Conecte-se conosco

Cotidiano

Saiba para quais clubes torcem os candidatos ao Governo do Acre

Publicado

em

Disputa pelo principal cargo executivo estadual tem sete concorrentes. Apenas um deles torce para clubes acreanos e não há repetição de times

Os eleitores acreanos vão às urnas no domingo (2) para escolher os representantes do estado nos cargos de deputado federal e estadual, senador e governador.

Ge revela para quais clubes torcem os candidatos ao governo do Acre — Foto: Ronald Wittek/EFE

Ge revela para quais clubes torcem os candidatos ao governo do Acre — Foto: Ronald Wittek/EFE

Na disputa pelo governo do Acre, sete estão concorrendo. Todos, com exceção de Mara Rocha, do MDB, concederam entrevistas ao ge apresentando propostas e ideias para o esporte acreano, no último mês de agosto.

Agora, o ge apresenta para quais clubes de futebol torcem cada um dos concorrentes ao principal cargo executivo estadual. A única exceção – mais uma vez –, é a candidata Mara Rocha, cuja informação não foi repassada pela assessoria até a publicação deste texto.

Gladson Cameli, atual governador do Acre e candidato à reeleição — Foto: Divulgação/Progressistas

Gladson Cameli, atual governador do Acre e candidato à reeleição — Foto: Divulgação/Progressistas

Atual governador e disputando reeleição, o candidato do Progressistas torce para Flamengo, Náuas-AC e Rio Branco-AC.

Jorge Viana, candidato ao governo do Acre pelo PT — Foto: Divulgação/PT

Jorge Viana, candidato ao governo do Acre pelo PT — Foto: Divulgação/PT

Concorrendo pelo Partido dos Trabalhadores, o engenheiro florestal é torcedor do Botafogo.

Nilson Euclides, candidato ao governo do Acre pelo PSOL — Foto: Divulgação/PSOL

Professor universitário que disputa pelo Partido Socialismo e Liberdade é torcedor do São Paulo.

David Hall, professor e candidato ao governo do Acre pelo Agir — Foto: Divulgação/Agir

Candidato pelo Partido Agir, o professor é torcedor do Palmeiras.

Marcio Bittar, candidato ao governo do Acre pelo União Brasil — Foto: União Brasil/Divulgação

Senador e concorrendo pelo Partido União Brasil é torcedor do Corinthians.

Marcio Bittar, candidato ao governo do Acre pelo União Brasil — Foto: União Brasil/Divulgação

Senador licenciado do Partido Social Democrata é torcedor do Fluminense.

Mara Rocha, candidata pelo MDB ao governo do Acre — Foto: Divulgação/MDB

O ge solicitou a informação para a assessoria da candidata, mas não obteve resposta até a publicação deste texto.

Comentários

Cotidiano

Alemanha passa sufoco, mas empata com a Espanha e segue viva na Copa do Mundo

Publicado

em

A derrota não seria o fim da linha, mas complicaria ainda mais a vida da Alemanha, que ainda não tinha pontuado. Em um duelo frenético pela segunda rodada da fase de grupos da Copa do Mundo, a Espanha saiu na frente, mas os alemães, na base do abafa, conseguiram arrancar o empate em 1 a 1.

O resultado deixa o Grupo E completamente embolado. A Espanha lidera com quatro pontos, seguida por Japão e Costa Rica, que tem três pontos. A Alemanha fica na lanterna, com apenas um ponto. Todos tem chance de se classificar na última rodada, que tem Espanha x Japão e Alemanha x Costa Rica.

Duelo frenético

O duelo começou bastante animado, com as equipes trocando passes rapidamente em uma atmosfera tensa. Seguindo seu estilo de jogo, a Espanha ficou mais tempo com a bola e aos 7, teve a primeira grande chance, quando Dani Olmo recebeu na esquerda, mandou uma pancada e Neuer fez uma defesa espetacular antes da bola tocar no travessão.

O início foi mesmo elétrico, com a Alemanha também mostrando que poderia levar muito perigo. Aos 10, Gnabry chegou a perder de cara com o goleiro Unai Simón, mas foi flagrado em impedimento. Apesar disso, a Espanha seguiu mais tempo com a bola e aos 22, assustou em chute forte de fora da área de Jordi Alba, que mandou ao lado do gol.

A Alemanha mostrou nervosismo nas suas ações com a bola e até mesmo Neuer chegou a arma uma chance para a Espanha em saída de bola equivocada. Com o passar do tempo, os alemães tentaram se impor, aparecer mais no ataque e também subiram a marcação. Ainda assim, restou mais conexão entre os jogadores de frente para criar chances claras.

