fbpx
Conecte-se conosco

Brasil

País teve 2,15 milhões de hectares queimados no primeiro semestre

Publicado

em

Biomas Amazônia e Cerrado foram os mais atingidos no período

No primeiro semestre deste ano, 2,15 milhões de hectares foram queimados no Brasil, revela mapeamento feito pelo MapBiomas Brasil, uma rede colaborativa formada por organizações não governamentais (ONGs), universidades e empresas de tecnologia, que produz um relatório sobre a cobertura e uso da terra. Segundo o mapeamento, isso significou queda de 1% em relação ao mesmo período do ano passado.

Se for considerada apenas a região da Amazônia, no entanto, as queimadas aumentaram 14% em relação ao último ano. De acordo com o MapBiomas, a Amazônia foi o bioma com a maior área queimada no semestre, com 1,45 milhão de hectares devastados em 2023, o que corresponde a 68% de toda a área queimada do Brasil nesse período.

Em segundo lugar, vem o Cerrado, com 639 mil hectares, o que representou 30% sobre o total de área queimada no país e aumento de 2% em comparação com o mesmo período de 2022.

“A área queimada no primeiro semestre de 2023 no Cerrado está dentro da média dos últimos anos, com destaque para ações de queimas prescritas que são realizadas nesse período como parte da estratégia de prevenção de incêndios florestais do MIF (Manejo Integrado do Fogo). Porém, a área queimada em junho foi maior do que nos meses anteriores, porque o período de seca no bioma está só começando. A situação pode se agravar ainda mais com a chegada do fenômeno El Niño”, diz, em nota, a coordenadora operacional do MapBiomas Fogo, Vera Arruda, pesquisadora do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia.

De toda a área queimada no primeiro semestre deste ano no país, 84% eram de vegetação nativa, a maioria em formações campestres. Segundo o MapBiomas, as pastagens se destacaram entre os tipos de uso agropecuário, representando 8,5% de toda a área queimada.

O relatório revelou ainda que, na Mata Atlântica (10.220 hectares) e no Pantanal (13 mil hectares), a área queimada no primeiro semestre deste ano foi a menor dos últimos cinco anos.

A Caatinga seguiu a tendência de queda, com a área queimada no primeiro semestre inferior à dos anos anteriores, com 818 hectares atingidos. Já no Pampa foram queimados 7 mil hectares.

Roraima

Quase metade da área queimada no país entre janeiro e junho deste ano esteve concentrada em um único estado da Amazônia: Roraima, principalmente nas cidades de Normandia, Pacaraima e Boa Vista.

Só neste estado, foram queimados 1 milhão de hectares no primeiro semestre deste ano. Em seguida, apareceram os estados de Mato Grosso (258 mil hectares) e do Tocantins (254 mil hectares). Juntos, os três estados respondem por 82% da área queimada total no período.

Junho

Apesar de os dados semestrais terem mostrado relativa estabilidade, os números do mês de junho mostraram avanço nas queimadas em relação ao ano passado. Pelo relatório, os 543 mil hectares queimados no mês passado estão 203% acima da área queimada em maio de 2023. Segundo o relatório, a vegetação nativa respondeu por 81% da área queimada em junho.

O bioma com maior área queimada no mês de junho foi o Cerrado, com 425 mil hectares, seguido pela Amazônia, com 102 mil hectares.

As unidades de conservação que lideraram o ranking de áreas queimadas no mês de junho foram a Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins, o Parque Nacional dos Campos Amazônicos e o Parque Nacional do Araguaia.

Edição: Nádia Franco

Comentários

Brasil

Manifestação com apoiadores de Bolsonaro lota avenida Paulista em SP

Publicado

em

Ex-presidente comparece ao ato, que ocupa nove quarteirões da avenida

A manifestação de apoio ao ex-presidente Jair Bolsonaro acontece neste domingo (25).

De acordo com imagens aéreas, são nove quarteirões completamente ocupados, e os organizadores do evento estimam um público de 700 mil pessoas.

Bolsonaro chegou acompanhado da mulher, Michelle Bolsonaro, e do governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas.

Os governadores de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil), de Santa Catarina, Jorginho Mello (PL), e de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), também compareceram.

