Conecte-se conosco

Cotidiano

Livakovic brilha na disputa de pênaltis, Croácia elimina o Japão e vai às quartas de final

Publicado

em

OGol

Demorou, mas o Brasil já sabe quem enfrenta caso avance para as quartas de final da Copa do Mundo. Em jogo decidido na disputa de pênaltis, após empate em 1 a 1 no tempo regulamentar, a Croácia superou o Japão com o brilho de Livakovic, autor de três defesas em cobranças japonesas.

Agora, a Croácia aguarda o vencedor do confronto entre Brasil e Coreia do Sul, que acontece logo mais, às 16h. A partida das quartas de final está agendada para o dia 9 de dezembro, próxima sexta-feira, às 12h. Pelo chaveamento, o vencedor das quartas de final enfrentará na semifinal quem levar a melhor no duelo entre Holanda e Argentina, que também está marcado para sexta-feira, porém um pouco mais tarde, às 15h.

Menos bola, mais ação

O bom primeiro tempo de Japão e Croácia foi uma boa amostra de duas escolas diferentes no futebol. A Croácia, com o forte meio de campo formado por Brozovic, Kovacic e Modric, conseguiu controlar a posse de bola, mas ironicamente sofreu para dar ritmo ao jogo e conectar a defesa ao ataque. O Japão, sempre valente nos contra-ataques, foi mais feliz quando importunou os croatas com pressão em uma linha mais alta.

A Croácia começou melhor no ataque, mas acabou penalizada por certa displiscência e demora para concluir. Aos 7 minutos, Perisic recebeu dentro da área, ficou na dúvida se chutava ou se cruzava, e acabou não fazendo nem uma coisa, nem outra. Mais tarde, em lance parecido, Petkovic recebeu livre e, quando podia ter finalizado, acabou tentando um passe para o meio da área e acabou travado, em bola que terminou nas mãos de Gonda.

Disciplinado taticamente, o Japão só avançava para o ataque na medida que a Croácia cedia espaços. Muitas vezes ele surgiu, especialmente pelo flanco direito, quando Ito foi bastante acionado. Os cruzamentos do atacante para o baixinho Maeda, porém, não tinham grande efeito.

Quando a primeira etapa caminhava para o 0 a 0, porém, a emoçou tomou conta. Primeiro, Kamada quase abriu o placar, após Maeda recuperar bola perto da área e passar para Endo, que encontrou Kamada livre. O atacante limpou a maração e bateu por cima do gol. Ironicamente, aos 42, o gol saiu mesmo com o diminuto Maeda, após cruzamento, desta vez de Doan. Se não conseguia ganhar pelo alto, Maeda aproveitou a falha da defesa e concluiu do chão, de pé esquerdo, para o fundo do gol, 1 a 0.

Empate não resolve

Sem outra alternativa a não ser partir para o ataque no segundo tempo, a Croácia prontamente solucionou o principal problema do time na primeira etapa: a falta de presença ofensiva. O gol solitário, porém, não impediu do jogo seguir para a prorrogação.

O empate dos croatas saiu antes dos 10 minutos. O zagueirão Lovren partiu para o ataque para fazer o que o meio de campo não vinha conseguindo: criar. Foi do ex-jogador do Liverpool o cruzamento na medida para Perisic, que de cabeça mandou para o lado oposto de Gonda, 1 a 1.

Depois de igualar o placar, a Croácia melhorou no jogo e passou a causar bastante problemas para o Japão. Modric, um pouco sumido na partida, quase anotou uma pintura com uma bomba de fora da área, em que Gonda salvou em defesa de mão trocada. O próprio Perisic, jogador mais acionado do ataque, também teve a chance de marcar seu segundo no jogo, após invadir a área e bater colocado, em bola que acabou desviada na marcação.

Menos perigoso do que no primeiro tempo, o Japão teve apenas uma boa oportunidade para retomar a liderança no placar. Endo arriscou de fora da área e obrigou Livakovic a fazer uma defesa plástica. O jogo teve que seguir por mais 30 minutos.

Prorroga sem emoção e pênaltis

A passagem do confronto pela prorrogação serviu para cumprir a regra da Fifa e nada mais. Exaustas, Croácia e Japão (quase) não produziram nada, em compasso de espera pela decisão por pênaltis.

