entre 1º de janeiro de 2020 e 30 de agosto de 2020, foi de 4.044 focos de calor, sendo que 3.578 foram registrados somente neste mês de agosto, segundo dados do Satélite de Referência (Aqua Tarde).
SECOM

Em visita ao Centro Integrado de Geoprocessamento e Monitoramento Ambiental (Cigma), na manhã desta segunda-feira, 31, o governador Gladson Cameli decidiu decretar emergência ambiental no estado.

A situação crítica de seca e as queimadas estão agravando a saúde da população. Somente esse ano já foram registrados mais de 6 mil casos de doenças respiratórias na capital Rio Branco, de acordo com informações da Secretaria de Estado da Saúde (Sesacre).

Após analisar os dados repassados pelos técnicos do Cigma, o governador acionou o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil para lançar o decreto de emergência que deverá ser publicado no Diário Oficial desta terça, 1º.

Após analisar os dados repassados pelos técnicos do Cigma, o governador decidiu lançar o decreto de emergência ambiental Foto: Diego Gurgel

“Estamos no meio de uma pandemia e fazendo o possível para tentar chamar a atenção das pessoas, para os problemas que as queimadas trazem para a saúde da população. É tolerância zero para os crimes ambientais. Não dá para continuar como está, principalmente na zona urbana”, disse o governador.

De acordo com o boletim de queimadas publicado pela Sala de Situação do Cigma, o acumulado de focos de queimadas no estado do Acre, entre 1º de janeiro de 2020 e 30 de agosto de 2020, foi de 4.044 focos de calor, sendo que 3.578 foram registrados somente neste mês de agosto, segundo dados do Satélite de Referência (Aqua Tarde). Caso sejam contabilizados os dados de todos satélites que estão em operação, o quantitativo de focos de queimadas no ano de 2020 chega a 31.870.

Distribuição dos focos de queimadas de 29 a 30 de agosto no Acre (satélite de referência Aqua Tarde) Fonte: firms.modaps.eosdis.nasa.gov

Neste último final de semana, a situação ficou ainda mais grave. Entre sábado, 29 , e domingo, 30, houve registro de 719 focos de queimadas, segundo dados do satélite de referência.

O secretário de Estado de Meio Ambiente, Israel Milani, apresentou o Cigma ao governador. Coordenado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), o centro integrado conta com a parceria do Instituto de Meio Ambiente (Imac), do Instituto de Terras (Iteracre), do Instituto de Mudanças Climáticas (IMC) e da Fundação de Tecnologia (Funtac).

Fazem parte do Cigma: a Sala de Situação, a Unidade Central de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto (Ucegeo), o Escritório de Gestão do Cadastro Ambiental Rural e do Programa de Regularização Ambiental, além da Divisão de Geoprocessamento do Imac.

Estiveram presentes na visita do governador ao Cigma o diretor-presidente da Funtac, Antônio Aurisérgio Oliveira, a diretora-executiva da Sema, Vera Reis Brown, e o diretor-executivo do IMC, William Flores.

O Acre registra, até o momento, 4.044 focos de queimadas desde o dia 1 de janeiro até 30 de agosto. Deste total, 3.578 focos foram no mês de agosto.

No ultimo sábado (29) e domingo (30), houve registro de 719 focos de queimadas, segundo dados do satélite de referência (AQUA Tarde) divulgados pela Sala de Situação do Estado, que informa o monitoramento do tempo, clima, nível de rio, focos de queimadas e avisos meteorológicos.

As informações são elaboradas pela Unidade de Situação de Monitoramento Hidrometeorológico do Estado do Acre vinculada à Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema).

Comentários