Conecte-se conosco





Cotidiano

Em Xapuri, moradores denunciam queima de resíduos de madeira em Polo Moveleiro

Com 30 focos de queimadas, Brasiléia é o primeiro colocado no estado, segundo os dados do Inpe.

Publicado

em

A queima de resíduos de madeira em uma das marcenarias do Polo Moveleiro de Xapuri tem sido motivo de reclamações de moradores das imediações do chamado Parque Industrial do município. O fogo no pó de serra produz intensa fumaça e é difícil de ser apagado, gerando riscos de incêndio, como ocorreu recentemente em Sena Madureira.

O fato também preocupa com relação ao risco de o fogo se espalhar pela vegetação que circunda o local onde o Polo Moveleiro está instalado, por conta do período propício às queimadas tanto na zona urbana quanto na rural.

A respeito do problema, o proprietário do grupo Torno e Arte Madeira, Aldenor Ferreira da Silva, que possui uma marcenaria no polo, afirmou em uma publicação feita via rede social que existe uma grande dificuldade no descarte dos resíduos de madeira usada na fabricação de móveis.

De acordo com o empresário, maneiras adequadas têm sido buscadas para resolver a situação, com o uso de tratores e caminhões-caçamba custeados com recursos próprios. Segundo ele, “nunca houve nenhum interesse claro do poder público em solucionar tal questão”.

Sobre o fogo, que se originou no último domingo, 11, e permanece ativo por quase uma semana, Aldenor Ferreira explicou que o fato foi acidental. Ele disse que uma pessoa que foi identificada pelas câmeras de segurança jogou uma bituca de cigarro no chão quando recolhia pó de serra para benefício próprio originando a queima do material.

Militares do Corpo de Bombeiros estiveram no local averiguando a situação, mas, segundo o empresário, eles informaram que não é possível apagar o fogo naquele tipo de material com o uso de água. A informação foi confirmada pela comandante da corporação no município, a tenente Marcela Sopchaki.

A reportagem procurou a Secretaria Municipal de Infraestrutura de Xapuri, pois a pasta é a responsável pela coleta de lixo e entulhos na cidade. De acordo com o secretário, Josué Ferreira, a prefeitura não dispõe de condições, em razão da alta demanda de serviços, de fazer a retirada dos resíduos do polo moveleiro.

Ainda segundo o secretário, também não é atribuição do município a retirada do material produzido pelas marcenarias, não havendo nenhum tipo de acordo ou tratativa para isso, o que o leva a considerar que é de obrigação de cada um dos marceneiros cuidar do descarte de suas respectivas marcenarias.

A reportagem também entrou em contato com o secretário municipal de Meio Ambiente e Turismo, Juscelino Facundo, mas ele não respondeu até o fechamento desta matéria.

Risco de fogo

Até o momento, Xapuri não está entre os municípios acreanos com os maiores registros de focos de queimadas no Acre. De janeiro até a metade de julho, foram detectados apenas 11 focos, sendo 7 no mês atual. Com 30 focos de queimadas, Brasiléia é o primeiro colocado no estado, segundo os dados do Inpe.

Comentários

Em alta