Supeito e testemunhas foram ouvidos na delegacia/Foto: Tibuna do Juruá
Supeito e testemunhas foram ouvidos na delegacia/Foto: Tribuna do Juruá

João Basílio de Souza, 27 anos, estava caçando com o primo Jardesson de Souza Feliz, 18 anos, e o irmão Adaísio de Souza. Ele confundiu o irmão com uma caça e o matou com  um tiro de espingarda. O acidente aconteceu na comunidade São João, localizada na BR-364, em Cruzeiro do Sul, na quarta-feira (5).

João Basílio conta que não esperava que o irmão estivesse no local. Ele diz que saiu para carçar com o primo e o a vítima também saiu para caçar, mas tomou outra direção.

“Nunca imaginei que isso podia acontecer. Eu e meu primo fomos caçar, estávamos só nós dois na mata, e quando chegamos no Tapiri o meu irmão chegou  atrás, depois de uns 15 minutos. Nós estávamos arrumando nossas coisas e meu irmão saiu na canoa, dizendo que iria para outro igarapé e não sei como foi que encontramos ele na mata”, contou João Basílio.

De acordo com Basílio, ele estava seguindo o rastro de um veado, ele acredita que a vítima teria tentado fazer uma brincadeira com eles. Após avistar um vulto na mata, disparou o tiro, confundindo o irmão com o animal. O tiro foi efetuado com uma espingarda calibre 24’.

“Eu vi aquele vulto correndo baixinho, e pensei que fosse um veado, e eu assobiei para saber se era alguém, mas acabou sendo no meu irmão”, relatou.

A vítima não resistiu ao ferimento e morreu cerca de 20 minutos depois do disparo. O corpo foi conduzido para o Instituto Medico Legal de Cruzeiro do Sul. O acusado e testemunha foram ouvidos na delegacia da cidade.

Fonte: ContilNet

Comentários