Para que o governador fique, algumas mudanças deverão ocorrer no partido

SAIMO MARTINS

Depois de um dia marcado por indecisões políticas, reuniões e pedidos de ‘fica’ no partido, o governador Gladson Cameli (Progressistas), parece ter tomado uma decisão, por hora definitiva de permanecer na sigla partidária.

Em contato com o chefe do executivo acreano, ele disse apenas que nunca deu nenhuma declaração oficial de que deixaria o partido. “Isso é muita especulação. Infelizmente a política é assim, e também não comuniquei a ninguém que iria sair, eu não fiz nenhum gesto nesse sentido”, declarou.

Após a agenda no Parque Industrial na segunda-feira (20), o governador Gladson Cameli caminhou com o deputado estadual José Bestene por quase 50 minutos. Informações de bastidores, relataram que o parlamentar aconselhou Cameli para que ficasse no partido. Porém, para que o governador fique algumas mudanças deverão ocorrer, dentre elas a retirada da candidatura de Tião Bocalom e oficialização do apoio à reeleição da prefeita Socorro Neri.

A carta de desfiliação partidária estaria pronta e seria entregue no fim da tarde de ontem, porém, houve uma engenharia política envolvendo deputados estaduais e prefeitos do interior do Acre, além do pedido do presidente nacional, Ciro Nogueira.

Ambos foram unânimes: solicitaram que Cameli repensasse a decisão com mais calma e que levasse os 15 anos de militância na sigla em consideração.

Comentários