A promotora Alessandra Marques recebeu nesta quarta-feira (23), dos deputados estaduais Edvaldo Magalhães (PCdoB) e Fagner Calegario (sem partido), um ofício para que a magistrada promova uma investigação quanto os juros cobrados pelo cartão Avancard aos servidores do Estado.

Segundo Edvaldo, o governo determinou um percentual estabelecido em lei de 35% de margem consignável, para beneficiar uma empresa que cobra juros de 5,5% ao mês por meio do cartão Avancard.

“A promotora Alessandra Garcia Marques disse estar receptiva ao nosso pedido. Os nossos servidores não podem continuar a serem extorquidos, com juros altíssimos do cartão Avancard”, declarou Magalhães.

Calegario destacou que a empresa vem cobrando juros absurdos aos servidores. “O salário não pode ficar totalmente comprometido”, ressaltou.

A lei aprovada pela Assembleia Legislativa do Estado do Acre (Aleac) estabelece que a margem consignável seja de 35%, no máximo, com relação ao vencimento dos servidores, mas que adiciona mais 15% de margem para quem obter o cartão Avancard. Com isso, metade do salário dos servidores deve ficar comprometido.

Comentários