Ex-senador recebeu quase R$ 30 mil em diárias pagas pelo Senado em viagens internacionais no período de 3 meses apenas

Senador petista Jorge Viana – Foto: Geraldo Magela/Agência Senado )

O ex-senador Jorge Viana (PT) aparece na lista de senadores não eleitos que no apagar das luzes de novembro de 2018 a janeiro de 2019 realizaram viagens internacionais custeados com dinheiro público. Em “missões oficiais”, como Dubai, nos Emirados Árabes, onde foi protagonizada a cena do “vou só ali buscar um refrigerante”, o senador acreano endossa o valor gasto pelo Senado Federal com senadores no período, foram R$ 633,3 mil. Desse valor, R$ 501,6 mil foram com senadores não eleitos.

Ao lado de Jorge Viana estão Lindbergh Farias (PT-RJ), João Capiberibe (PSB-AP), Pedro Chaves (PRB-MS), Roberto Requião (MDB-PR), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) e Hélio José (PROS).

Em reportagem assinada pelas jornalistas Amanda Almeida e Natália Portinari de O Globo, uma diária do Senado Federal de viagem internacional corresponde a R$ 1.600. Na Câmara são R$ 200,00 a mais, R$ 1.800.

Conforme o Portal da Transparência do Senado revela, Jorge Viana realizou três viagens internacionais em missões oficiais após perder as eleições de outubro. Ele participou de reunião do G20 pela União Interparlamentar e o Congresso Nacional da Argentina do dia 31 de outubro ao dia 3 de novembro.  Está custou aos cofres públicos R$ 5.376.

Outra viagem que Jorge Viana teria feito foi para representar o Senado na Conferência das Partes da Convenção – Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas – COP 24, em Katowice, Polônia, de 7 a 14 de dezembro. O valor em diárias pagas a Jorge Viana ficou em R$ 16.390,40.

A última viagem internacional foi para participar do 7º Seminário de Estudos da Delegação de Educação e Tecnologia da Cisco na América Latina realizado em Londres, Inglaterra, no período de 22 a 26 de janeiro de 2019. Nesta viagem foram pagas ao ex-senador R$ R$ 6.389,76 em diárias.

Foram quase R$ 30 mil em diárias de novembro 2018 a janeiro de 2019.

Com o fim do mandato o ex-senador acreano é cotado para atuar junto ao Banco Safra. O nome dele também circulou no meio político e jurídico. Há a informação que ele recebeu convite do ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, para atuar no instituto de educação em que Gilmar aparece como sócio, o Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP).

A reportagem do Notícias da Hora tentou contato com Jorge Viana, mas não obteve resposta. O espaço fica aberto para uma possível apresentação de versão dos fatos pelo ex-senador Jorge Viana.

Comentários