fbpx
Conecte-se conosco

Flash

Marcus Alexandre comandava organização criminosa com núcleos distintos, diz denúncia do MP

Até o último contato feito pela reportagem o ex-prefeito Marcus Alexandre, na sexta-feira, 2 de junho, ele afirmou não tinha, ainda, sido notificado e que desconhecia a ação, razão pela qual optou por não se manifestar naquele momento a respeito do assunto.

Publicado

em

Por Raimari Cardoso

O teor da recente denúncia de improbidade administrativa feita pelo Ministério Público do Acre (MPAC) contra o ex-prefeito Marcus Alexandre no âmbito da Operação Midas, investigação de desvio de recursos público na Empresa Municipal de Urbanização de Rio Branco (EMURB), revela um esquema intrincado de desvios de recursos públicos e de favorecimento pessoal.

De acordo com o MP, na parte executiva, a atuação da organização criminosa supostamente comandada pelo ex-prefeito se dava em núcleos distintos, em conformidade com a estrutura administrativa da EMURB e com atuação específica. O esquema, segundo as investigações da 2ª Promotoria Especializada de Defesa do Patrimônio Público e do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO), ocorria da seguinte maneira:

a) o núcleo das COMPRAS era integrado pelos ordenadores de despesas, chefias da Divisão de Almoxarifado e da Divisão Administrativa, da qual o setor de compras estava subordinado. Sua atuação voltava-se ao desvio de recursos públicos mediante a realização de despesa e efetivo pagamento sem a correspondente contraprestação.

b) O núcleo do ABASTECIMENTO era integrado pelos ordenadores de despesas, chefias da Divisão de Abastecimento e da Divisão Administrativa, da qual o setor de compras estava subordinado. Sua atuação volta-se para o desvio de combustíveis e fraude na execução dos contratos de fornecimento.

c) O núcleo das MEDIÇÕES era integrado pelos membros da Diretoria Executiva, chefia da Divisão de Transporte, chefia da Divisão de Custos e Controle e chefia da Divisão Administrativa. Sua atuação volta-se para o desvio de recursos públicos mediante a realização de despesas com locação de veículos e equipamentos sem a correspondente contraprestação.

d) O núcleo do ALMOXARIFADO era integrado pelos membros da Diretoria Executiva e chefia da Divisão de Almoxarifado, e se voltava para o desvio de bens de propriedade da EMURB.

O MP explica que a presente ação tem por objeto uma fração dos ilícitos cometidos e diz respeito especificamente com o núcleo do ALMOXARIFADO e ABASTECIMENTO, que consistiam no desvio de materiais e estoque da EMURB e de combustíveis, e na execução fraudulenta de contratos de fornecimento de combustíveis e derivados firmados com as empresas POSTO ALE V LTDA e POSTO TREVO LTDA.

A denúncia ainda diz que “apesar da existência de um contexto geral de fatos, a formulação de uma única ação concentrando todos os atos ímprobos praticados pela organização criminosa e todos os responsáveis tornaria gigantesco o processo, com prejuízo ao princípio da razoável duração, tanto para a sociedade, por envolver apropriação de recursos públicos, bem como para os próprios demandados”.

Assim, outros atos de improbidade administrativa apurados ao longo da operação Midas foram imputados em peças autônomas, de acordo com o núcleo da organização e empresa envolvidos.

De acordo com os promotores que assinam a denúncia, a organização tinha no seu nível mais alto o então prefeito Marcus Alexandre, que detinha o domínio de todo o esquema, e logo abaixo os membros diretores da EMURB, Jackson Marinheiro (Diretor Presidente), Jorge Ney Fernandes (Diretor Administrativo e Financeiro) e José Carlos da Silva Fernandes (Diretor Operacional), todos nomeados pelo então prefeito, que perpetravam as fraudes em meio à administração da referida empresa pública.

Até o último contato feito pelo ac24horascom o ex-prefeito Marcus Alexandre, na sexta-feira, 2 de junho, ele afirmou não tinha, ainda, sido notificado e que desconhecia a ação, razão pela qual optou por não se manifestar naquele momento a respeito do assunto.

“Não tenho conhecimento sobre tal ação. Assim, prefiro não me manifestar. Sequer fui notificado ou qualquer ato correlato. Estou em paz e absolutamente tranquilo”, disse.

O processo tramita na 2ª Vara de Fazenda Pública de Rio Branco, cuja juíza titular é a magistrada Zenair Ferreira Bueno.

