Conecte-se conosco

Acre

Acre é o 14° estado mais violento para mulheres

Publicado

em

São 6,4 homicídios a cada 100 mil mulheres na capital acreana.
Rio Branco é a décima capital brasileira mais violenta no mesmo ranking

Joelda Pais explica sobre os tipos de violência contra a mulher. (Foto: Yuri Marciel/ G1)

Joelda Pais explica sobre os tipos de violência contra a mulher. (Foto: Yuri Marciel/ G1)

O Acre é o 14° estado mais violento em relação ao número de homicídios femininos. Nas capitais brasileira, Rio Branco é a 10° capital mais violenta do país para as mulheres, com 6,4 homicídios a cada 100 mil mulheres. Os dados são do Mapa da Violência sobre o Homicídio de Mulheres no Brasil realizado pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos (Cebela), publicado em 2012.

Segundo a diretora de Direitos Humanos da Secretaria de Políticas para as Mulheres do Acre (SEPMulheres), Joelda Pais,  de 2010 a 2012 foram registrados 54 homicídios de mulheres, sendo 20 homicídios em 2012, 12 homicídios em 2011 e 16 no ano de 2012. Nesses últimos três anos também foram registrados 6.122 boletins de ocorrência de casos de violência contra mulheres.

Em Rio Branco, a Casa Rosa Mulher é uma das principais instituições de apoio à mulher. Segundo a coordenadora da instituição, Vanessa Motta uma média de 2 mil mulheres foram atendidas no local em 2012.

Na segunda maior cidade do Acre, Cruzeiro do Sul, o número de denúncias de violência contra a mulher aumenta a cada ano. A delegada Carla Ívane de Brito, da Delegacia de Proteção à Mulher de Cruzeiro do Sul, explica que em 2012 foram instaurados 311 inquéritos, um acréscimo de 110% em relação ao ano anterior. Só nos dois primeiros meses de 2013 a polícia já abriu 45 procedimentos de investigação.

Rosalina de Oliveira Souza, coordenadora do Centro de Referência de Cruzeiro do Sul avalia que os trabalhos de prevenção realizados com grupos de mulheres pela cidade têm despertado as vítimas. “Nós sabemos também que com a vinda de uma delegada, as mulheres ficam mais a vontade para relatar o que estão passando. Nada contra o delegado que atendia anteriormente, mas hoje é uma conversa de mulher pra mulher”, avalia.

Em 2011, por exemplo, foram registrados 140 inquéritos por agressão. No ano passado, este número chegou a 311 casos, sendo 3 homicídios e duas tentativas de assassinato. Nos dois primeiros meses de 2013 a polícia já abriu 45 procedimentos de investigação.

Os homicídios femininos ou feminicídios acontecem geralmente na esfera domésticas. Segundo a pesquisa do Cebela, 68,8% das mulheres que sofrem violência doméstica no Brasil sofrem as agressões em suas residências, e 42,5% dos casos é realizado por parceiros ou ex-parceiros.

Tipos de Violência
Os maiores índices de violência contra a mulher são de violência física, segundo Joelda Pais. “Pelas estatísticas, os índices mais altos são de agressão física, mas quando acontece esse tipo de agressão significa que os outros tipos de violência estão acontecendo há algum tempo”  comentou a diretora da SEPMulheres.

A violência doméstica que constitui crime pode ser classificada em cinco tipos, sendo elas violência física, psicológica, sexual, patrimonial e moral. A violência física é a mais conhecida, sendo aquela em que há agressão a integridade ou saúde ao corpo mulher.

Também existe a violência psicológica, entendida como qualquer conduta que cause dano emocional e diminuição da autoestima, limitando as possibilidades da mulher crescer como pessoa, tentando degradar ou controlar ações, comportamentos, crenças e decisões. “Por exemplo, não deixa a mulher estudar ou não deixa ir no posto de saúde fazer algum tipo de atendimento, tem casos que não deixa a mulher nem ir à igreja” explicou Joelda.

