Quinta reunião do Bloco 1 de retirada da vacinação contra a febre aftosa aconteceu no auditório da Faeac Foto: Diego Gurgel

Durante toda esta quinta-feira, 21, no auditório da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Acre (Faeac), Rio Branco recebe a quinta reunião do Bloco 1 de retirada da vacinação contra a febre aftosa, encabeçado pelos estados do Acre, Rondônia, Mato Grosso e parte do Amazonas, contando com a presença de representantes de todos os estados.

O encontro será para discutir os avanços firmados até então e os desafios ainda a serem superados para a retirada da vacina até então obrigatória para bovinos, além do andamento da adoção de medidas sanitárias para o controle da doença.

Secretário da Casa Civil, Ribamar Trindade, esteve presente na reunião Foto: Diego Gurgel

“Esse é um compromisso do governador, com ele garantindo total apoio. Já fizemos alguns convênios para obras estruturantes com o Fundepec por exemplo, que é um fundo privado, e as obras vão sair em tempo hábil. E já estamos providenciando outras medidas como equipamentos, veículos, computadores e foi autorizado ontem pelo governador o concurso para a contratação de novos funcionários para o Idaf”, conta Trindade.

União pela meta

O Acre possui cerca de 3,3 milhões de cabeças de gado, com um patrimônio pecuário avaliado em R$ 5 bilhões e que gera 75 mil postos de trabalho em toda a cadeia. O setor é o terceiro que mais movimenta economicamente o PIB do estado, com cerca de R$ 1 bilhão anualmente.

O presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf), Rogério Melo, ressalta que o estado tem feito seu dever de casa e espera sucesso na auditoria do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) que será realizada em março.

“Pra que o Acre e os demais estados do Bloco consigam retirar a vacina, é necessário cumprir as metas do Ministério e essa reunião hoje é para dar andamento a isso. Estamos na campanha de vacinação do mês de novembro e na reestruturação do órgão de defesa que é nosso grande gargalo hoje”, conta Melo.

O governo ainda conta com o apoio de instituições como o Fundo de Desenvolvimento da Pecuária do Acre (Fundepec) que fez uma parceria com o governo que possibilitou a reforma de todos os escritórios do Idaf no estado.

Alcides Teixeira, pecuarista e presidente do Fundepec, reforça: “Essa retirada vai agregar muito valor para nós pecuaristas. Sem vacinação teremos vários novos mercados para exportação. E nossa parceria com o termo de cooperação deve entregar todos os escritórios do Idaf reformados até 10 de fevereiro”.

Comentários