LEIA TAMBÉM: >>>Ministério Público do AC volta a denunciar Marcus Alexandre e pede devolução de R$ 1,2 milhão

Comentários

Flash

Prefeito Sérgio Lopes recepciona Ministros Waldez Góes e Marina Silva e em Epitaciolândia

Publicado

em

O Prefeito Sérgio Lopes recepcionou em Epitaciolândia nesta segunda-feira, 4, o Ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional Waldez Goes e a Ministra do Meio Ambiente e Mudança do Clima Marina Silva acompanhados do Governador Gladson Cameli e Comitiva.

Os ministros estão visitando a região de Epitaciolândia e Brasileia que sofreu com a maior cheia já registrada, afetando milhares de famílias e causando destruição em ruas e bairros. Estiveram presentes também acompanhando a comitiva os senadores Alan Rick e Petecão, a Deputada Federal Antônia Lúcia e secretários de estado.

Seguindo de Epitaciolândia a comitiva foi para a cidade vizinha para um encontro de autoridades e representantes comunitários da Regional do Acre, para alinhar planos emergenciais e a longo prazo, a fim de resolver as problemáticas causadas pelas cheias do rio Acre.

Ao fazer o uso da palavre o prefeito Sérgio Lopes defendeu que seja destinado recursos para a reconstrução dos locais danificados pela cheia.

“Em menos de um ano já passamos por duas alagações, sendo a última a maior já registrada, no ano passado recebemos recursos do governo federal para ações emergenciais, porém não rebemos nada a reconstrução da cidade onde ocorreu a alagação, portanto pedimos que o governo envie técnico para que juntos possamos fazer os projetos de reedificação da parte baixa de Epitaciolândia, solicitamos a toda a bancada federal do Acre, que juntos possamos criar uma agenda com o presidente Lula para criarmos um programa habitacional não só aqui, mais em todo o Estado do Acre, que revive todos os anos essa situação catastrófica.” Destacou Sérgio Lopes.

O governador Gladson Cameli, ao visitar a região pela terceira vez em menos de duas semanas, enfatizou que o compromisso do Estado se estende a todos os 19 municípios afetados pela cheia, e que este é um momento de união para a reconstrução do que foi afetado.

Em parceria com a bancada federal, a prefeitura municipal e os nossos ministros presentes, pretendemos avançar nesse processo não apenas de recuperar as cidades atingidas, mas pensar em soluções, ou daqui a 11 meses passaremos por tudo isso de novo. Agradeço pela presença de vocês, que demonstra o compromisso que o Estado possui. O governo federal tem se mostrado disponível, como o ministro sempre ligando, e eu tenho externado isso publicamente a toda a equipe municipal, estadual e federal. A nossa bancada de parlamentares, os poderes judiciários, as instituições, todos estão se prontificando para ajudar. Precisamos da ajuda de cada um de vocês. Reitero meu compromisso de abraçar esse projeto de levar áreas mais atingidas de Brasileia para a parte alta da cidade, em parceria com todos, dentro das possibilidades do Estado”, destacou o governador Gladson Cameli.

 

 

Comentários

Continue lendo

Flash

Estado e Exército Brasileiro dialogam sobre ações de apoio às populações atingidas pelas cheias no Acre

Publicado

em

Comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, Diógenes de Souza Gomes, governador Gladson Cameli, e o tenente-coronel do Comando de Fronteira Acre 4° BIS, Eumir Leandro Moreira Xavier. Foto: Neto Lucena/Secom

O governador Gladson Cameli, reuniu-se com o representantes do Exército Brasileiro, neste domingo, 3, em Rio Branco, para dialogar sobre as ações de auxílio humanitário aos municípios atingidos pelas cheias no estado. Desde o início das enchentes, em meados de fevereiro, o exército tem concedido apoio com emprego de pessoal, viaturas, embarcações e aeronaves militares para atender os atingidos. Cerca de 2.179 pessoas foram assistidas com ações da instituição. Desse quantitativo, 1.041 são de etnias indígenas.

Na reunião, foram apresentadas, por videoconferência, as ações do Exército em oito municípios, sendo eles Epitaciolândia, Brasiléia, Assis Brasil, Plácido de Castro, Santa Rosa do Purus, Rio Branco, Marechal Thaumaturgo e Cruzeiro do Sul.

A reunião contou com representantes da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, Comando de Fronteira Acre 4° BIS, 7° BEC (Batalhão de Engenharia de Construção) e do Batalhão de Aviação do Exército (Bavex); além do Corpo de Bombeiros Militar do Acre (CBMAC); Defesa Civil Estadual; Casa Civil; gabinete do governador; e do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer).

