“Não tem problema nenhum eu criticar. Vislumbro que criticar o governo me coloca numa posição de ajudá-lo mais do que se dissesse amém para tudo”.

“Criticar o governo me coloca numa posição de ajudá-lo mais do que se dissesse amém pra tudo”

EVERTON DAMASCENO

Mesmo em uma posição que considera “independente” e por muitas vezes tecendo duras críticas ao governo de Gladson Cameli (Progressista), o deputado estadual e pré-candidato à Prefeitura de Rio Branco, Roberto Duarte (MDB), declarou em entrevista exclusiva ao ContilNet que se o progressista for candidato ao executivo estadual em 2022, ele terá novamente o seu apoio, como em 2018.

“Eu ajudei o governador e já deixei isso bem claro, como fez o MDB, que foi o partido que mais contribuiu com a vitória dele. Eu faço as críticas construtivas. Tenho diálogos com o governador através de críticas construtivas, quando necessárias, e elogios, também quando necessários. Eu não digo amém para tudo que ele faz. Ainda assim, se o governador for candidato em 2022 e tiver o apoio do glorioso MDB, puxado pelo senador Marcio Bittar, ele terá sim o apoio do deputado ou quem sabe prefeito Roberto Duarte”, comentou.

Por se considerar também partidário, Roberto destacou que segue as decisões da sigla.

“Eu preciso destacar que sou partidário. O que o meu partido tomar de decisão, eu vou seguir. Se o nosso líder maior hoje [se referindo a Marcio Bittar], a nossa estrela maior, diz que na linha sucessória para 2020 o primeiro nome é o de Gladson e temos que acompanhar, nós vamos acompanhar”, destacou.

“Não tem problema nenhum eu criticar. Vislumbro que criticar o governo me coloca numa posição de ajudá-lo mais do que se dissesse amém para tudo”, continuou.

Questionado sobre como percebe a atuação de Cameli no combate ao coronavírus no Acre, Duarte disse que vê muita vontade de trabalhar no governador, mas lamenta o que tem visto de atitudes em parte do seu secretariado.

Confira a entrevista na íntegra.

Comentários