Betão

Roberto Rodrigues de Moura, 29, também conhecido como Betão, foi preso nesta sexta-feira, 23, no km 18 do Ramal 26, zona rural de Bocado Acre/AM. Ele foi localizado pelos investigadores do Grupo Especial de Capturas da Polícia Civil (Gecapc) escondido na residência de um amigo.

Segundo a investigação, foi ele quem, no dia 3 de novembro, deste ano, efetuou cindo tiros de revólver contra a pessoa de Jerferson Lima de Oliveira, 21, dos quais acertou três. O crime ocorreu na modalidade emboscada, no interior de um bar localizado no bairro Aeroporto Velho, por volta das 18h30.

A ação foi comandada pelo investigador Benicio Araújo. De acordo com o coordenador do Gecapc, há poucos dias, Betão estava em uma moto emprestada quando foi abordado por uma pessoa em Boca do Acre que tentou tomar-lhe a moto. Na ocasião, ele tentou fugir, mas acabou sendo atingido com uma facada no peito.

No hospital da cidade onde buscou atendimento Betão se apresento como Júlio César, porém a mascara caiu, porque, o Gecapc estava em seu encalce e o prendeu. Nesta segunda-feira, 25, ele foi apresentado à imprensa.

ENTENDA O CASO – No dia e hora acima descritos, por telefone, o ex-presidiário Salmo da Silva Chaves, 24, determinou que Betão executasse Jerferson Lima de Oliveira, com quem havia batido boca. De dentro do bar ele assistiu o assassinato da vítima que nada pode fazer para se defender da emboscada.

Uma discussão entre Salmo e Jerferson teria sido a principal motivação para o crime. Investigadores da 3ª Regional prenderam Salmo Chaves, em casa, no bairro Aeroporto Velho, onde gerenciava uma boca-de-fumo.

Três dos cinco disparos efetuados por Betão atingiram a cabeça de Jerferson que morreu na hora. Além do mandante e executor, outras duas pessoas concorreram para o crime, ambos já identificados pela polícia.

Comentários