Violência sexual é  aquela conduta que obriga a pessoa a presenciar,  manter ou a participar de relação sexual não desejada, mediante intimidação, ameaça, coação ou uso da força. “É quando a pessoa força uma relação sexual quando a mulher não quer, às vezes isso acontece dentro do próprio matrimônio e a mulher não sabe que isso é violência sexual. O estupro vai além da Lei Maria da Penha, chega ao código penal”, comenta a diretora da SEPMulheres.

Também é considerada violência sexual induzir alguém a comercializar ou a utilizar, de qualquer modo, a sua sexualidade, que a impeça de usar qualquer método contraceptivo ou que a force ao matrimônio, à gravidez, ao aborto ou à prostituição.

É entendido como violência patrimonial qualquer comportamento que configure retenção, destruição parcial ou total de objetos “É quando o homem destroi objetos da mulher, documentos, objetos de trabalho, as vezes ate a própria casa”, afirma Joelda.

O último tipo é a violência moral, entendida como qualquer conduta que configure calúnia, difamação ou injúria. “É quando faz insinuações das atitudes morais dela, dizendo que ela vai para escola só para trair ou que ela não é confiável”, falou a diretora de direitos humano da SEPMulheres.

Veriana Ribeiro
Do G1 Acre

Comentários

Acre

Cieps apresenta serviços oferecidos para todas as forças de segurança

Publicado

em

O secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, José Américo Gaia, e o secretário-adjunto, coronel Evandro Bezerra da Silva, visitaram na manhã desta sexta-feira, 3, as instalações do Centro Integrado de Ensino e Pesquisa em Segurança Pública (Cieps), em Rio Branco, onde verificaram os cursos que estão sendo oferecidos na unidade a todas as forças de segurança.

Secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública do Acre, José Américo Gaia, juntamente com o secretário-adjunto, coronel Evandro Bezerra da Silva, e o diretor coronel Atahualpa Batista Ribera. Foto: Dhárcules Pinheiro/Sejusp

Na ocasião, Gaia falou da importância das instalações para a formação de novos profissionais da Segurança Pública do Acre. “O Cieps é onde estão os futuros servidores da Segurança Pública. A existência desse espaço torna possível assegurar o pilar de uma sociedade estruturada que valoriza a paz e a segurança”. Ele complementa explicando que um bom espaço é fundamental para que isso seja possível.

Atualmente, os espaços do Cieps compõem mais de 1.242 alunos em cursos de formação, entre eles o curso de Habilitação de Oficiais Administrativos (CHOA) da Polícia Militar, com 45 alunos; o do Corpo de Bombeiros com 67 alunos; o Curso de Formação de Soldados (CFSD) da Polícia Militar, com 180; do Corpo de Bombeiros, com 250; e o curso de Capacitação do B.O Integrado, com cerca de 700 alunos por mês; além de 295 alunos do Instituto Socioeducativo do Acre (ISE) na Escola Darcy Vargas.

No centro, atualmente estão em formação 1242 alunos. Foto: Dhárcules Pinheiro/Sejusp

O diretor do Cieps, coronel Atahualpa Batista Ribera, que acompanhou o secretário durante a visita, destacou que o centro está em constante movimento nessa formação na área de Segurança Pública. “O Cieps forma pessoas preparadas para atuarem na habitação de frentes de defesa do nosso estado”, disse Atahualpa.

Na visita, o secretário de Segurança e o adjunto também conheceram a direção de todas as forças de ensino integrantes do centro, fazendo uma breve apresentação da nova gestão à frente da pasta de Segurança.

Foto: Dhárcules Pinheiro/Asscom Sejusp

Comentários

Continue lendo

Acre

No Iteracre: Prefeito Sérgio Lopes solicita doação de terreno para construção de quadra poliesportiva

Publicado

em

Ainda Cumprindo agenda na Capital Acreana, o prefeito de Epitaciolândia Sérgio Lopes, acompanhado pela primeira dama, Alliny Saldanha, esteve no ITERACRE (Instituto de Terras do Acre) onde foi recebido pela presidente do Instituto, Gabriela Câmara.

