fbpx
Conecte-se conosco

Geral

Contas externas devem ter déficit de US$ 36 bilhões

Publicado

em

Banco Central conta com cenário econômico mais favorável

Edifício-Sede do Banco Central em Brasília

A projeção do Banco Central (BC) para o saldo das contas externas deste ano teve melhora. A previsão de déficit para as transações correntes, que são as compras e vendas de mercadorias e serviços e transferências de renda do Brasil com outros países, passou de US$ 45 bilhões para US$ 36 bilhões.

As informações são do Relatório de Inflação, publicação trimestral do BC, divulgado nesta quinta-feira (28). “Espera-se, tanto para o ano corrente como para o seguinte, um cenário favorável, caracterizado por robustos superávits na balança comercial, déficits baixos na conta de transações correntes e entradas líquidas de investimento direto no país (IDP) em valor superior ao déficit em conta corrente”.

A redução do déficit projetado vem, principalmente, da melhora do saldo comercial, de R$ 54 bilhões para R$ 68 bilhões, com aumento do valor das exportações, de US$ 335 bilhões para US$ 341 bilhões, e redução do valor das importações de US$ 281 bilhões para US$ 273 bilhões.

A revisão na projeção de valor exportado no ano reflete principalmente o maior volume embarcado de produtos básicos, especialmente petróleo e minério de ferro. Os embarques esperados para o ano de commodities agrícolas, como soja e milho, também subiram diante da safra recorde de grãos. “A projeção considera ainda volume exportado ligeiramente menor do que anteriormente esperado para o ano no tocante aos produtos manufaturados e semimanufaturados, incorporando dados mais recentes da balança comercial”, explicou o BC.

Já nas importações, a revisão incorpora recuo mais acentuado dos preços, principalmente para bens intermediários e bens de consumo duráveis. O volume importado, também revisado negativamente, incorpora a desaceleração da recuperação em bens intermediários, além de moderação nas importações de combustíveis, resultando em maior retração das importações totais em relação ao ano anterior.

O déficit esperado da conta de serviços foi mantido em US$ 36 bilhões, abaixo do registrado em 2022, de US$ 40 bilhões. “A ligeira redução nos déficits das subcontas de transporte e viagens tem sido compensada pelo aumento dos gastos com outros serviços, como aluguel de equipamentos. Além disso, a inclusão das despesas com jogos e apostas favorece o aumento do déficit dessa conta”, diz o relatório.

Para a conta de renda primária, a projeção de déficit foi revisada para cima, com maiores despesas líquidas com juros e, principalmente, lucros e dividendos, que devem igualar a marca do ano anterior, a maior em 10 anos.

“A nova projeção incorpora desempenho mais forte que o esperado de setores como agropecuária e indústria extrativa, além de queda nas receitas com investimentos no exterior. A projeção de gastos líquidos com juros, também majorada, reflete perspectiva de aumento em comparação a 2022 em razão dos maiores patamares das taxas básicas de juros nos países desenvolvidos”, explicou o BC.

Assim, a previsão no déficit em renda primária passou de US$ 63 bilhões para US$ 69 bilhões. Normalmente, essa conta é deficitária, já que há mais investimentos de estrangeiros no Brasil – e eles remetem os lucros para fora do país – do que de brasileiros no exterior.

Investimento estrangeiro

Na conta financeira, segundo o BC, apesar do início de ano forte, continuando a tendência do ano passado, dados mais recentes incorporados à projeção ficaram abaixo do esperado. Assim, a estimativa de IDP em 2023 foi reduzida de US$ 75 bilhões para US$ 65 bilhões, equivalente a 3% do Produto Interno Bruto (PIB, a soma dos bens e serviços produzidos no país).

“No entanto, espera-se redução nas amortizações de empréstimos intercompanhia, que podem ter sido favorecidas pelas receitas advindas do comércio internacional de bens no primeiro semestre”, acrescentou o BC.

Quando o país registra saldo negativo em transações correntes, precisa cobrir o déficit com investimentos ou empréstimos no exterior. A melhor forma de financiamento do saldo negativo é o IDP, porque os recursos são aplicados no setor produtivo e costumam ser investimentos de longo prazo.

