Famílias são remanescentes das enchentes de 2012 e 2015, que foram afetadas perdendo suas propriedades por completo

Aconteceu no salão paroquial da cidade de Brasiléia, um encontro entre os vereadores Rozevete Honorato(PSB), Joelso Pontes (PP), Mário Jorge e Rogério Pontes (Pros) e Antonio Franciso (PT), juntamente com aproximadamente 12 famílias e representantes do governo do Acre, para debater o atraso de seis meses do repasse do aluguel social.

Foi convidado para esse encontro, o representante da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), pessoa de Hélio do Nascimento B. Júnior e assessores, além de representante da Prefeitura de Brasiléia. Segundo foi levantado, essas famílias seriam remanescentes das enchentes de 2012 e 2015, que foram afetadas perdendo suas propriedades por completo.

Passados sete anos desde a primeira enchente, essas famílias ainda estão sobrevivendo do aluguel social, pois, não tiveram como recomeçar suas vidas, sem poderem adquirir terrenos e erguer suas novas moradias. Para piorar, o Estado atrasou os repasses.

Procurando os vereadores, as famílias conseguiu que o representante se deslocasse até Brasiléia para resolvesse a situação. Após ouvir os vereadores e representantes das famílias, Hélio deu a boa nova de que o Estado estaria sanando os débitos até esta terça-feira, dia 17.

Sobre a ajuda em poder beneficiar as famílias com áreas para que consigam erguer suas novas moradias, uma nova rodada de conversação com o Município será iniciada para seja adquirido terrenos. Com as boas novas, as famílias serão avisadas sobre as novas reuniões em datas futuras.

Veja vídeo.

Comentários