As empresas de ônibus que realizam o transporte intermunicipal, entre Cruzeiro do Sul (AC) e Rio Branco (AC), reduziram a quantidade de veículos devido as condições da BR-364, ocasionando consequentemente a redução do número de passageiros.

Andar na BR 364 virou sinônimo de aventura. A estrada que representa o sonho do povo do Juruá terá que ser totalmente reconstruída. O asfalto colocado na rodovia de Sena Madureira a Cruzeiro do Sul já não existe mais. Com isso, quem sofre são os condutores de veículos que tem o seu trajeto aumentado, em razão da lama em dias de chuva e a grande quantidade de buracos existentes.

Com essa realidade, ônibus que fazem esse percurso levam até 20 horas para percorrer os mais de 700 quilômetros que separam Rio Branco de Cruzeiro do Sul.

A estratégia de uma das empresas, por exemplo, foi reduzir a frota de seis veículos para quatro. Com isso, o número de passageiros caiu, apesar dos ônibus continuarem indo para a capital com lotação completa.

A superintendência do Dnit, no Acre, reafirmou que todos os esforços estão sendo feitos para que o tráfego de veículos na BR ocorra durante todo o inverno. Pelo menos cinco equipes com homens e máquinas  estão distribuídas ao longo da BR-364, de Sena Madureira a Cruzeiro do Sul, atuando nos pontos críticos. O principal serviço nesse período será através da utilização de pedras em atoleiros para garantir o tráfego dos veículos, até que chegue o verão para que as ações de reconstrução da rodovia sejam implementadas de forma definitiva.

Com informações de Alexandre Gomes

Comentários