Jairo Barbosa, de RO

Ao contrário do Acre, onde o Partido dos Trabalhadores muda até o horário em relação a Brasília, no vizinho estado de Rondônia, a sigla tem menos espaço que uma sardinha numa lata.

O PT rondoniense, desde que Roberto Sobrinho saiu da prefeitura em 2012, vem de ladeira abaixo. E nesta semana, o partido amargou mais perdas, desta vez na Câmara Municipal.

Dois vereadores do partido, “jogaram a toalha” e rumaram para outros ninhos em busca espaço para a reeleição. Um deles foi o presidente da casa, Jurandir Bengala, que já oficializou a desfiliação e negocia com outros partidos. José Wildes tomou a mesma decisão e deve seguir para o PSB, do prefeito Mauro Nazif.

O único resistente até agora é Sid Orleans, que promete arrumar a casa para enfrentar o pleito deste ano, mas sozinho, já viu que não será uma missão fácil.

Outro partido de esquerda que perdeu total espaço foi o PC do B. Cláudio da Padaria foi para o PDT, e Elis Regina tem como certa sua ida para os braços do grupo político dos Nazif.

Comentários