Na minha humildade opinião, essa desculpa deveria ter partido do secretário. Como ele não fez, eu pedi”, disse Petecão.

Por Leônidas Badaró

Durante reunião na tarde desta terça-feira, 4, entre o governador Gladson Cameli e a bancada acreana junto com o Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Mouro, houve um momento constrangedor quando o Senador Sérgio Petecão (PSD) pediu, na frente de todos, inclusive de Gladson, desculpas ao ministro do governo Bolsonaro.

Petecão disse que pedia desculpas em nome da população. O motivo foi a declaração dada pelo Secretário de Segurança Pública do Acre, Paulo Cézar, durante entrevista na semana passada, quando afirmou que a presença de 64 policiais da Força Nacional no Acre não passa de falácia.

“Eu pedi desculpas em nome da população do Acre. Acho que por mais que não se reconheça, o ministro tem ajudado muito o Acre. Na minha humildade opinião, essa desculpa deveria ter partido do secretário. Como ele não fez, eu pedi”, disse Petecão.

O Ministro Sérgio Mouro, após o pedido de desculpas, teria afirmado que achou Paulo Cézar ter tornado pública a opinião sobre a presença da Força Nacional.

Jà o governador Gladson Cameli, durante a reunião, mostrou que discorda de seu Secretário de Segurança Pública, Paulo Cézar, que minimizou a presença da Força Nacional no Acre. Gladson fez o contrário e pediu mais apoio do governo federal no combate á violência no estado.

O governador solicitou de Mouro a presença de homens do Exército Brasileiro para aumentar a fiscalização das fronteiras acreanas e pediu mais. Gladson, mesmo discordando de qualquer tipo de intervenção federal na segurança pública acreana, quer o Exército nas ruas de Rio Branco, fortalecendo o combate à criminalidade.

O Ministro da Segurança Pública não deu resposta, mas afirmou que vai analisar com carinho o pedido de Gladson Cameli.

Comentários