Para os investimentos em carteira, a projeção foi revisada de neutralidade para entradas líquidas de US$ 10 bilhões. “Além do saldo positivo concentrado em títulos, observado no ano até julho, a revisão em relação ao relatório anterior [de junho] reflete melhora no ambiente para emissões de títulos no exterior, com redução da incerteza fiscal, resiliência maior que a esperada da atividade doméstica e estoque reduzido de títulos emitidos em moeda estrangeira, em relação ao pré-pandemia”, explicou o BC.

Previsão para 2024

Pela primeira vez, o BC apresentou a previsão para 2024 para as contas externas do país, de US$ 37 bilhões.

As projeções consideram avanço nas exportações maior do que nas importações em relação a este ano, com perspectiva de estabelecimento novo recorde de saldo comercial, US$ 71 bilhões.

“A redução correspondente no déficit em transações correntes, no entanto, deve ser compensada por aumento no déficit de serviços [US$ 40 bilhões], enquanto as despesas de renda primária devem ser ligeiramente menores [US$ 68 bilhões]”, explicou o BC.

O IDP deve atingir US$ 75 bilhões, equivalente a 3,2% do PIB, “convergindo para patamar compatível com o pré-pandemia, em termos percentuais do PIB”. Para os investimentos em carteira, esperam-se novas entradas líquidas, em magnitude semelhante a deste ano, de US$ 10 bilhões.

Edição: Fernando Fraga

Comentários

Continue lendo

Geral

Duas armas de fogo e munições são apreendidas no bairro Taquari

Publicado

em

Duas armas de fogo foram apreendidas no Taquari na tarde de quarta-feira, 24, por militares do 2° Batalhão, durante a ação dois envolvidos foram conduzidos um homem foi preso e um menor apreendido.

Uma guarnição fazia patrulhamento no bairro quando recebeu informações de outra equipe policial de que dois indivíduos poderiam estar portando armas de fogo, e indicaram o endereço, os militares fizeram o deslocamento até o local, de longe a guarnição avistou os dois suspeitos que ainda tentaram se evadir, correndo para um terreno baldio tentando se esconder, mas foram abordados, após consulta nominal foi descoberto que um dos indivíduos era menor, com eles foram encontradas as duas armas de fogo (uma submetralhadora e um armamento adaptado para uso de calibre.22).

Os militares encaminharam os envolvidos à Delegacia de Flagrantes (DEFLA) para que fossem tomadas as medidas cabíveis.

Comentários

Continue lendo

Geral

Polícia Penal do Acre dá instruções em curso de formação de cabo do Exército Brasileiro

Publicado

em

Os 29 alunos aspirantes a cabo receberam instruções em instrumento de menor potencial ofensivo, atendimento pré-hospitalar (APH) em combate, noções de operações com cães e segurança penitenciária.

Polícia Penal dá instruções em curso de cabo do Exército Brasileiro. Foto: Antonio Moura/Iapen.

As forças especializadas da Polícia Penal ministraram um módulo do curso de formação de cabo do Exército Brasileiro do 7º Batalhão de Engenharia e Construção Barão do Rio Branco. Participaram como instrutores os policiais da Divisão Penitenciária de Operações Especiais (DPOE), Divisão do Serviço de Operações e Escolta (DSOE) e Divisão de Operações com Cães (DOC). O curso teve duração de três dias. Iniciou no dia 19, sexta-feira, continuou na segunda-feira, 22, e finalizou na terça-feira, 23.

O aluno de Formação de Cabo do Exército Brasileiro, Richard Rodrigues, explica que achou muito importante todas as instruções que recebeu, mas a que mais lhe chamou a atenção foi a de atendimento pré-hospitalar (APH) em combate: “Um ponto também muito importante que eu achei na instrução foi o uso de torniquete, porque, até então, na minha vida, eu nunca tinha tido a experiência de aprender como utilizar um torniquete. E foi aqui que eu aprendi como transportar um ferido, muito importante para minha vida militar e também para minha vida pessoal, em caso de algum acidente”.

