Cassius Costa foi enterrado no dia 4 de maio sem ser identificado porque o corpo estava em estado de putrefação e não tinha condições de ser levado para o freezer, segundo informações do Instituto Médico Legal (IML).

Exame de DNA confirma que corpo achado carbonizado em carro é de homem que tentou matar ex no AC — Foto: Arquivo pessoal
Por Iryá Rodrigues

O resultado do exame de DNA confirmou que o corpo encontrado carbonizado dentro de um carro, na Rodovia Transacreana, zona rural de Rio Branco no mês de abril deste ano, é de Cassius Cley Souza Costa, de 37 anos.

Ele sumiu logo após tentar matar a companheira Zuleide de Souza Pessoa, a facadas, no dia 21 de abril, no Conjunto Joafra, na capital acreana. O carro onde o corpo foi achado era dele. Porém, o resultado do laudo pericial só foi concluído no último dia 10 de agosto, quase quatro meses depois do crime. A divulgação foi feita nesta quinta-feira (17), pela direção do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) de Rio Branco.

A demora para a conclusão do laudo ocorreu, segundo informou a direção em julho, porque o Instituto de Identificação ficou sem insumos para fazer o exame.

Conclusão do inquérito

O delegado Marcos Cabral, responsável pelo caso na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), disse que após o resultado do laudo que confirmou a identidade da vítima, o inquérito foi concluído.

Ficou constatado que não houve a participação de outras pessoas na morte dele. Segundo o delegado, Costa queimou o próprio carro enquanto estava dentro do veículo, após dar as facadas na mulher.

“Pelo que a equipe conseguiu apurar, realmente, após os fatos, ele se dirigiu ao local lá na Transacreana e a gente apontou elementos suficientes de que ele teria cometido suicídio. O lapso temporal foi muito curto, para que fosse uma situação de vingança. Após as investigações, não foi confirmada a participação de ninguém”, disse Cabral.

Família não tinha dúvidas

Mesmo sem o exame de DNA, a família já alegava que a vítima era Cassius Costa. Ele foi enterrado no dia 4 de maio sem ser identificado porque o corpo estava em estado de putrefação e não tinha condições de ser levado para o freezer, segundo informações do Instituto Médico Legal (IML).

Em maio, um tio de Costa, Moisés Barbosa entrou em contato come informou que a família aceitou receber o corpo, mesmo antes do resultado do exame de DNA, porque reconheceu que era o sobrinho.

De acordo com o tio, a identificação pôde ser feita porque o sobrinho tinha uma platina no braço esquerdo, que foi colocada após uma fratura.

Zuleide Pessoa levou 13 facadas do marido no Acre — Foto: Arquivo pessoal

Mulher é acompanhada por psicólogo

Quase cinco meses depois de ter sido esfaqueada pelo marido dentro de casa, Zuleide Pessoa contou que continua tendo acompanhamento psicológico e que prefere não comentar mais sobre o caso.

Ela disse que tinha recebido a informação sobre a confirmação de que o corpo achado carbonizado era do marido. E que, inicialmente, mesmo com os familiares de Costa dizendo que o corpo era dele, ela ainda sentia medo e temia pela vida por não ter a certeza.

Zuleide ficou 18 dias internada, sendo 14 na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Pronto Socorro de Rio Branco. Após 15 dias em casa, ela chegou conversar com a reportagem e contou que vivia sob ameaças por conta de ciúmes do ex-marido.

Comentários