Após vistoria e devido às condições insalubres dos espaços , a Vigilância Sanitária Municipal sugeriu a interdição da Delegacia de Policia e do Quartel da Polícia Militar em Marechal Thaumaturgo, que compõe o Centro Integrado de Segurança Pública.

O quartel é uma pequena casa de madeira, que nada lembra uma instalação militar, nos fundos da Delegacia . O laudo da Vigilância cita que na sala onde ficam os presos havia fezes, lixo e odor insuportável. Em outros ambientes,há fiação exposta e paredes úmidas.

A vistoria foi feita no último de 18. A equipe da vigilância constatou que o local não oferece condições adequadas para o desempenho das atividades profissionais da PM e para o recebimento de presos e fala em adequações.

Um dos dez militares que trabalham no local, e que prefere não se identificar, diz que a tropa teme por suas vidas devido o estado de ruína das instalações.

Ele cita que recentemente o governo enviou uma viatura nova para a cidade mas todos preferiam um quartel novo. Afirma que os polícias tiram dinheiro do próprio bolso para se deslocarem e prestar serviço no município, que compram comida, água mineral, gás de cozinha, dentre outros itens para se manterem no município por 30 dias. ” Não recebemos diárias, a gratificação de localidade especial que está prevista em lei, não paga nem as passagens de ida e volta. Há vários anos existe a promessa da construção de um novo prédio em um terreno doado pela prefeitura mas já são 14 anos de promessas. Dizem que o projeto está pronto, já se passaram três governadores e nada da construção sair” .

O policial ressalta que o Diretor Regional da Associação dos Militares Estaduais no Juruá, SGT PM Ismael Oliveira, está ciente da situação e já deu comunicou o fato ao presidente da AME/AC, SGT PM Kalyl Moraes, que garantiu que irá tratar do assunto com o Comandante Geral e Secretário de Segurança Pública.

Comentários