O único lance de perigo nos primeiros 15 minutos foi um contra-ataque rápido puxado desde o campo de defesa por Kaoru Mitoma. O atacante japonês foi avançando e a defesa croata recuando, até chegar na entrada da área e fuzilar, em lance que contou com grande intervenção de Livakovic. Nos últimos 15 minutos de bola rolando, a situação não mudou – para não dizer que a Croácia não arriscou nada, antes do jogo seguir para as penalidades Majer chutou de fora da área e a bola passou à direita da meta de Gonda.

Na disputa de pênaltis, o Japão começou logo de cara atrás, com Minamino batendo fraco e parando em defesa de Livakovic, enquanto a Croácia converteu com Brozovic. No segundo pênalti, os japoneses perderam novamente, após Mitoma parar também no goleiro croata, mas desta vez Livaja desperdiçou. O Japão só foi converter na terceira penalidade com Asano. A falta de pontaria japonesa se confirmou na quarta cobrança, desperdiçada por Yoshida, e com brilho de Livakovic, que defendeu três dos quatro pênaltis cobrados pelos asiáticos.

Comentários

Cotidiano

São Paulo tem tabu de seis anos contra o Corinthians no Morumbi

Publicado

em

São Paulo e Corinthians pelo Brasileirão 2022
FOTOS: PAULO PINTO / SAOPAULOFC.NET

Tricolor não é derrotado pelo Alvinegro dentro de casa desde 2017, de lá para cá foram onze jogos com sete vitórias e quatro empates

O São Paulo enfrenta o Corinthians neste domingo (29), às 18h30 (de Brasília), com um tabu totalmente a seu favor. O Tricolor Paulista não é derrotado no Morumbi pelo rival há seis anos.

A última vez que o São Paulo saiu derrotado para o adversário dentro de casa foi em 2017. Na ocasião, as equipes disputavam o Campeonato Paulista e o Alvinegro venceu o Tricolor na semifinal do torneio. Na época, o técnico da equipe também era Rogério Ceni.

De lá para cá foram 11 partidas ao todo no Cícero Pompeu de Toledo, sendo sete vitórias do Tricolor e quatro empates.

Inclusive, pelo Paulistão do ano passado, as duas vezes que as equipes se encontraram o Tricolor saiu vitorioso, sendo o jogo da primeira fase, em que o São Paulo venceu por 1 a 0, com gol de Calleri, e o jogo da semifinal vencido por 2 a 1.

Depois, as equipes voltaram a se enfrentar pelo Brasileirão, e o jogo terminou com um empate em 1 a 1.

São Paulo e Corinthians se enfrentam neste domingo (29), às 18h30 (de Brasília), no estádio do Morumbi. A partida é válida pela quinta rodada do Campeonato Paulista.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Botafogo vence Guarani em jogo de cinco gols e é líder do Grupo A

Publicado

em

Lance do jogo entre Botafogo e Guarani pelo Paulistão
THOMAZ MAROSTEGAN / GUARANI FC

Bugre chegou ao terceiro jogo seguido sem vitória no Campeonato Paulista e vê a pressão em cima de Mozart aumentar

O Botafogo fez as pazes com a vitória e assumiu a liderança do Grupo A na noite deste sábado (28), ao bater o Guarani, por 3 a 2, no Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, pela sexta rodada do Campeonato Paulista.

A vitória depois de três jogos colocou o Botafogo na liderança isolada do Grupo A, com oito pontos, deixando para trás o RB Bragantino, que tem sete. Com quatro pontos, o Guarani perdeu a segunda seguida e é o terceiro colocado do Grupo B.

O jogo começou morno em Ribeirão Preto e o Guarani perdeu uma grande chance de abrir o placar com Jenison. O castigo viria aos 31 minutos. Robinho dominou na entrada da área e mandou no ângulo de Maurício Kozlinski, que se esticou todo e não conseguiu fazer a defesa.

O Bugre sentiu o gol e levou o segundo seis minutos depois. Após boa troca de passes, Robinho cruzou rasteiro e Salatiel, livre de marcação, completou de primeira. Em vantagem, o Botafogo passou a administrar a posse da bola.

O panorama não mudou muito no segundo tempo. Sentindo falta de Giovanni Augusto, o Guarani tinha muitas dificuldades para criar jogadas ofensivas. O jeito foi apostar na bola aérea, mas a zaga tricolor estava soberana. Até que, aos 30 minutos, Jamerson cruzou e Neilton diminuiu.

