A gestão do governador Gladson Cameli tem priorizado umas das áreas mais sensíveis da sociedade acreana: a Segurança Pública e o deputado federal Alan Rick (DEM) tem sido o principal parceiro,  no âmbito da bancada federal do Acre no apoio a essa ação de governo.

Alan, aliás, é o parlamentar que mais tem apoiado a Segurança Pública. Nos últimos cinco anos destinou mais de R$ 11 milhões de suas emendas individuais para aquisição de equipamentos, viaturas, coletes, fortalecimento de programas de Segurança, estruturação de delegacias da Polícia Civil, equipamentos para o grupamento Giro da Polícia Militar, aquisição de equipamentos para o Corpo de Bombeiros, a reestruturação da DENARC – Delegacia de Repressão ao Narcotráfico e a instalação e ampliação do Cerco Eletrônico – moderno sistema de videomonitoramento que já tem ajudado as polícias civil e militar a prender bandidos e solucionar crimes na capital e interior, além de recursos para implantação da Casa de Justiça e Cidadania, na Cidade do Povo e apoio a projetos de alcance social do Tribunal de Justiça do Acre.

O trabalho que vem sendo realizado pelas forças policiais na administração do secretário de Segurança Pública, Paulo Cézar dos Santos tem se destacado pelas ações efetivas de combate e enfrentamento ao crime no Estado e uma das ferramentas mais importantes,  o Cerco Eletrônico, é fruto de emenda de Alan Rick.

“Estive em Israel em 2016 para conhecer de perto seu sistema de videomonitoramento e os softwares de segurança utilizados pelas forças policiais e militares em Tel Aviv e Jerusalém. Lá tivemos a real dimensão da importância do Cerco Eletrônico para o sistema de segurança do Estado”, destaca Alan Rick.
Para 2021, o parlamentar já garantiu mais uma parcela de R$ 1 milhão, de suas emendas individuais, para ampliação do Cerco Eletrônico.EFICIÊNCIA

Para se ter uma ideia dos bons resultados, basta dizer que o funcionamento do Cerco Eletrônico aumentou em mais de 50% a recuperação de veículos roubados na capital, além de evitar sequestros relâmpagos e ajudar na prisão de foragidos de ações policiais.

O Cerco funciona com sete barreiras, com 21 câmeras de monitoramento, espalhadas em pontos estratégicos. A princípio, a ferramenta está em operação apenas em Rio Branco, mas há parcerias em andamento com a Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal para a implantação das câmeras também nas entradas e saídas dos municípios que fazem fronteira com o Estado.
O secretário de Segurança Pública, Coronel Paulo Cézar, inclusive, já manteve reuniões com autoridades da Bolívia para ampliar essa parceria também na área da fronteira.

Aliadas às ações permanentes das Polícia Civil e Militar, na capital e no interior, o Cerco Eletrônico é eficiente para o combate a diferentes tipos de crimes e especialmente contra o patrimônio, furto de veículos, tráfico de drogas e sequestros relâmpagos. Isso é possível porque o sistema registra a foto de todos os veículos que passarem pelas barreiras e as placas são lidas pelo equipamento, que armazena a informação na base de dados, graças a um software inteligente acoplado às câmeras.

“O projeto vai ao encontro das prioridades do governador Gladson Cameli que tem uma visão de futuro para o setor e determinou que busquemos as melhores condições para o enfrentamento da criminalidade”, afirma o secretário de Segurança Pública, lembrando que o uso da tecnologia avançada tem sido essencial para a polícia concluir com sucesso ocorrências em todo o Estado.

Comentários