Das 2.050 vagas oferecidas pela Ufac, 1.025 são para cotistas.
Ufac se adequou à lei 12.711, de 29 de agosto de 2012.

De 80 vagas oferecidas em medicina na Ufac, 38 vagas são para ampla concorrência (Foto: Arquivo pessoal)
De 80 vagas oferecidas em medicina na Ufac, 38 vagas
são para ampla concorrência (Foto: Arquivo pessoal)

G1Das 2.050 vagas oferecidas pela Ufac, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para aqueles que cursaram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2013, metade é destinada para aqueles oriundos da rede pública, ou seja, 1.025. Além destes, 5% das vagas são reservadas para portadores de deficiência.

De acordo com a pró-reitora de Graduação da Ufac, Socorro Neri, a condição primária estabelecida pela lei é a reserva de vagas para as escolas públicas e dentro desse percentual existe aquelas para as outras categorias.

“Dentro desse 50%, há vagas reservadas para alunos com renda familiar mensal per capita inferior ou igual a 1,5 salário mínimo e também outras reservadas para estudantes que se declaram pretos, pardos ou indígenas”, explica a pró-reitora.

No quantitativo de vagas destinado a escolas públicas existem duas subdivisões. Uma parte delas é reservada para alunos de baixa renda, dentre os quais, há os que se declaram pardos, pretos, indígenas. Já, a outra parcela das vagas é independente da renda.

Um exemplo desse cálculo é em relação ao curso de medicina. Neste ano, a Ufac amplia a oferta de vagas para 80. Dessas, apenas 38 são destinadas para ampla concorrência. No curso de Direito, de 50 vagas ofertadas, 26 são para candidatos egresso de escolas públicas.

Comentários