fbpx
Conecte-se conosco

Acre

Luis Calixto diz que PT quer dar rasteira em prefeitos da oposição

Publicado

em

“A estratégia do PT é a mais rasteira das trapaças: agrada, atrai e humilha”, disse.

"A estratégia do PT é a mais rasteira das trapaças: agrada, atrai e humilha", disse Calixto

“A estratégia do PT é a mais rasteira das trapaças: agrada, atrai e humilha”, disse Calixto

O ex-deputado estadual Luis Calixto publicou em seu blog que o governador Tião Viana quer dar uma rasteira aos prefeitos da oposição ao convidá-los para se filiar a Frente Popular do Acre (FPA).

“A estratégia do PT é a mais rasteira das trapaças: agrada, atrai e humilha”, disse.

Calixto lembra que os ex-prefeitos que deixaram a oposição para buscarem amparo na FPA não tiveram seus anseios alcançados.

“Aos prefeitos eleito pela oposição, que agora estão sendo assediados pelo governador Tião Viana em troca de promessas de apoio financeiro, recomendo uma olhada pelo retrovisor para relembrar a situação dos prefeitos Padeiro, de Bujari, Wando Torquato, de Tarauacá e Zila Bezerra, de Cruzeiro do Sul”.

E continua: “Todos, absolutamente, todos caíram no conto do vigário e depois em desgraça política”.

O ex-parlamentar diz, ainda, que os prefeitos da oposição devem ‘abrir o olho’, pois nem nos municípios administrados pelo PT o governador tem ajudado.

Comentários

Continue lendo

Acre

“Iapen aguarda laudo do IML”, diz nota do governo sobre detento morto em presídio do Acre

Publicado

em

A nota esclarece que profissionais do Samu constataram o óbito de Oceu Rocha Martins, sem sinais de violência aparentes nos presos

Segundo relatos do detento que dividia a cela com Oceu, ao acordar, ele se deparou com seu colega caído no chão e desacordado, o companheiro de cela solicitou a intervenção de um policial. Foto: capturada 

Com A Gazeta.Net

O Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) do Estado do Acre emitiu uma nota para esclarecer o falecimento do detento Oceu Rocha Martins, de 41 anos, ocorrido nesta quarta-feira, 29, nas dependências do Presídio Antônio Amaro Alves, em Rio Branco. O detento foi encontrado sem vida por um colega de cela, que acionou as autoridades.

“O governo do Estado do Acre, por meio do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), informa a morte do detento Oceu Rocha Martins, de 41 anos, nesta quarta-feira, 29, no Presídio Antônio Amaro Alves, em Rio Branco”, explica a nota.

De acordo com a nota, segundo relatos do detento que dividia a cela com Oceu, ao acordar, ele se deparou com seu colega caído no chão e desacordado. Diante da situação, o companheiro de cela solicitou a intervenção de um policial, que acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para prestar socorro ao detento.

“O detento que dividia a cela com Oceu relatou que, quando acordou, deparou-se com  o colega caído no chão, desacordado, e chamou um policial”, diz.

A nota esclarece que profissionais do Samu constataram o óbito de Oceu Rocha Martins, sem sinais de violência aparentes nos presos. Diante do ocorrido, o Instituto Médico Legal (IML) foi chamado para realizar os procedimentos periciais necessários, e o Iapen aguarda o laudo oficial para esclarecer as circunstâncias do falecimento do detento.

“O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado para prestar socorro ao detento, mas só pôde atestar o óbito. Não foram encontrados sinais de violência nos presos. O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado e o Iapen aguarda o laudo pericial”, conclui.

Entenda o caso

O detento Oceu Martins, foi encontrado morto em cela do presídio de Segurança Máxima Antônio Amaro, em Rio Branco, na manhã desta terça-feira (29). De acordo com as últimas informações, o detento era testemunha da chacina que ocorreu no dia 26 de julho de 2023, no presídio de segurança de Rio Branco.

Sobre a rebelião, 20 policias realizavam a segurança do pavilhão. Familiares de apenados estavam no presídio, por conta disso foram retirados às pressas do local, quando os disparos começaram.

Esse episódio foi a primeira grande crise que Américo Gaia passou enquanto está à frente da Secretária de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e afirmou que houve uma falha interna.

