Na noite deste domingo, 5, a Polícia Militar de Cruzeiro do Sul prendeu dois homens transportando sem licença ambiental, 235 quilos de carne de caça e pescado ilegais.

Por Sandra Assunção

Os 19 animais silvestres abatidos: 4 porcos do mato, 1 paca, 3 nambu, 4 tatus, 7 cutias somaram 125 quilos. Havia também 110 quilos de peixe. O produto deveria ser comercializado na Semana Santa.

O flagrante aconteceu na Avenida 25 de agosto quando a guarnição da PMAC avistou uma caminhonete transportando caixas de isopor na carroceria. Devido ao local e horário, por volta das 23 horas, foram realizados a abordagem e o flagrante.

Os homens foram encaminhados à delegacia para as devidas providências legais.

Além disso, o grupo carregava ainda 110 quilos de pesca feita também de forma irregular. O delegado Lindomar Ventura disse que os cinco envolvidos devem responder por crime ambiental.

“A origem dessa carne é da região do Gama e estava no transporte para Cruzeiro do Sul, foi interceptado pela PM, feita a apreensão e agora estamos fazendo o procedimento. Pela quantidade, acreditamos que seria comercializada, não seria para o consumo próprio, porque foram mais de 100 quilos de carne e cinco pessoas envolvidas”, explicou o delegado.

Carne será doada a entidades que fazem trabalho social em Cruzeiro do Sul — Foto: Gledisson Albano/Rede Amazônica Acre

Ventura destacou ainda que, como descreve o artigo 29 da lei ambiental, matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, é crime.

A detenção pode ser de seis a meses a um ano, além de multa. “Agora, vão assinar um termo circunstanciado, mas isso fica na ficha deles, porque é uma previsão legal na lei de crimes ambientais.”

O agente de fiscalização do Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac) Josué Torquato esteve na delegacia para fazer também todo o procedimento para que a carne seja doada a entidades que fazem trabalho social em Cruzeiro do Sul.

“A gente vai fazer um termo de compromisso e um auto de infração, que e essas pessoas vão ter que comparecer ao Imac assim que passar essa questão do novo coronavírus”, explicou.

PM apreende mais de 100 quilos de carne de animais silvestres em caminhonete no interior do Acre — Foto: Gledisson Albano/Rede Amazônica Acre

Comentários