Se o PDT conseguir o milagre de manter a candidatura de Emylson Farias, o presidente regional do PT, Daniel Zen, terá pela frente a árdua missão de convencer os “rebeldes” a mergulharem na campanha, mesmo tendo o pedetista como vice.

Da redação com Gina Menezes/Luciano Tavares

Um fato chamou a atenção durante os dois dias de evento do Partido dos Trabalhadores no Acre, na Uninorte, durante o último final de semana, neste domingo, 04, e no sábado, 03: várias cruzes e uma lista com os nomes das mais de 50 vítimas de homicídio este ano escrita à mão em cartolinas na parede do auditório onde ocorria o encontro. A lista foi feita pelo setor da juventude do partido.

O primeiro mês de 2018 registrou 45 homicídios, um a mais que o mesmo mês do ano 2017. Já nos primeiros quatro dias de fevereiro, 12 pessoas foram assassinadas. São 57 mortes violentas até o momento.

_____________________________

O crescimento no número de assassinatos é atribuído ao conflito entre facções criminosas que avançam no estado dominando territórios do tráfico de drogas.

_____________________________

O curioso na manifestação petista é que a violência assustadora é o calcanhar de Aquiles da gestão do secretário de Segurança, Emylson Farias, vice na chapa de Marcus Viana (PT). A cada assassinato e conflito entre facções o nome do secretário surge de forma negativa em meio a debates na opinião pública.

O Encontro de Tática Eleitoral foi o primeiro grande evento do PT neste ano, e reuniu lideranças como o prefeito Marcus Viana, pré-candidato a governador do Acre, e os pré-candidatos ao Senado, Jorge Viana e Ney Amorim, o atual governador Sebastião Viana, além de presidentes dos diretórios petistas dos 22 municípios.

Juventude do PT expõe cruzes e nomes de mortos para prejudicar candidatura de Emylson

Ala petista estaria se voltando contra Emylson Farias

A ala petista que não queria Emylson Farias (PDT) como vice de Marcus Alexandre (PT) começou a reagir com a clara intenção de prejudicar o secretário de Segurança Pública. As cruzes simbolizando o número de mortos que os petistas colocaram no encontro do partido no último final de semana é sinal de que o jogo será pesado.

Fragilizado

A situação política não está fácil para Emylson. Fragilizado perante a opinião pública, esse é o momento ideal para que seus algozes políticos peçam sua cabeça e indiquem outro vice para Marcus Alexandre.

Tática definida

Curiosamente as críticas, nem tão subjetivas assim, foram feitas a Emylson Farias durante um evento do PT que tratou sobre tática eleitoral. Pelo visto a tática petista com relação a Emylson já foi definida e colocada em funcionamento.

Árdua missão

Se o PDT conseguir o milagre de manter a candidatura de Emylson Farias, o presidente regional do PT, Daniel Zen, terá pela frente a árdua missão de convencer os “rebeldes” a mergulharem na campanha, mesmo tendo o pedetista como vice.

Comentários