Conecte-se conosco





Extra

Perturbação em praça pública termina em detenção de oficial do Exército por desacato

Publicado

em

Os finais de semana na cidade de Brasiléia tem tido registros de perturbação em vários locais após a meia-noite, quando os bares encerram seus trabalhos. Algumas pessoas então resolver dar uma esticada na noite a procura de local para beber, ouvir música e namorar.

Não seria problema se, tais pessoas não ultrapassasse o limite do silêncio e da perturbação mesmo em período de pandemia. Alguns registros já vinham sendo feito na Praça Ugo Poli, onde se tornou um ponto de encontro para ouvir música alta, levar menores e consumir muita bebida alcoólica na madrugada, as vezes até amanhecer.

Outro detalhe, seria os moradores que pouco são respeitados. Ao redor da praça, existe hotéis, apartamentos e muitas residências com pessoas idosas, crianças e doentes se recuperando do covid-19.

Algumas cenas foram registradas de pessoas nuas, fezes e urina, e muitas garrafas de cervejas espalhadas pela praça. A prefeitura teve que disponibilizar funcionários exclusivamente no final de semana para retirar as garrafas quebradas que já até feriram crianças.

Cenas de homens e mulheres nus na praça já foram registrados em vídeo e fotos – captura

Pode-se dizer que o ponto alto aconteceu na madrugada deste domingo, dia 1 de agosto, por volta das 4h30. Um delegado que mora ao lado da Praça, foi acordado pelo barulho e percebeu que além veículos, havia pessoas com caixa de som em alto volume.

Ao serem abordados e solicitados que baixassem o volume, ninguém atendeu o pedido. Foi quando pediu apoio de uma viatura da Polícia Militar para que fosse cumprido a ordem com possibilidade de retenção dos veículos.

Foi quando um homem dizendo ser tenente do Exército Brasileiro, mas se recusou a se identificar, onde passou a desacatar os policiais militares e impedir o trabalho, além de incitar os que estavam na praça contra os PM’s.

Segundo o Boletim de Ocorrência, o militar passou a desmerecer o trabalho dos policiais dizendo que não teriam autoridade sobre ele e após não obedecer, lhe foi dado voz de prisão ao tentar entrar no veículo. Foi quando outro teria tentado impedir dizendo ser filho de um advogado e que a guarnição estaria “ferrada”, também foi  detido por desacato e tentativa de impedir a detenção do colega.

Uma confusão foi formada na praça, outras pessoas também cercaram a guarnição na tentativa de impedir o trabalho da PM, sendo necessário o uso de spray de pimenta para afastar todos, sem que fosse usado força desproporcional contra civis.

Abuso e desdenho

O homem que seria um oficial do Exército Brasileiro ao chegar na delegacia, passou a desdenhar dos policiais, se dizendo ser filho de coronel e que todos sofreriam retaliação quando seu genitor soubesse do ocorrido, tentando intimidar a guarnição.

O incidente na praça gerou um mal estar entre as corporações, ao ponto de envolver o pai do militar que estaria lotado na Companhia Especial de Fronteira em Epitaciolândia e o Alto Comando da Polícia Militar na Capital.

Foi registrado que, mesmo tentando humilhar os policiais militares, o mesmo foi entregue à uma guarnição do Exercito Brasileiro após ser confeccionado o Boletim de Ocorrência.

Moradores pede providencias

O caso ocorrido nesta madrugada não foi isolado. Outras situações já foram registradas e diante dos fatos, moradores já estão fazendo um baixo assinado para entregar ao Ministério Público e na Câmara Municipal.

A intenção é que seja criada uma Lei Municipal afim de coibir tais ações a partir de determinado horário, salvaguardo em datas comemorativas previamente organizadas, mantendo a ordem.

Comentários

Em alta