“Vamos diagnosticar em que ponto houve essa falha. Se aconteceu uma tentativa de fuga, houve uma falha e vamos identificar. Apesar disso, o Acre está bem servido de parcerias de integração, quanto a nível interno, quanto a externo”, finalizou o secretário.

Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), ainda não se pronunciou sobre a morte, mas disse que está verificando sobre o ocorrido. Dessa forma, a matéria segue para mais atualizações. 

Mais informações

A Polícia Civil do Acre (PCAC) deflagrou, no dia 5 de abril,  a Operação Portas Abertas, uma investigação meticulosa sobre a rebelião ocorrida em julho de 2023 no presídio de segurança máxima Antônio Amaro Alves, em Rio Branco. A ação, que mobilizou diversos órgãos da Segurança e da Justiça, teve como objetivo apurar possíveis irregularidades e esclarecer os fatos que resultaram na rebelião.

Em uma coletiva de imprensa conduzida pelo delegado-geral da PCAC, Henrique Maciel, acompanhado por representantes da Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), foram divulgados os resultados iniciais da operação. A Justiça acreana, por meio da Vara de Delitos de Organizações Criminosas, expediu 12 mandados de busca e apreensão, resultando na prisão de um policial penal e no afastamento temporário de quatro outros, que estão sob investigação por um período de 120 dias.

Delegado-geral da PCAC, Henrique Maciel, destacou que a operação terá novas fases. Foto: Assessoria PCAC

Durante as diligências, foram apreendidos diversos celulares, que estão sendo investigados como parte das evidências, além de um aparelho DVR (digital video recorder). Esses dispositivos serão submetidos a análise minuciosa.

“A Operação Portas Abertas faz jus ao trabalho de investigação que identificou duas celas abertas com cadeados cerrados, simulando que estavam fechados. Até o momento, as partes suspeitas de terem facilitado a rebelião foram ouvidas, e foi detectada também uma possível alocação irregular no Pavilhão U, que é o corretivo”, disse o delegado titular da Delegacia de Polícia Interestadual (Polinter), Roberth Alencar.

Veja a nota completa do Governo do Acre e do Iapen:

O governo do Estado do Acre, por meio do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), informa a morte do detento Oceu Rocha Martins, de 41 anos, nesta quarta-feira, 29, no Presídio Antônio Amaro Alves, em Rio Branco.

O detento que dividia a cela com Oceu relatou que, quando acordou, deparou-se com o colega caído no chão, desacordado, e chamou um policial.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado para prestar socorro ao detento, mas só pôde atestar o óbito. Não foram encontrados sinais de violência nos presos. O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado e o Iapen aguarda o laudo pericial.

Que, neste momento de profunda dor, Deus conforte o coração dos familiares.

Alexandre Nascimento – Presidente do Iapen/AC

Comentários

Continue lendo

Acre

Prefeita de Brasiléia Fernanda Hassem, assume a presidência da Amac nesta quarta-feira no lugar de Bocalom

Publicado

em

A prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem, assume nesta quarta-feira (29) a presidência  da Associação dos Municípios do Acre (Amac).

Fernanda é prefeita de Brasiléia/Foto: Reprodução

Fernanda já era vice-presidente do Conselho Diretor e agora assume o cargo no lugar do prefeito de  Rio Branco, Tião Bocalom

Com Matheus Mello, ContilNet

Fernanda já era vice-presidente do Conselho Diretor e agora assume o cargo no lugar do prefeito de  Rio Branco, Tião Bocalom, que se afasta da presidência da Amac por conta da disputa pela reeleição. Fernanda, como está em seu último mandato, pode assumir o cargo.

Prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom/Foto: Matheus Mello/ContilNet

Quem é Fernanda Hassem?

Fernanda Hassem Cesar é natural de Brasiléia (AC), nascida em 26 de dezembro de 1981, iniciou sua vida como Funcionária Pública muito jovem, iniciando  como Coordenadora do Adjunto da Solidariedade do Estado do Acre (2003).

É formada em Assistência Social pela UNOPAR (2008);  Professora de Ensino Fundamental (2009), Secretária Municipal de Comunicação da Prefeitura Municipal de Brasiléia (2006 à 2012); Vereadora do Município de Brasiléia (2013 à 2016); foi eleita Prefeita Municipal em 2016, para o Mandato no quadriênio 2017/2020. Foi reeleita Prefeita de Brasileia para o mandato 2021/2024.

