberar leitos de UTI para o governo do Acre de acordo com a demanda, testes urgentes do coronavírus para atender todo o interior, e a liberação de recursos para ações imediatas de enfrentamento a pandemia. O parlamento tem agido com celeridade para garantir apoio econômico ao país diante da crise provocada pela pandemia do coronavírus”, argumentou a deputada.

Também em Rio Branco, o deputado Alan Rick (Democratas), afirmou que adiou diversas agendas como a entrega de uma nova clinica de fisioterapia da APAE, fruto de uma de suas emendas. e também o lançamento da ordem de serviço da construção da primeira creche modelo de Xapuri, no padrão MEC. “Essa creche, antigo sonho da população, é fruto de nosso trabalho junto ao FNDE para garantir dos R$ 2 milhões necessários à realização da obra”, disse o parlamentar.

Rick enfatizou que está com o gabinete aberto com pelo menos um servidor todos os dias. “Continuamos ouvindo e atendendo as demandas da sociedade. Na sexta-feira passada, 20, recebemos muitas ligações e mensagens de pessoas preocupadas com o possível corte do fornecimento de serviços essenciais, como água e energia elétrica neste período em que as pessoas precisam ficar em casa”.

O parlamentar enfatizou que encaminhamos no sábado, ofícios aos três órgãos responsáveis pelos serviços de água e luz – Saerb, Depasa e Energisa, solicitando que não façam cortes dos serviços por atraso de pagamento neste período.

“Também estamos trabalhando junto com nossa equipe de Brasília para que o Ministério da Saúde possa convocar os médicos brasileiros formados no exterior neste recente edital do Programa Mais Médicos. Infelizmente o ministro Mandetta, extremamente ligado ao CFM, está descumprindo a Lei do Mais Médicos ao se recusar a abrir chamamento para os médicos brasileiros formados no exterior. Estamos mobilizando deputados e senadores para se manifestarem contra essa ilegalidade”, criticou o deputado.

Comentários