Conecte-se conosco





Brasil

Com dívida de R$ 37 milhões, SEINFRA sonha em retomar obras paradas

Publicado

em

Secretário Thiago Caetano durante coletiva para mostrar o que foi encontrado pela atual administração.

O orçamento de 2019 prevê recursos na ordem de R$ 13 milhões para a Secretaria de Infraestrutura e Desenvolvimento Urbano, SEINFRA, uma “superpasta”, que abriga Depasa, Detran, Deracre na atual administração.

Na contramão da receita vem as dúvidas que ultrapassam os R$ 37 milhões, fruto amargo de uma herança indigesta deixada pelo governo do PT.

Na tarde desta sexta-feira (1), o secretário da SEINFRA, Tiago Caetano, convocou a imprensa para relatar a real situação em que se encontra o setor.

São tantas dívidas e obras paradas, que só o dinheiro que o estado necessita para comprar o produto químico para tratar a água distribuída pelo Depasa, é quase duas vezes maior que todo o orçamento anual.

“O governo passado deu um calote nas empresas. Tem contratos em aberto e muitas dúvidas que estamos negociando. Vamos analisar caso a caso e se detectarmos que alguém impôs prejuízo ao erário público, vamos judicializar a questão para que o responsável seja punido”, garantiu Caetano.

Farra de gastos no Ruas do Povo

Alardeado como o maior programa de infraestrutura que o Acre já viu, o Ruas do Povo deixou um rombo nas contas públicas cujo reflexo ainda será sentido por anos.

O governo passado gastou R$ 912 milhões em obras, que em muitos casos sequer foram concluídas. Foram 3.536 ruas inseridas no cronograma. 40 desses contratos estao paralisados e apenas 4 em execução.

“Tem obras paralisadas que consumiram recursos e que hoje não compensa retomar. Primeiro porque o estado não tem dinheiro, segundo porque não temos como aproveitar o que já foi feito nesses casos. No Ruas do Povo, temos vários exemplos disso”, observou Caetano.

Museu foi “embargado”

Tiago Caetano disse que o prédio onde o governo passado pretendia construir um museu, no antigo colégio Meta, obra em andamento, será transformado na sede da SEINFRA. A medida, explicou o secretário, vai economizar gastos com locação de prédios e centralizar as ações da pasta.

Anel viário de Brasileia

Para a região do Alto Acre, nenhuma boa notícia. Apenas que a SEINFRA pretende retomar o projeto do anela viário, que inclui a ponte entre Epitaciolândia e Brasiléia. Para isso, explicou Tiago, é necessário a elaboração de um novo projeto para aproveitar os R$ 20 milhões, já em caixa, dos R$ 60 milhões previstos para a execução. Segundo Caetano, se a obra não for iniciada até junho, os recursos obrigatoriamente terão de ser devolvidos.

Por Jairo Barbosa - Especial para oaltoacre.com

Comentários

Em alta