Comentários

Continue lendo

Acre

Fundação de Amparo à Pesquisa do Acre divulga quantidade de inscritos no edital Expedições Científicas, lançado por conselhos do setor

Publicado

em

Por

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Acre (Fapac), em parceria com as Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAPs), divulga o resultado da quantidade de propostas inscritas no edital Expedições Científicas, lançado pelo Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) em setembro de 2023, no âmbito da Iniciativa Amazônia+10. Ao todo, foram 190 propostas de pesquisa inscritas na chamada Expedições Científicas.

Entre as instituições, a Universidade Federal do Acre ocupa o 4° lugar em quantidade de propostas de pesquisa submetidas. Os demais estados com maior número de participação foram o Pará, São Paulo e Amazonas.

As pesquisas selecionadas serão anunciadas em agosto. Foto: Pedro Devani/Secom

Com 25% a mais que o número de projetos submetidos ao primeiro edital lançado, a parceria entre Iniciativa Amazônia+10 e CNPq mobilizou mais de 1.400 pesquisadores em 19 estados brasileiros e três países, que terão os resultados das propostas selecionadas anunciados em agosto.

As propostas aprovadas serão financiadas com recursos de cerca de R$ 94 milhões, sendo R$ 30 milhões do orçamento do CNPq e o restante das FAPs participantes e das demais agências internacionais.

O presidente da Fapac, Moisés Diniz, demonstrou satisfação com esses números, principalmente em relação ao Acre. “A Iniciativa Amazônia +10, com esta chamada, atende a uma demanda muito específica e carente de campo para discussões. Essa abertura para a submissão de propostas com potencial de tanto realizar descobertas científicas quanto enriquecer campos de estudo pouco explorados na Amazônia, proporciona potencialidades para o desenvolvimento sustentável desta região preciosa para o Brasil e o mundo”, destacou.

Moisés Diniz destaca a importância da pesquisa para o desenvolvimento do estado. Foto: cedida

Expedições científicas

A chamada, que apoiará expedições científicas voltadas à ampliação do conhecimento sobre a sociobiodiversidade e a biodiversidade amazônica, mobilizou mais de 1.400 pesquisadores de 181 instituições de ciência e tecnologia (ICT) sediadas em 19 estados brasileiros e em três países –  Reino Unido, Suíça e Alemanha – que aderiram à chamada em janeiro de 2024, por meio de agências de fomento à pesquisa: o British Council e o UK Research and Innovation (UKRI), a Swiss National Science Foundation (SNSF) e o Centro Universitário da Baviera para a América Latina (Baylat), respectivamente.

“A grande procura pela chamada revela a crescente preocupação da comunidade científica, no Brasil e no mundo, com a questão da biodiversidade e da sustentabilidade. Esse sucesso só confirma o entendimento do CNPq de que não é possível projetar o desenvolvimento científico e tecnológico do país sem olhar para a questão ambiental”, afirma o presidente do CNPq, Ricardo Galvão.

Propostas

Cada proposta é liderada por pesquisadores de, pelo menos, duas FAPs ou agências estrangeiras, sendo uma delas obrigatoriamente vinculada a instituições de ensino superior ou de pesquisa com sede nos estados da Amazônia Legal (Amazonas, Acre, Rondônia, Roraima, Pará, Maranhão, Amapá, Tocantins e Mato Grosso).

As 190 propostas submetidas distribuem-se por nove grandes áreas do conhecimento (Ciências Agrárias, Biológicas, da Saúde, Exatas e da Terra, Humanas, Sociais Aplicadas, Engenharias, Linguística, Letras e Artes e outras). A área de Ciências Biológicas é contemplada em 71 propostas, seguida das Ciências Agrárias, com 29, e as Humanas, com 24.

“Estamos entusiasmados com a notável resposta da comunidade científica à chamada Expedições Científicas. Esse engajamento reflete a relevância e o potencial transformador das pesquisas sobre a sociobiodiversidade e biodiversidade amazônica, que contribuirão para ampliar nosso conhecimento e promover o desenvolvimento sustentável da região”, diz Odir Dellagostin, presidente do Confap.

Os recursos serão liberados de acordo com a disponibilidade orçamentária e financeira do CNPq e das referidas FAPs e das agências internacionais. O aporte das FAPs envolvidas em cada proposta será proporcional ao esforço em pesquisa do respectivo estado, não havendo obrigação de igual financiamento de cada uma delas.

Fonte: Governo AC

Comentários

Continue lendo