A Espanha voltou a levar perigo aos 34, quando Olmo cruzou rasteiro e Ferrán Torres, livre, bateu por cima e perdeu grande chance. Para sua sorte, o lance foi parado por impedimento. A Alemnanha comemorou muito aos 39, quando Rudiger subiu sozinho na área e mandou para rede após cobrança de falta. No entanto, a posição irregular do zagueiro foi logo constatada. Apesar do ritmo frenético, o primeiro tempo terminou sem gol.

Centroavantes entram para mudar o jogo

As seleções continuaram intensas na volta para o segundo tempo, com a Alemanha marcando alto e a Espanha escapando pelos lados em contra-ataques, um deles exigindo que Neuer fizesse a antecipação antes da chegada de Ferrán Torres. Apesar da necessidade e da boa intensidade, a Alemanha seguiu criando pouco.

A marcação forte foi importante aos 11, quando após erro na saída espanhola, Gundogan achou Kimmich na área, o meia chutou forte e Unai Simón espamou para fora. Mas a Espanha que foi fatal e aos 17, após boa troca de passes, Alba cruzou rasteiro e Morata apareceu para se antecipar a marcação e finalizar muito bem. Placar aberto.

A Alemanha logo partiu para o desespero, se lançou ao ataque e deixou muito espaço para os contra-ataques espanhóis. Os alemães só criaram aos 28, quando Musiala recebeu dentro da área, em ótima posição, mas não foi bem de frente para Unai Simón, que espalmou em grande defesa. Aos 34, Kimmich teve uma falta frontal, perto da área, mas acertou a barreira espanhola.

Então aos 38, um herói improvável, quando Sané acionou Musiala, que não dominou tão bem e Füllkrug ‘roubou’ a bola do companheiro e soltou uma pancada no alto para empatar. Depois do gol, a reta final foi mais equilibrada, mas a última pressão foi alemã. O clima de tensão seguiu, mas o apito final sacramentou o empate em belo jogo.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Kramaric marca duas vezes, Croácia vence de virada e elimina Canadá

Publicado

em

Fonte: OGol

Temos mais uma seleção matematicamente eliminada na Copa do Mundo 2022. O Canadá até saiu na frente, mas levou a virada da Croácia para 4 a 1, perdeu a segunda partida no mundial e não tem mais chances de se classificar para as oitavas de final.

Na rodada final, o drama está instaurado no Grupo F. Marrocos tem quatro pontos, assim como a Croácia; a Bélgica ficou com três. Marrocos precisa apenas de um empate contra Canadá na rodada final para se classificar e, caso consiga, torna o duelo entre Croácia e Bélgica totalmente eliminatório: quem vencer passa.

Cada equipe teve seu momento

O primeiro tempo entre Croácia e Canadá não teve muitas finalizações, mas foi movimentado e disputado. Podemos dividir em duas partes: na primeira, o Canadá começou de forma bem superior, conseguiu impor seu ritmo de jogo e anulou completamente a posse de bola croata. Na parte final, a Croácia soube aproveitar a queda de intensidade dos canadenses para utilizar melhor sua posse de bola e criar oportunidades.

Outro fator que interferiu na partida foi o gol marcado logo no começo da partida pelo Canadá, o mais rápido da Copa até aqui. Logo no segundo minuto da partida, Alphonso Davies aproveitou cruzamento de Buchanan  para marcar de cabeça o primeiro gol da história dos canadenses em Copas do Mundo. 1 a 0.

Demorou, mas a Croácia conseguiu entrar na partida com boa movimentação de seus homens de frente. Antes do empate, Kramaric já ensaiou a reação croata ao balançar a rede na primeira chance concreta dos europeus na partida, mas o gol foi anulado por impedimento. Livaja também colocou o goleiro Borjan para trabalhar.

Apenas nos minutos finais esse crescimento da Croácia foi refletido no placar. Primeiro com Kramaric, que recebeu belo passe de Perisic e finalizou de canhota para empatar. Antes do intervalo, Livaja recebeu na intermediária, levou para o pé direito e acertou chute preciso no canto para virar o jogo: 2 a 1 para os croatas.

Domínio croata

O segundo tempo voltou com um cenário semelhante ao da primeira etapa, mas com a Croácia sendo menos efetiva no último passe. O Canadá tentou aproveitar isso para voltar para o jogo com alterações, mas chute de Osorio – uma das novidades – de fora da área apenas passou perto do gol de Livakovic.

Outra chance canadense foi com Jonathan David, também de fora da área em chute colocado, mas dessa vez o goleiro croata deu um tapa na bola e mandou para escanteio. Acabaram aí as fichas do Canadá, que caiu bastante fisicamente e não conseguiu mudar o seu destino. Bastava a Croácia acertar o pé para encaminhar a vitória.