Diálogo contou com apresentação das ações do Exército Brasileiro no interior, por videoconferência. Foto: Neto Lucena/Secom

“Em um momento difícil, estamos unindo as nossas forças e o Exército é fundamental, inclusive em orientar nessa parte logística da presença do Estado nas comunidades que mais precisam. Essa é uma das maiores crises naturais que nós estamos vivenciando. Dos 22 municípios, 19 estão com um decreto de emergência, mas vamos vencer mais esse desafio”, afirmou o governador, Gladson Cameli.

Governador Gladson Cameli dialogou sobre a união do Estado e Exército Brasileiro em apoio às populações atingidas pela cheia. Foto: Neto Lucena/Secom

O comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, Diógenes de Souza Gomes, destacou a prontidão do Exército Brasileiro em apoiar a população acreana em parceria com o Estado: “A presença do governador foi fundamental para que nós possamos coordenar os esforços; para que todo o esforço seja realmente em prol da população que está assolada pelas enchentes aqui no estado do Acre. O Exército está à disposição da população e pronto para atuar”, enfatizou.

Comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, Diógenes de Souza Gomes. Foto: Neto Lucena/Secom

“Em relação aos municípios, fomos demandados pelo Estado para socorro imediato em oito municípios, mas estamos prontos para atender em qualquer parte do estado. Nós estamos com o nosso efetivo de prontidão, um efetivo que pode aumentar a qualquer instante, em função da demanda. Temos viaturas militares, embarcações e, com o apoio do Comando Militar da Amazônia, que disponibilizou uma aeronave para o apoio imediato e mais rápido às populações, particularmente aquelas que estão mais isoladas”, acrescentou o comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva.

O tenente-coronel do Comando de Fronteira Acre 4° BIS, Eumir Leandro Moreira Xavier, ressaltou que o Batalhão de Aviação do Exército (Bavex), prestará apoio à aldeias indígenas, nas proximidades de Assis Brasil, na regional do Alto Acre. “Nós estamos com a possibilidade de emprego de uma aeronave, oriunda do Bavex Manaus, para focar as ações partindo do nosso Segundo Pelotão Especial de Fronteira, em Assis Brasil, para treze terras indígenas próximas”, destacou.

O chefe do gabinete do governador, coronel José Messias, destacou detalhes da visita dos ministros de Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, e de Meio Ambiente, Marina Silva, nesta segunda-feira, 4, em áreas que sofreram grandes impactos durante as cheias.

Comentários

Continue lendo

Flash

Final de semana registra vítimas por descargas Elétricas no interior do Acre

Publicado

em

Dois trágicos incidentes envolvendo descargas elétricas resultaram na morte de duas pessoas no interior do Acre, entre a sexta-feira (1) e o sábado (2).

O primeiro caso ocorreu na tarde de sexta-feira, na zona rural do município de Capixaba. William Silva de Oliveira, 32 anos, perdeu a vida enquanto tentava consertar uma bomba d’água em sua residência na Comunidade São Luiz do Remanso, que foi inundada pelas águas do Rio Acre.

De acordo com relatos de testemunhas, William estava manipulando os cabos elétricos dentro da água quando sofreu a descarga fatal, vindo a falecer antes de receber assistência médica. Apesar dos esforços dos familiares para desligar a energia e prestar socorro, a vítima não resistiu. Seu corpo foi removido para o Instituto Médico Legal em Rio Branco, onde será submetido a exames cadavéricos.

O segundo incidente ocorreu no município de Bujari. Leonardo Pereira de Souza, 26 anos, também encontrou a morte devido a uma descarga elétrica, no final da tarde de sábado, no pátio da Igreja Assembleia de Deus, localizada no Ramal Jorge Viana, na zona rural do Bujari.

Segundo informações policiais, Leonardo estava realizando tarefas de limpeza quando tentou consertar uma bomba d’água, resultando em um choque elétrico fatal ao cortar um fio com um alicate. Apesar da intervenção do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que mobilizou ambulâncias e realizou procedimentos de ressuscitação por cerca de 50 minutos, Leonardo não resistiu e veio a óbito no interior da ambulância.

O corpo de Leonardo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal para os procedimentos legais, enquanto as autoridades policiais registraram um boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia Civil do município de Bujari. Estes trágicos eventos servem como alerta para a importância da segurança elétrica em todas as atividades cotidianas.

Comentários

Continue lendo






Em alta