Conecte-se conosco





Cotidiano

Rio Acre volta a se aproximar da cota de transbordo em Rio Branco e sete casas estão atingidas

Publicado

em

Nível do Rio Acre volta a se aproximar da cota de transbordo em Rio Branco — Foto: Arquivo/Defesa Civil

Por Iryá Rodrigues

Com as chuvas que continuam atingindo a capital acreana, o nível do Rio Acre voltou a subir em Rio Branco e se aproxima da cota de transbordo, que é de 14 metros.

De acordo com dados da Defesa Civil Municipal, o manancial marcou 13,98 metros na medição de 12h desta quarta-feira (24) e já atinge ao menos sete casas no bairro Ayrton Senna.

A Defesa Civil considera atingidas pela cheia casas onde a água chegou, desabrigando ou não os moradores. De acordo com o coordenador do órgão, major Cláudio Falcão, não há pessoas retiradas de casa por conta da nova subida do manancial.

Pelo menos sete casas do bairro Ayrton Senna estão atingidas pelas águas do Rio Acre — Foto: Arquivo/Defesa Civil

“Nós ficamos em alerta todo ano até, pelo menos, meados do mês de abril, porque são meses de muita chuva. O rio vinha se mantendo bem abaixo da cota de alerta, mas desde o último dia 19 que mudou o panorama, e ele começou a encher novamente. A previsão que temos no momento é que vai sim alcançar a cota de transbordo no dia de hoje e a tendência é que da noite de hoje para a madrugada de quinta [25] ele estabilize e volte a ter vazante. Dessa forma, a gente espera que não seja precisa mexer com nenhuma família, mas estamos prontos para agir nesse sentido”, disse Falcão.

Nas últimas 24 horas foram registrados 10 milímetros de chuvas. Ainda segundo os dados, nos 24 dias de março já choveu um acumulado de 306,6 milímetros, sendo que o esperado é de 267,7 milímetros para todo o mês.

Enchente em fevereiro

No mês de fevereiro, a cheia do Rio Acre chegou a atingir mais de 13 mil pessoas e deixou pelo menos 129 famílias desalojadas e outras 75 desabrigadas em Rio Branco. No dia 10 de março, quando o nível do rio estava mais de quatro metros abaixo da cota de alerta na capital, as famílias que ainda estão em abrigos da prefeitura começaram a voltar para casa.

No dia 22 de fevereiro, o governador Gladson Cameli decretou calamidade pública em dez cidades do Acre. No mesmo dia, o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) reconheceu, em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), o estado de calamidade nos municípios de Rio Branco, Sena Madureira, Santa Rosa do Purus, Feijó, Tarauacá, Jordão, Cruzeiro do Sul, Porto Walter, Mâncio Lima e Rodrigues Alves. Mais de 130 mil pessoas foram atingidas pelas enchentes nas dez cidades.

Beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) das 10 cidades do Acre que foram atingidas pela cheia no mês de fevereiro terão os pagamentos antecipados a partir deste mês, decidiu o órgão previdenciário em portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU) no dia 19 de março.

Comentários

Em alta