‘Hermanos’, entre eles Maradona, festejaram a desgraça do time brasileiro

Maradona comenta a derrota do Brasil: "Sempre disse que não gostava da seleção brasileira, e que a Alemanha tinha mais time" - Reprodução
Maradona comenta a derrota do Brasil: “Sempre disse que não gostava da seleção brasileira, e que a Alemanha tinha mais time” – Reprodução

O Globo

BUENOS AIRES – Começando pelo craque Diego Maradona, milhões de argentinos comemoraram a derrota do Brasil com a música que já virou hino oficial do país na Copa e começa assim: “Brasil me diz o que se sente…”. Salvo raríssimas exceções, a maioria dos torcedores, jornalistas, políticos e artistas, entre outros, festejou a desgraça da seleção brasileira quase como se fosse uma vitória da Argentina. No final do jogo, quando o massacre já era evidente, alguns manifestaram pena, mas a satisfação foi a sensação predominante.

Veja Também

— Sempre disse que não gostava da seleção brasileira, e que a Alemanha tinha mais time — disse Maradona, no programa de TV “Zurda”, do canal estatal argentino.

Como muitos compatriotas, o ex-jogador e ex-técnico da seleção albiceleste assegurou que “a Alemanha fez tudo certo no jogo, e o Brasil, tudo errado”.

— A seleção brasileira não tem jogadores de meio campo, era como um saco furado, passava tudo — ironizou Maradona.

Nesta quarta-feira, a tragédia brasileira foi manchete dos principais jornais argentinos. “Brasil, humilhado” foi o título escolhido pelo “Clarín”, o diário mais lido do país. Para a publicação, a seleção brasileira sofreu “a pior surra de sua história numa Copa e em sua própria casa”. A opinião de que esta derrota foi pior do que o Maracanazo de 1950 foi generalizada na Argentina: “Se o Maracanazo foi um grande golpe, este foi mais profundo. O Brasil não perdeu uma final. Será algo que o Brasil jamais poderá esquecer”, escreveu o ex-técnico Gustavo Alfaro.

Capa do Olé -
Capa do Olé –

“Humilhante 7-1. Uma Alemanha superlativa arrasou o pior Brasil”, noticiou o “La Nación”. Para o jornal argentino, “nem em seus piores pesadelos os brasileiros teriam imaginado algo assim. Nem os fantasmas do Maracanazo chegaram tão longe”.

“Hexa mais 1” foi a machete do jornal esportivo “Olé”, que também considerou a derrota “pior do que o Maracanazo e a maior humilhação da história do futebol brasileiro”.

Nas redes sociais, as brincadeirinhas e sacanagens foram intermináveis. No Twitter, o apresentador de TV Marcelo Tinelli, o mais famoso da Argentina, postou uma foto dos imitadores de jogadores brasileiros que participaram na noite da última terça-feira em seu programa, como a legenda “Brasil me diz o que se sente, juajuajuajua”. No meio do jogo, o senador Ernesto Sanz, da oposição, comentou: “não tem jeito”. “A nova Alemanha joga como o velho Brasil”, escreveu o editor de esportes do “La Nación”, Daniel Arcucci.

Passado o primeiro momento de euforia, nesta quarta, com a expectativa de derrotar a Holanda na semifinal que será disputada em São Paulo, alguns argentinos já começam a se perguntar se deveriam estar preocupados por uma eventual final contra a Alemanha.

Comentários