Agentes da Polícia Federal cumprem mandados de busca, apreensão e conduções coercitivas nos estados do Acre, Rondônia, Mato Grosso e São Paulo nesta segunda-feira, dia 30, segundo as primeiras informações apuradas pelo ac24horas.

A Operação Buracos, como é chamada, tem o envolvimento de mais de 150 agentes da Polícia Federal (PF), Controladoria Geral da União (CGU), Tribunal de Contas da União (TCU), Receita Federal e Ministério Público Federal (MPF).

Os alvos são ligados ao Departamento de Estradas e Rodagem do Acre (Deracre) e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Há suspeita de que o desvio de recursos públicos pode chegar à casa dos R$ 700 milhões.

“Os valores eram pagos por serviços não executados e materiais que nunca seriam entregues. O grupo também se utilizava de funcionários fantasmas. Três servidores do DNIT/RO foram afastados de seus cargos por suspeita de envolvimento com os crimes investigados”, informou a PF, em nota.

Os recursos federais investigados eram destinados à construção, pavimentação, conservação e recuperação de rodovias federais, além da abertura, melhoramento ou recuperação de ramais. Tudo de forma irregular e sem o pleno controle do serviço que era prestado.

São investigados os crimes de peculato, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa. O nome da operação faz referência a uma assertiva de um advogado de que “no estado do Acre, buracos dão lucros para poucos!”.

Do ac24horas.com

Comentários