Comentários

Continue lendo

Brasil

Brasil é hexacampeão mundial de Beach Soccer

Publicado

em

Rodrigo marca de bicicleta. Brasil vence a Itália e leva o caneco mundial pela sexta vez – Foto: Reprodução Youtube CazéTV

Sexta conquista veio neste domingo (25/2) após vitória por 6 a 4 sobre a Itália na final da Copa do Mundo realizada nos Emirados Árabes

O Brasil é hexacampeão mundial de Beach Soccer. Afinal, neste domingo (25/2), na final da Copa do Mundo-2024, em Dubai, nos Emirados Árabes, os Canarinhos venceram a Itália por 6 a 3. Com isso,  a Seleção levantou a taça e recuperou a hegemonia que tinha perdido desde 2017 (a Rússia era a atual campeã). Rodrigo, o melhor do mundo, fez três gols, um deles de bicicleta, o que é bem comum no futebol de praia. Bruno Xavier, Breno e Genovale (contra) fizeram os gols canarinhos. Para os italianos marcaram Fazzini (dois) e Genovali (dois).

O Brasil também foi campeão em 2006, 2007, 2008, 2009 e 2017. Mas, se considerarmos os mundiais que a Fifa não organizou, este é o 15º  caneco, já que a Seleção Brasileira venceu todos os mundiais anteriores (foram nove anuais – exceto em 2001 – entre 1995 e 2005).

O jogo foi duríssimo para o Brasil, que acabou sendo favorecido quando o goleiro Casoperi foi expulso. Ele era o melhor em campo, com defesas excepcionais no segundo dos três tempos. Para se ter ideia, até a expulsão do italiano, o jogo estava 1 a 1. O Brasil logo fez 2 a 1 (pelo regulamento, ao sair um gol, o time rival pode voltar a ter cinco jogadores em campo, mas o expulso segue fora). E apenas no terceiro tempo foi que a Seleção deslanchou. Ao abrir 6 a 3, passou a administrar o tempo. Chegou a levar um gol. Mas não dava mais tempo para nada. Brasil hexa.

 

Comentários

Continue lendo

Brasil

Popó vence luta contra Bambam em menos de 40 segundos: “Você me desrespeitou muito”

Publicado

em

Tetracampeão mundial disparou uma sequência de golpes no primeiro vencedor do Big Brother Brasil (BBB), que precisou se segurar nas cordas do ringue para não cair

Bambam havia prometido chocar o mundo com seu desempenho na luta, mas não teve chance sequer de disparar um golpe | Foto: Jhony Inácio / Estadão Conteúdo / CP

Por: Correio do Povo

Acelino Popó Freitas nocauteou Bambam em apenas 36 segundos e venceu a principal luta do Fight Music Show 4 (FMS) na madrugada deste domingo. O tetracampeão mundial disparou uma sequência de golpes no primeiro vencedor do Big Brother Brasil (BBB), que precisou se segurar nas cordas do ringue para não cair. Sem limites de knockdowns, Popó foi dado como vencedor no embate após derrubar seu adversário pela segunda vez em apenas 36 segundos de luta.

O nocaute aconteceu logo no primeiro round. Bambam havia prometido chocar o mundo com seu desempenho na luta, mas não teve chance sequer de disparar um golpe. Atordoado, Bambam não conseguiu manter a guarda e se defender dos ataques do Popó.

“Há quatro dias fez 24 anos que lutei aqui. Digo com toda a humildade, com todo respeito ao Bambam, ele foi responsável em toda essa casa estar cheia hoje. O que ele me provocou, ele provocou tipo assim, ‘quero ver esse Popó derrubar esse cara’. Quem tá aqui hoje veio pra ver isso, não só por causa de mim, só estava âncora ali pra derrubar ele. Ele foi o cara que fez todo o marketing, que encheu e deu todas as audiências”, disse Popó no discurso da vitória.

O lutador ainda ressaltou que ao Bambam desmerecer uma pessoa ligada ao esporte, automaticamente desmerece também a modalidade em si. Além disso, o atleta fez um apelo direto ao respeito, não apenas para si, mas também para sua família, destacando a importância dos valores éticos e do reconhecimento mútuo no mundo esportivo.

“Deu até as costas pra mim de tão frouxo que você é. Você falou que seu soco é tipo um foguete, mas é tipo o do Elon Musk, deu de ré”, destacou. De acordo com as regras do FMS, a vitória de Popó não entra para o seu cartel.

O Fight Music Show foi criado em 2022 e reúne ex-lutadores profissionais e celebridades pela quarta vez. Na primeira edição, por exemplo, Popó enfrentou o comediante Whindersson Nunes em um embate que terminou em empate técnico.

A noite também teve outros confrontos, como a vitória de MC Gui contra Nego do Borel e de Emilene Juarez (mulher de Popó) contra Fernanda Lacerda, que interpretou a personagem Mendigata no programa Pânico na Band.

Comentários

Continue lendo






Em alta