Ponte Wilson Pinheiro, que liga Brasiléia à Cobija, lado Boliviano.

Vários protestos no lado boliviano vêm acontecendo a mais de 10 dias. Inicialmente, o movimento começou bloqueando alguns pontos de estradas no interior do estado de Pando e Riberalta, quando os pequenos produtores de castanhas descobriram que o preço da lata de castanha seria reduzido cerca de 40%.

O movimento então criou corpo em várias localidades para chamar a atenção das autoridades do País, até esta quarta-feira, dia 22, quando resolveram bloquear a ponte Wilson Pinheiro, que liga a cidade de Brasiléia à Cobija, capital de Pando.

Já no lado de Epitaciolândia, a ponte da Internacional que é o principal acesso de caminhões de grande porte, produtos alimentícios e outros, também está bloqueada, devido um impasse entre a categoria dos caminhoneiros dos dois países e, segundo eles, a burocracia da aduana boliviana.

Categoria de vans e ônibus também estão aderindo aos protestos pedindo melhorias – Foto cedida.

Para piorar ainda mais, a categoria de transporte urbano por meios de vans, também estão aderindo aos protestos, exigindo mais melhorias por parte do governo.

O acesso ao lado boliviano e brasileiro, somente está acontecendo andando. Carros, caminhões e motos, estão sem poder passar. Dessa forma, os mototaxistas e taxistas estão podendo ganhar um extra levando os passageiros.

No lado do comercio boliviano, as compras reduziram devido o pouco fluxo de turistas que estão apreensivos, temendo uma radicalização total com o bloqueio total das pontes.

Mais informações a qualquer momento.

ESTRADA DE ACESSO À COBIJA TEM VÁRIOS PONTOS DE BLOQUEIOS

PONTES DE ACESSO À COBIJA ESTÃO BLOQUEADAS COM ACESSO SOMENTE A PÉ

Comentários