Mesmo não fazendo uma partida brilhante, o Botaafogo conseguiu segurar a pressão do Guarani e ainda teve tempo de marcar o terceiro gol, aos 51 minutos. Edson cruzou rasteiro e Marcos Júnior, de primeira, mandou no cantinho de Maurício Kozlinski. No minuto seguinte, Wenderson diminuiu para o Bugre, mas já era tarde demais para reagir.

Próximos jogos
O Guarani volta a campo no sábado (4), contra o RB Bragantino, às 16h, no Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas. O Botafogo encara o Corinthians, no domingo (5), às 18h30, na Neo Química Arena, em São Paulo. Os jogos são válidos pela sexta rodada.

FICHA TÉCNICA
Botafogo 3 x 2 Guarani
Local: Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto (SP)
Data e horário: sábado (28), às 20h40 (de Brasília)
Árbitro: Guilherme Nunes de Santana (SP)
Auxiliares: Daniel Luis Marques (SP) e Gustavo Rodrigues de Oliveira (SP)
Árbitro de vídeo: José Claudio Rocha Filho (SP)

Gols: Robinho, aos 31’/1T, Salatiel, aos 37’/1T, e Marcos Júnior, aos 51’/2T (Botafogo); Neilton, aos 30’/2T, e Wenderson, aos 52’/2T (Guarani)

BOTAFOGO – Matheus; Thassio, Lucas Dias, Marcel e Jean Victor (Marcos Júnior); Diogo Silva, Guilherme Mantuan, Fillipe Soutto e Osman (Edson); Robinho (Gustavo Henrique) e Salatiel (Caio Dantas). Técnico: Paulo Baier.

GUARANI – Maurício Kozlinski; Diogo Mateus (Wenderson), Lucão (Filipe), Luciano Castan e Jamerson; Leandro Vilela (Alan Santos), Lima (Yago) e Richard Ríos; Bruno Michel (Neilton), Bruninho e Jenison. Técnico: Mozart.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Pedri marca, Barcelona bate Girona e segue firme no topo do Espanhol

Publicado

em

OGol

O Barcelona não teve vida fácil, mas emplacou mais uma vitória no Campeonato Espanhol. Neste sábado, o time de Xavi Hernández visitou o Girona, Montilivi, sofreu com a retranca adversária, mas contou com gol solitário de Pedri para vencer por 1 a 0.

Como  resultado, a equipe blaugrana chega a 47 pontos, se mantém firme no topo e abre seis do vice-líder e rival Real Madrid, que ainda joga na rodada. Do outro lado, os albirrojos permaenecem no 12º posto, com 21.

Ferrolho albirrojo

O primeiro tempo foi marcado por um verdadeiro ataque contra defesa no Montivili. Mesmo fora de casa, o líder Barcelona impôs seu jogo, tomou conta do meio campo e passou grande parte do tempo trocando passes no setor ofensivo.

Do outro lado, entretanto, o Girona montou um verdadeiro ferrolho na intermediária e praticamente não ofereceu espaços ao Barça, que criou uma única boa oporunidade na primeira etapa.

Aos 15, após aproveitar erro na saída de bola dos mandantes, Ansu Fati roubou, apareceu com espaço para finalizar, mas parou em boa defesa de Gazzaniga, que fechou o ângulo e manteve o zero no placar.

Além de ser menos agressivo que o esperado, o time comandado por Xavi Hernández ainda sofreu com uma perda ainda antes do intervalo. Com problemas musculares, Dembélé deixou o campo e deu lugar a Pedri, que acabou por ser o personagem do jogo.

Pedri traz o alívio

No segundo tempo, o panorama seguiu o mesmo. Recuado, o Girona ofereceu campo para os blaugranas e ficou à espera do contra-ataque…a estratégia seguiu ineficiente.

Do outro lado, o Barcelona continuou com a bola no ataque e adiantou suas linhas de marcação para incomodar a saída de bola adversária. Aos 16 minutos, a postura mais agressiva dos visitantes, enfim, deu resultado.

Após mais uma bola roubada no campo de ataque, Gavi e Ansu Fati combinaram boa jogada pela esquerda e fizeram a bola chegar até Jordi Alba, que cruzou rasteiro, na medida para Pedri, que aproveitou indecisão de Gazzaniga e empurrou para o fundo das redes.

Na reta final, como era de se esperar, o Girona foi obrigado a mudar sua estratégia e foi com tudo para cima em busca do gol de empate. Aos 42, após boa jogada pela direita, Arnau cruzou na medida para Ivan Martín, que, livre de marcação, finalizou pela linha de fundo.

Comentários

Continue lendo

Em alta