E esse acerto veio pelos pés de Ivan Perisic. O atacante recebeu pelo lado esquerdo e acertou lindo lançamento na segunda trave para Kramaric dominar já deixando adversário para trás e finalizar bem para fazer o seu segundo gol na partida.

Os minutos finais foram apenas cadenciados pela equipe croata, com o treinador usando as alterações para poupar seus jogadores mais importantes do meio para frente: Modric, Kovacic e os três atacantes foram substituídos. Nos acréscimos, Lovro Majer marcou com o gol vazio após receber passe de Pasalic já dentro da área. 4 a 1 e eliminação canadense.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Marrocos surpreende e vence a Bélgica na Copa do Mundo

Publicado

em

O Marrocos contou mais uma das grandes histórias da Copa do Mundo e com uma atuação correta do início ao fim venceu uma decepcionante Bélgica por 2 a 0, na segunda rodada da Copa do Mundo. Os gols da seleção africana aconteceram no segundo tempo.

A vitória leva o Marrocos, ao menos momentaneamente, para a liderança do Grupo F, com 4 pontos conquistados. A Bélgica fica na segunda posição, com 3 pontos, mas pode cair com a sequência da rodada, com o jogo entre Croácia e Canadá.

Impedimento salva a Bélgica

A seleção de Marrocos surpreendeu com a postura inicial de também tentar atacar. Mas a primeira boa chegada na frente foi da Bélgica, aos 5, quando Batshuayi foi lançado nas costas de zaga, chegou finalizando, mas foi travado pelo goleiro Mohamedi. Os belgas se animaram após o lance e conseguiram passar mais tempo próximo do gol adversário, mas sem levar muito perigo.

O domínio aumentou e o jogo ficou da maneira que era esperada. A Bélgica rodou a bola no ataque, procurou alternativas, mas teve problemas para furar a defesa marroquina. Os belgas só acertaram o alvo aos 18, quando Meunier pegou uma sobra na entrada da área, bateu colocado e Mohamedi defendeu sem dificuldades. O Marrocos respondeu com Ziech, em chute de longe e para fora.

Marrocos conseguiu equilibrar o confronto e também trocou passes no ataque, em um duelo muito truncado e com diversas perdas de posse dos dois lados. As duas equipes ainda mostraram lentidão na troca de passes, sem conseguir envolver o adversário. Chances de gol seguiram como raridade.

Uma finalização mais perigosa só aconteceu aos 35, quando Hakimi foi lançado pela direita, invadiu a área e chutou forte, por cima do gol. A emoção da partida só aconteceu nos acréscimos, aos 46, quando Ziyech cobrou falta, a bola passou por todo mundo e morreu na rede. No entanto, o gol foi anulado por impedimento de Saiss, que não tocou na bola, mas participou do lance na avaliação do árbitro.

Um feito sensacional

O segundo tempo começou com o jogo mais aberto, mas ainda cheio de erros no ataque. Jogador mais perigoso de Marrocos, Ziyech foi responsável pela primeira finalização, quando aos 5, puxou para a esquerda, bateu colocou e Courtois encaixou. A resposta belga veio pouco depois, com boa jogada de Eden Hazard, que chutou forte da direita e Mohamedi espalmou.

As chances de gol começaram a surgir, aos 12, Marrocos ficou no quase com Boufal, que puxou da esquerda para o meio, bateu forte e a bola saiu rente à trave, com muito perigo. O jogo seguiu com a seleção marroquina agora encontrando espaços pelo lado e com boas chegadas ao ataque. No talento, a Bélgica levou perigo aos 20, quando Mertens driblou na meia-lua, bateu forte e o goleiro rebateu.

A cena do final do primeiro tempo foi repetida e aos 28, em uma falta lateral, o Marrocos mandou a bola para a rede. No lance, em falta que parecia despretensiosa Sabiri bateu direto e enganou Courtois. Marrocos na frente. A Bélgica então foi com tudo para cima e Lukaku, sem estar 100%, foi acionar para entrar em campo.

A pressão foi grande, mas a Bélgica só voltou a assustar aos 37, em cabeçada de Vertonghen, que passou rente à trave. Marrocos se defendeu bem contra o adversário nervoso, teve contra-ataques, e sacramentou a sua vitória aos 47, quando Amrabat ganhou da marcação, rolou para o meio e Aboukhlal finalizou no alto para marcar. Vitória marroquina na Copa do Mundo após mais de duas décadas.

Fonte: OGol

Comentários

Continue lendo

Em alta