Conecte-se conosco

Brasil

Brasil registra queda no número de casos de hepatites em 2019, aponta MS

Publicado

em

Ouça áudio:

O Brasil registrou queda no número de casos de hepatites em 2019. Dados do Ministério da Saúde divulgados na última semana apontam que, no entanto, apesar desse avanço, o país ainda precisa melhorar a situação e conseguir atingir a meta de reduzir em até 90% os casos da doença e em 65% as mortes associadas a ela até 2030. Esse compromisso foi firmado no Plano Estratégico Global das Hepatites Virais.

Em relação à hepatite B, a quantidade de casos registrados no ano passado chegou a 13.971, uma redução frente aos 14.686 de 2018. Os óbitos, por sua vez, tiveram uma variação positiva entre 2017 e 2018, passando de 414 para 424. No recorte por região, o Sul foi o que registrou o maior número de pessoas com a doença, chegando a 4.529. Na sequência aparecem Sudeste e Norte, com 3.867 e 2.471, respectivamente. No Nordeste a quantidade atingiu 2.021, enquanto o Centro-Oeste registrou 1.081 casos.

“Nós temos um abastecimento importante de medicamentos para as hepatites. E, depois de uma luta muito grande, de um ano aproximadamente, conseguimos fazer uma mudança importante, diminuir a burocracia para o tratamento de um paciente com hepatite, e quem precisa de medicamentos tem pressa. A gente tem que desburocratizar o máximo possível”, aponta o diretor do Departamento de Doenças Crônicas e ISTs, Gerson Pereira.

O balanço aponta, ainda, que mais homens foram infectados do que mulheres. O número de pessoas do sexo masculino com hepatite B foi de 7.938, enquanto do sexo feminino somou 6.028. No recorte por raça e cor, a enfermidade foi mais comum em pardos, com 5.637 casos. Nos brancos, a doença foi confirmada em 5.420 pessoas; em pretos chegou a 1.399; amarelos 177 e indígenas 125. A principal forma de contágio foi por via sexual, com 20,4%.

Sobre os casos de hepatite C, o levantamento do Ministério da Saúde revela que houve uma baixa de 2018 para 2019, de 27.773 para 22.747. As mortes ocasionadas pela doença também recuaram, ao passarem de 1.720 em 2017 para 1.574 em 2018. No ano passado, em termos territoriais, a prevalência foi no Sudeste, com 11.666; seguido por Sul, com 7.168; Nordeste, com 1.869; Norte, com 1.075 e Centro-Oeste, com 959.

“Com relação à hepatite C, o Ministério da Saúde realizou um pregão para aquisição de mais de 50 mil tratamentos para esta enfermidade. Isso garante ao nosso país um abastecimento da nossa rede de atenção à saúde até 2021. E não apenas para hepatite c, mas para hepatite B há estoque de medicamentos o suficiente para abastecer o SUS até o primeiro trimestre de 2021”, afirma o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo de Medeiros.

Já os casos registrados de hepatite A tiveram redução de 2.188 para 891, de 2018 para 2019. Os dados mais atualizados sobre óbitos pela enfermidade se referem a 2018, quando morreram 28 brasileiros. Em 2017, o número chegou a 22.

A hepatite D é o tipo da doença que apresenta o menor número de casos em relação às demais. Esta enfermidade foi responsável por 164 casos em 2019. No ano imediatamente anterior, o número foi menor, 151.  A região Norte foi a que registrou o maior volume de casos, com 104. No Sudeste brasileiro, o número de pessoas infectadas foi de 26; no Sul, chegou a 19; no Nordeste a 10 e no Centro-Oeste a 5.

Medidas

O secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo de Medeiros, garantiu que o Ministério da Saúde “zerou” a fila de tratamento para hepatites virais. O termo é utilizado quando um determinado número de tratamentos anuais considerado adequado é atingido.

TIRA-DÚVIDAS: “Não se pode relaxar no uso da camisinha”, ressalta diretor do Departamento de ISTs do Ministério da Saúde

Testes rápidos para ISTs revelam diagnóstico em até meia hora; entenda

Medeiros afirmou ainda que foi feito um pregão para mais de 50 mil tratamentos. Segundo ele, essa medida pode garantir o abastecimento da rede de saúde até 2021. Para hepatite B, o estoque de medicamentos estaria garantido até o 1º trimestre do próximo ano.

“Os medicamentos passaram a ser enviados mensalmente, antes era a cada três meses. Fizemos isso para garantir maior agilidade no atendimento. Consequentemente isso também garante maior controle dos estoques e diminui a chance do desabastecimento na ponta. O ministério envia 20% a mais do que consumo de cada estado”, destacou o secretário.

Ainda segundo Arnaldo de Medeiros, o Brasil tem um compromisso de reduzir, até 2030, 90% dos casos de hepatites. “Esta meta será alcançada com esforço contínuo do SUS, dos nossos profissionais, da cobertura vacinal e disponibilização dos tratamentos adequados”, pontuou.

Comentários

Brasil

Mega-Sena acumula, e próximo concurso terá R$ 135 milhões em jogo

Publicado

em

Por

Mega-Sena 2560: os números foram conhecidos na noite de hoje (1), em São Paulo Imagem: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Nenhuma aposta do concurso 2560 da Mega-Sena acertou as seis dezenas. Agora, o prêmio ficou acumulado e agora está estimado em R$ 135 milhões para o próximo sorteio.

  • Os números sorteados hoje foram 04-05-17-20-48-52.

Segundo a Caixa, o sorteio de hoje fez 151 apostas vencedoras na faixa da quina. Cada uma delas terá direito a um prêmio no valor de R$ 52.127,84.