Na pauta o prefeito solicitou a parceria do estado através da cessão de um terreno para que seja construída uma quadra Poliesportiva na Comunidade do Nari Bela Flor, situada no quilometro 09 da BR-317.

Através dessa importante parceria, em se consolidando a doação do terreno, o município poderá executar a obra, fruto de emenda da ex-deputada Vanda Milan e fortalecer a prática de várias atividades esportivas e culturais beneficiando os moradores daquela localidade.

FOTOS: Isnaydle Martins

Comentários

Continue lendo

Acre

Escolas públicas militares do Acre são exemplos de educação e ensino, diz Cel. Ulysses.

Publicado

em

O deputado cel.Ulysses(UB) declarou-se surpreso com a Recomendação conjunta do Ministério Público Federal(MPF) e Ministério Público do Acre(MPAC) destinada ao Governo do Estado e aos Comandos Militares solicitando o abrandamento das regras existentes nas escolas públicas militares.O deputado rebate a Recomendação, alegando que “são regras típicas da natureza militar, aceitas por toda a comunidade, que em nada prejudicam ou sobrecarregam os estudantes. Pelo contrário, ajudam a criar a consciência de disciplina, hierarquia e princípios que preparam para a futura carreira militar e beneficiam os alunos na formação de valores cívicos que vão ser úteis para o resto da vida”, disse o deputado.

Cel.Ulysses lembrou ainda que quando os pais matriculam seus filhos nas escolas militares -cujo ingresso, aliás, é bastante concorrido- têm absoluta consciência que o aluno está submetido à disciplina militar. “Portanto, a Recomendação contraria a decisão dos próprios pais que desejam uma escola tipicamente militar que proporcione a seus filhos a melhor formação moral e intelectual”. Segundo o parlamentar, a Recomendação não encontra amparo legal, fere a legislação militar, interfere na autonomia administrativa e melindra a Constituição .

Modelo

O parlamentar destacou ainda que hoje as escolas militares, “são verdadeiras ilhas de excelência de ensino na educação pública brasileira, em particular no Acre”. Segundo o parlamentar, o padrão militar de ensino traz em sua proposta pedagógica não apenas o ensino regular tradicional, mas inclue estímulo ao espírito de equipe, companheirismo, cuidados na apresentação pessoal, respeito no trato social e valorização da família. ”O que garante a criança ou adolescente uma efetiva noção de cidadania. É evidente o destaque dos alunos das escolas militares acreanas em relação à rede pública e privada, fruto sobretudo dos preceitos disciplinares próprios da vida militar que influenciam decisivamente nos resultados.

Resultados

A título ilustrativo, o deputado lembra que ,em 2022, 81,6% dos alunos da Escola Militar Tiradentes(sob gestão da PM/AC) que realizaram o ENEM foram aprovados em diversas faculdades(61 deles com ingresso na Ufac).Em 2021, a mesma escola foi considerada a melhor do Ensino Médio no Estado. Já nas competições, a escola foi destaque na 16 º Olímpiada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas(OBMEP),além de tantos outros prêmios em competições de xadrez ,robótica e diversas outras modalidades ao longo dos anos da existência da escola.

Solidariedade

Por fim, o deputado enfatiza que os princípios e regulamentos empregados nas escolas militares acreanas não contrariam direitos fundamentais e têm amparo em normas administrativas submetidas ao conhecimento e apreciação públicas. Por isto mesmo, destacou o deputado, venho me solidarizar aos pais de alunos , diretores, corpo docente e discente das escolas militares estaduais acreanas e coloco meu gabinete à inteira disposição para a defesa e manutenção dos preceitos pedagógicos e práticas militares que tornaram estas instituições em verdadeiros exemplos de educação e ensino.

Comentários

Continue lendo

Em alta