Alunos aspirantes a cabo recebem instruções de forças especializadas da Polícia Penal. Foto: Antonio Moura/Iapen.

O chefe do Departamento de Operações Penitenciárias, Caio Borges Vilela, explica como funciona essa parceria: “A instrução para o curso de formação de cabos do 7º Batalhão de Engenharia e Construção Barão do Rio Branco, o 7º BEC, é uma parceria que existe já desde 2018. São 29 alunos buscando esse conhecimento. E é de grande valia para o sistema, porque o objetivo da instrução é prepará-los caso seja preciso instalar a GLO, a Garantia da Lei e da Ordem, que é quando o Exército toma de conta de algumas ações no estado. Então, essa parceria é importante, para que se acontecer algo dessa forma, eles estejam preparados para atuar dentro dos presídios e nos auxiliar aí nessa missão”.

Polícia Penal dá instrução para aspirantes a Cabo do 7º Batalhão de Engenharia e Construção Barão do Rio Branco. Foto: Antonio Moura/Iapen.

Nos três dias de curso, os 29 alunos aspirantes a cabo receberam instruções em instrumento de menor potencial ofensivo, atendimento pré-hospitalar (APH) em combate, noções de operações com cães e segurança penitenciária.

Instrução da Polícia Penal para aspirantes a cabo do Exército Brasileiro. Foto: Lucas Manoel/Iapen.

O chefe da Divisão de Operações com Cães (DOC), James dos Santos, instruiu os aspirantes sobre o uso dos cães em operações: “A gente está passando para eles um pouco da dinâmica que a Divisão de Operações com cães trabalha dentro das unidades prisionais, o emprego dos cães dentro desse corredor de segurança”.

Curso de Formação de Cabo do Exército Brasileiro, com instrução da Polícia Penal. Foto: Antonio Moura/Iapen.

O chefe da Divisão Penitenciária de Operações Especiais (DPOE), William Monteiro da Silva, um dos instrutores do curso, falou sobre as atividades que foram realizadas durante sua aula com os alunos: “Hoje estamos com o CFC, Curso de Formação de Cabos. Passamos o dia aplicando e mostrando, ensinando várias técnicas de revista, buscas pessoais, mostrando as diversas estruturas dos pavilhões que as nossas unidades dispõem. Esse treinamento é de essencial importância, pois futuramente podemos estar atuando junto com eles, como já aconteceu em 2019 na GLO”.

O coordenador de Operações e Treinamento do DSOE, Wendel Silva, e instrutor de APH falou sobre os procedimentos ensinados no curso de formação: “Nós estamos aqui com os guerreiros do curso de cabo do Exército e estamos passando para eles algumas técnicas de aplicação de torniquete e apresentando também o plano de evacuação. Esses dois protocolos que estamos passando para eles podem ser usados tanto na vida operacional, na vida laboral, como também na vida particular. É um conhecimento de suma importância que estamos repassando ao Exército Brasileiro”.

Instrução de APH durante curso de formação de cabo do Exército Brasileiro. Foto: Lucas Manoel/Iapen.

Comentários

Continue lendo

Geral

Mulher com mais de 40 pacotes de cocaína é presa em Sana Madureira

Publicado

em

A mulher recebeu voz de prisão e foi encaminhada para a Unidade de Segurança Pública de Sena para os procedimentos de praxe.

Uma ocorrência de tráfico de drogas foi registrada na tarde desta terça-feira (23) em Sena Madureira, interior do Acre. O caso se deu na Rua Enertina Souza Chaves, bairro Ana Vieira, e resultou na prisão em flagrante de uma mulher de 35 anos.

Conforme a capitã Ivanise Pontes, comandante do 8º BPM, o serviço de inteligência levantou informações sobre tal prática no referido endereço.

Ao chegar lá, mediante autorização expressiva do proprietário da casa, entraram no quintal e encontraram 44 pacotes de cocaína. Além disso, identificaram a proprietária da droga.

Em face do exposto, a mulher recebeu voz de prisão e foi encaminhada para a Unidade de Segurança Pública de Sena para os procedimentos de praxe.

Comentários

Continue lendo