Duas mulheres, uma de Santa Cruz e outra de Oruro que estiveram na Itália com idades acima de 65 anos estão isoladas

Da redação, com El Deber

O ministro da Saúde, Aníbal Cruz, confirmou hoje dois primeiros casos de coronavírus na Bolívia. Um dos casos foi confirmado em San Carlos (Santa Cruz) e o outro em Oruro.

Segundo o ministro, os dois pacientes estavam na Itália e atualmente estão isolados, recebendo o tratamento correspondente.

No caso da paciente de Oruro, o ministro informou que é uma mulher de 65 anos que chegou ao país da Itália, entrando pelo Aeroporto Internacional Viru Viru, em Santa Cruz.

A mulher está em quarentena dentro de sua casa com outros parentes. Dois dias após sua chegada ao país, ele começou a sentir os sintomas, ou seja, febre, tosse e mal-estar, então foi a um centro de saúde, onde eles colheram amostras que depois eram enviadas ao laboratório. Os testes confirmaram que ele tem coronavírus.

O caso da paciente de San Carlos indicou que é uma mulher com mais de 65 anos de idade, com residência prolongada na Itália; Aparentemente, chegou no sábado, 29 de fevereiro, em Santa Cruz e passou as verificações no aeroporto porque não havia sintomatologia.

A mulher foi hospitalizada na segunda-feira de emergência no hospital do município de San Carlos (norte da capital de Santa Cruz), após apresentar um quadro de aumento térmico (febre) e dificuldades respiratórias. Ela chegou ao país há alguns dias de Milão.

Quando o pessoal do Serviço Departamental de Saúde (sede) foi a essa localidade para revisá-lo, ele informou que a idosa disse que sentia um mal-estar e sensação de falta de ar. Além disso, ele fez o teste de coronavírus e o enviou ao Cenetrop.

Na segunda-feira, o chefe da sede, Marcelo Ríos, disse que “no momento o paciente não atendia à definição do caso porque a febre já havia desaparecido e não tinha outra manifestação”, no entanto, eles decidiram mantê-la sob observação até cumprir os 14 dias de rigor, fato que já foi cumprido. O resultado do Cenetrop já confirmou que, de fato, o paciente tem Covid-19.

Na época, Ríos destacou que o hospital de San Carlos, onde o paciente permanecia isolado e sob observação, mantinha um bom protocolo de biossegurança. Por sua vez, ele disse que a investigação que haviam iniciado também chegara à família da mulher.

O protocolo foi ativado com cautela, desde que a pessoa chegou da Itália, um país em que 631 pessoas morreram devido ao coronavírus e existem 8.514 casos confirmados pelo Covid-19.

Comentários