A quadra rendeu R$ 837,78 a cada um dos 13.422 bilhetes contemplados.

A arrecadação total da Mega-Sena 2560 foi de pouco mais de R$ 136 milhões.

Quando será o próximo sorteio?

O concurso 2561 está marcado para ocorrer no próximo sábado (4). O evento começará a partir das 20h (de Brasília) e terá transmissão ao vivo pela internet, no canal oficial da Caixa no YouTube, e com possibilidade de exibição simultânea pela RedeTV! (o calendário oficial de loterias não informa mais com antecedência qual sorteio será exibido em TV aberta, sendo sempre um por dia).

Comentários

Continue lendo

Brasil

Governo e Tribunal de Justiça do Acre promovem ação de justiça e cidadania em Rio Branco

Publicado

em

Promover a cidadania e justiça é um dos principais objetivos dos três poderes. A parceria entre Executivo e Judiciário mais uma vez se fez presente na vida dos cidadãos acreanos por meio de uma ação realizada em parceria entre governo do Estado e o Tribunal de Justiça do Acre (TJAC).

Por meio do Instituto de Identificação da Polícia Civil e do Instituto de Educação Profissional e Tecnológica Iepetec/Dom Moacyr, em parceria com o TJAC, idealizador da ação, o governo retomou o projeto Casa da Justiça e Cidadania, na capital acreana.

Governador e a presidente do TJAC visitam o local que vai atender a população da Cidade do Povo. Foto: Diego Gurgel/Secom

“Eu fiquei sabendo da ação e vim tirar a minha identidade, pois estava precisando. Como sou morador da Cidade do Povo foi muito bom poder tirar meu documento aqui, sem precisar me deslocar até o Centro”, foi o que disse Mayco Ferreira, morador do bairro.

A ação visa oferecer à população a expedição gratuita para a 2ª via do documento de identificação. O primeiro dia foi realizado na Escola de Gastronomia e Hospitalidade Miriam Assis Felício, na Cidade do Povo. Já no dia 2, acontece no Colégio Militar Tiradentes, no Calafate. Nos dias 4 e 5, ocorre no Caquetá, em Porto Acre, no Centro de Convenções do município.

Os atendimentos se iniciam a partir das 8h30.

O governador ressaltou a parceria entre Executivo e Judiciário. Foto: Diego Gurgel/Secom

“O Tribunal tem realizado ações pontuais e agora retoma a Casa de Justiça e Cidadania, em parceria com a Polícia Civil e governo do Estado. Nossos parceiros tem dado todo o suporte para a realização dessa ação”, disse a desembargadora do TJAC, Eva Evangelista, coordenadora da Casa de Justiça.

O governador Gladson Cameli ressaltou a importância de apoiar um projeto tão importante, que visa garantir a cidadania da população acreana.

“Essa é a prova da união entre o poder Executivo e o Judiciário, e colocando de fato o Estado de Direito mais próximo das pessoas, em todos os locais do estado. Vamos levar essa ação para o máximo de pessoas possível, ampliando ainda mais o projeto”, frisou o chefe de Estado.

A presidente em exercício do setor três do bairro Cidade do Povo, Ana Souza, disse apoiar a Casa de Justiça e Cidadania, que agora vai ser retomada na Escola de Gastronomia.

O recurso para execução do projeto é oriundo de penas pecuniárias, e foi aplicado por meio do projeto apresentado pelo Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), através da Central Integrada de Alternativas Penais (CIAP).

A Casa de Justiça e Cidadania foi suspensa em 2020 em virtude da pandemia de covid-19, e só retorna agora às atividades na Cidade do Povo.

O que disseram as autoridades

“A Casa da Justiça funcionava na Cidade do Povo, no colégio Campos Pereira, que está desativado, mas passa por reforma para que possa voltar a abrigar a ação, portanto, cedemos esse espaço da Escola de Gastronomia para que essa ação tão linda continue até entregarmos o colégio totalmente reformado”
Alírio Wanderley Neto, presidente do Iepetec

“Nós precisamos levar a Justiça a quem precisa, que são as pessoas, então o TJAC retomou essa ação como forma de garantir às pessoas um direito que é delas”
Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Acre, desembargadora Waldirene Cordeiro

“O Papa Francisco me deu a missão de ‘não perder o cheiro do povo’, então é uma missão muito linda que as autoridades estão cumprindo aqui, nesse bairro que tem quase mais de 13 mil pessoas”
Padre Massimo Lombardi, responsável pela área missionária Cidade do Povo

Comentários

Continue lendo

Brasil

Mega-Sena de R$ 116,8 milhões é sorteada; veja quais são as dezenas 

Publicado

em

Apostador que faturar o prêmio sozinho poderá aplicar toda a bolada na poupança e ganhar mais de R$ 800 mil todos os meses

A Mega-Sena com prêmio de R$ 116,8 milhões foi sorteada nesta quarta-feira (1º). A loteria está acumulada há nove concursos e ainda sem pagar o prêmio principal neste ano. O sorteio do concurso 2.560 teve as seguintes dezenas sorteadas: 04 – 05 – 17 – 20 – 48 – 52.

A Caixa deverá divulgar daqui a pouco se houve ganhador do prêmio principal e o rateio.

Se levar sozinho o prêmio principal, o apostador poderá aplicar toda a bolada na poupança e receber mais de R$ 815 mil de rendimento no primeiro mês. O ganho ainda poderá ser impulsionado com investimentos mais rentáveis com a mesma segurança da caderneta.

Comentários

Continue lendo

Em alta