Conecte-se conosco





Extra

Veja vídeo: Catador de latas é brutalmente assassinado a pauladas na madrugada em Xapuri

Publicado

em

Crime foi registrado na madrugada de domingo, dia 10.

Crime bárbaro ocorrido na madrugada de domingo é desvendado com prisão de assassino na zona rural.

Mais um crime bárbaro foi registrado na “Princesinha do Acre”, a cidade de Xapuri, distante cerca de 186km da capital do estado, Rio Branco. Um homem foi brutalmente morto a golpes de madeira deferido contra sua cabeça e partes do corpo, sendo surpreendido enquanto dormia na calçada da rua 17 de Novembro, próximo ao prédio da OCA.

Railson Rodrigues do Santos Silva, 55 anos, foi brutalmente assassinado – Foto: Arquivo pessoal

O fato ocorreu na madrugada deste domingo, dia 10, as cenas de brutalidade contra o homem foi registrado por um sistema de segurança próximo. Foram cerca de um minuto e meio de espancamento, maioria contra a cabeça e a vítima Railson Rodrigues do Santos Silva, 55 anos, ainda tenta se defender, mas sucumbe aos golpes.

O homem que estava na companhia de outra pessoa que observava do meio da rua, sequer se mexeu para impedir o agressor ou, salvar o homem indefeso. Segundo informações, a vítima vivia pelas ruas catando latas para trocar por alguns trocados para o consumo de bebida alcoólica.

Após o crime, sob o comando do delegado titular do município, Gustavo Neves, a equipe de investigadores coordenadas pelo inspetor Eurico Feitosa, deram início na tentativa de identificar o principal suspeito do crime que assustou os moradores de Xapuri.

O homem que aparece em pé na rua no vídeo obtido com exclusividade pelo jornal oaltoacre, foi identificado, ouvido e liberado. Em Seguida, conseguiram descobrir quem é o assassino e iniciaram as buscas. As investigações apontaram F.B.B. como principal suspeito do cometimento do homicídio.

Sem ser divulgado o fato para não atrapalhar as investigações, o homem de 32 anos de idade foi localizado na zona rural, no Seringal Morro Branco, duas horas distantes de carro da cidade e preso ainda em flagrante delito. O mesmo foi levado para a delegacia, onde disse em sua defesa, “que havia se enganado” de pessoa.

O caso está nas mãos do delegado que o encaminhará ao judiciário nas próximas horas, podendo ser encaminhados ao presídio estadual na Capital, onde irá esperar o pronunciamento sobre o crime.

 

Comentários

Em alta