Helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) fez voos em vários bairros da capital acreana.

Ciopaer reforça segurança no Cidade do Povo — Foto: Quésia Melo/Rede Amazônica
Por Alcinete Gadelha — Rio Branco

Após o registro de quatro mortes do conjunto Habitacional Cidade do Povo, A Segurança fez ações com helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) no combate à criminalidade, em Rio Branco.

Na manhã desta sexta-feira (17), foram feitos vôos em vários pontos, segundo informou o piloto Alexandre Vasconcelos.

“O Ciopaer tem condições técnicas de promover um suporte operacional considerável pela velocidade que o helicóptero tem de fazer uma cobertura de 32 viaturas e o deslocamento rápido entre um bairro e outro, então a Secretaria de Segurança determinou que a gente prestasse esse apoio devido ao momento crítico da criminalidade que a gente está passando”, disse.

Antônio José de Oliveira da Conceição, de 39 anos, foi morto na noite desta quinta-feira (16), em frente a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), do conjunto, o que desencadeou a ação.

Só em janeiro, esta é quarta pessoa executada no bairro. Felipe Ramon Lima de Moraes, de 22 anos, foi morto com vários disparos de arma de fogo, no dia 3 de janeiro, após um trio arrombar a porta de trás da casa dele.

No mesmo dia, em um período de 8 horas, Rosemilda Oliveira da Silva, de 26 anos, foi morta com ao menos quatro tiros no mesmo bairro. Ela também teve a casa invadida por uma dupla que entrou no quarto dela, efetuou os disparos e fugiu logo em seguida.

Ainda no conjunto, Antônio José Bernardo de Oliveira, 29 anos, foi assassinado a tiros no dia 14. Durante a ação, Vasconcelos diz que a comunicação com o pessoal de solo é feita via rádio e a equipe pode ser acionada para fazer alguma perseguição ou monitoramento.

“E o que a gente observa aqui também é transmitido para o pessoal de solo e, se for preciso, a gente faz uma contenção, uma perseguição com muita agilidade”, pontuou.

Os voos estão sendo feitos em toda cidade, com observação de meia hora em cada localidade, conforme informou Vasconcelos.

Ação é desencadeada em bairro de Rio Branco após registro de quatro mortes — Foto: Quésia Melo/Rede Amazônica

Mudanças

O delegado responsável pela regional do bairro, Jarlem Alexandre, em entrevista à Rede Amazônica, disse que algumas mudanças devem ocorrer para melhorar a segurança no bairro.

“Por uma decisão do governo e da Secretaria de Segurança Pública, haverá a implantação da primeira base de Segurança Pública aqui na Cidade do Povo. Haverá uma guarnição exclusiva para o projeto, para atender as ocorrências de forma mais célere e uma guarnição também da Polícia Militar”, informou.

O delegado disse que nesse primeiro momento, apenas a PM vai integrar a base junto com a Polícia Civil, mas depois, o Iapen [Instituto de Administração Penitenciária] e outros órgãos de segurança também devem fazer parte da base.

“Haverá maior interação de informações entre a PM e Polícia Civil para a gente poder realizar um melhor serviço à população. A gente espera que alguns aspectos de estrutura sejam melhorados para melhorar o atendimento”, conclui.

Colaborou Quésia Melo da Rede Amazônica Acre

Comentários